Abrir menu principal

Alterações

8 bytes adicionados ,  21h43min de 23 de dezembro de 2017
m
''American Idiot'' é um [[álbum conceitual]] que descreve a história de uma personagem central chamada Jesus of Suburbia, um [[anti-herói]] criado por Billie Joe Armstrong.{{sfn|DiPerna|2005|p=26}} É escrito a partir da perspectiva de um adolescente americano de [[classe média baixa]] e suburbano, criado numa dieta de "[[refrigerante]] e [[ritalina]]".{{sfn|DiPerna|2005|p=26}} Jesus of Suburbia odeia sua cidade e aqueles próximos a ele, então ele acaba por migrar-se.{{sfn|Spitz|2006|p=165}} A segunda personagem a ser introduzida é St. Jimmy, um "orgulhoso lutador pela liberdade punk rock por excelência".{{sfn|DiPerna|2005|p=27}} Whatsername, "uma figura 'Mãe da Revolução'", é introduzida como o nêmesis de St. Jimmy na canção "She's a Rebel".{{sfn|DiPerna|2005|p=27}} A história do álbum é largamente indeterminada, uma vez que o grupo não sabia o que fazer com o enredo a partir de dado ponto. Portanto, Armstrong disse que o final seria construído pela imaginação do ouvinte.{{sfn|DiPerna|2005|p=28}} As duas personagens secundárias exemplificam o tema principal da obra — "raiva versus amor" — já que, enquanto St. Jimmy é tomado por "rebelião e autodestruição", Whatsername é focada em "seguir suas crenças e ética".{{sfn|DiPerna|2005|p=28}} Jesus of Suburbia acaba decidindo seguir a última, resultando no [[suicídio]] figurado de St. Jimmy, que acaba sendo revelado como uma faceta de sua personalidade.{{sfn|DiPerna|2005|p=28}} Na última canção, Jesus of Suburbia perde também a conexão com Whatsername, a ponto de nem conseguir lembrar seu nome.{{sfn|DiPerna|2005|p=28}}
 
Através da história, Armstrong esperava detalhar o que era se tornar um adulto nos Estados Unidos na época do lançamento do disco.<ref name="kerrang05.2">{{cite journal|author=Victoria Durham|title=Green Day: Let The Good Times Roll|pages=50–55|date=March 1,º de março de 2005|work=[[Rock Sound]]|volume=|location=[[London]]|issn= 1465-0185 |publisher=Freeway Press Inc.|issue=70}}</ref> Embora considerasse o último trabalho da banda "cheio de coração", o vocalista passou a ter um instinto de que deveria tratar sobre questões do período em que a obra saiu.{{sfn|Lanham|2004|p=116}} À medida que foi entrando na fase [[adulto|adulta]], ele passou a ter o desejo de aumentar o conteúdo político em suas composições, notando que o clima ao redor de seu amadurecimento produziu um sentimento de responsabilidade nas faixas que escrevia.{{sfn|Lanham|2004|p=117}} Nas palavras do próprio: "Assim que você abandona a estrutura verso-refrão-verso-refrão-ponte ... sua mente se abre para um novo jeito de compor, onde realmente não há regras".{{sfn|DiPerna|2005|p=26}} Em adição à temática política do disco, ele também toca em temas como os relacionamentos interpessoais e aquilo que Dirnt chamou de "a confusão, a perda de individualidade".<ref name="bigcheese04" />
 
{{Cquote|Estávamos no estúdio a assistir os jornalistas embarcando com as tropas, e era como a pior versão dos ''[[reality show|reality shows]]''. Troque de canal, e você tem ''[[Newlyweds: Nick and Jessica|Nick & Jessica]]''. Troque, e aparece ''[[Fear Factor]]''. Troque, e verá pessoas fazendo [[cirurgia plástica|cirurgias plásticas]] para se parecerem com [[Brad Pitt]]. Estamos cercados por toda essa merda, e as personagens Jesus of Suburbia e St. Jimmy também. É um sinal dos tempos.|autor=Armstrong, a explicar o conceito por trás de ''American Idiot''.<ref>{{citar web|língua=en|url=http://loudwire.com/green-day-american-idiot-album-anniversary/|título=13 Years Ago: Green Day Release 'American Idiot'|publicado=Loudwire|data=21 de setembro de 2017|autor=Chad Childers|acessodata=23 de dezembro de 2017}}</ref>}}
17 532

edições