Diferenças entre edições de "Manuela d'Ávila"

4 481 bytes removidos ,  13h31min de 28 de dezembro de 2017
→‎Deputada estadual: O texto estava cheio de promoções políticas da deputada.
(→‎Deputada estadual: O texto estava cheio de promoções políticas da deputada.)
Etiquetas: Editor Visual Remoção considerável de conteúdo
[[Imagem:Manuela d'Ávila com a filha Lara.jpg|thumb|Manuela segurando a filha Laura enquanto discursa na Assembleia Legislativa, em outubro de 2016.]]
 
Em 16 de setembro de 2013, anunciou que não seria candidata a reeleição para um terceiro mandato como deputada federal nas [[Eleições estaduais no Rio Grande do Sul em 2014|eleições de 2014]]. Em vez disso, candidatou-se à deputada estadual. Em sua conta no ''[[Twitter]]'', declarou: "A situação do Rio Grande exige atenção e estou disposta a dar minha contribuição. Acredito que a política deve ser espaço de renovação, e que meu Estado e a minha cidade - Porto Alegre - poderão contar ainda mais comigo se estiver mais próxima do que estou hoje. E eu ficarei feliz militando fisicamente mais perto da população e dos movimentos sociais".<ref>{{Citar web |url=http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,manuela-davila-diz-que-nao-vai-se-candidatar-novamente-a-camara,1075400,0.htm |título=Manuela d'Ávila diz que não vai se candidatar novamente à Câmara |obra=O Estado de S. Paulo |data=16 de setembro de 2013 |acessodata=3 de outubro de 2013}}</ref>
 
Foi eleita para o cargo com a maior votação daquela eleição, totalizando {{formatnum:222436}} votos (3,64% dos votos válidos).<ref>{{Citar web |url=http://www.eleicoes2014.com.br/manuela-d-avila/ |título=Manuela D Avila 65656 |obra=Eleições 2014 |acessodata=30 de março de 2015}}</ref> De acordo com ela, "a eleição para deputada estadual tem um número gigantesco de candidatos. Sempre que concorro é uma reavaliação do trabalho, tenho dez anos de mandato, mas há muitos candidatos novos, muitos fatores. Então, ser novamente a mais votada é motivo de muito compromisso e muito orgulho, porque é a consolidação de um trabalho e de sucessivas avaliações dos meus mandatos."<ref>{{Citar web |url=http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/eleicoes-2014/noticia/2014/10/manuela-d-avila-e-a-campea-de-votos-para-a-assembleia-4614756.html |título=Manuela D'Ávila é a campeã de votos para a Assembleia |obra=Zero Hora |autor=Letícia Costa |data=6 de outubro de 2014 |acessodata=30 de março de 2015}}</ref>
 
Ao tomar posse para a 54º Legislatura da [[Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul]], em 1º de fevereiro de 2015, passou a integrar seis comissões: Constituição e Justiça; Cidadania e Direitos Humanos; Assuntos Municipais; Segurança e Serviços Públicos; Mista Permanente de Participação Legislativa Popular; e Mista Permanente do Mercosul e Assuntos Internacionais.<ref>{{Citar web |url=http://www.al.rs.gov.br/legislativo/ |título=Comissões Parlamentares |obra=Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul |acessodata=3 de outubro de 2013}}</ref>
 
Em 18 de fevereiro de 2016, anunciou que não seria candidata à prefeitura de Porto Alegre nas eleições de 2016.<ref>{{Citar web |url=http://noticias.band.uol.com.br/cidades/rs/noticia/100000794540/manuela-d%E2%80%99%C3%A1vila-abre-m%C3%A3o-de-candidatura-%C3%A0-prefeitura-de-porto-alegre.html |título=POA: Manuela D’Ávila não será candidata |publicado=Band |autor=Jonatha Bittencourt |data=18 de fevereiro de 2016 |acessodata=22 de fevereiro de 2016}}</ref> Como justificativa principal de sua decisão, afirmou que desejava cuidar de sua filha Laura, à época com cinco meses de idade.<ref>{{Citar web |url=http://plantao.rs/29589/brasil/2016/02/manuela-davila-nao-sera-candidata-para-a-prefeitura-de-porto-alegre/ |título=Manuela D’Ávila anuncia que não será candidata para a Prefeitura de Porto Alegre |publicado=Plantão RS |data=17 de fevereiro de 2016 |acessodata=22 de fevereiro de 2016}}</ref> A deputada afirmou que "não adiantaria lutar pelo desenvolvimento de nossos bebês e não fazer valer a minha luta para minha própria filha!."<ref>{{Citar web |url=http://www.vermelho.org.br/noticia/276413-1 |título=Manuela D’ávila anuncia que não disputará Prefeitura de Porto Alegre |publicado=Vermelho |data=17 de fevereiro de 2016 |acessodata=22 de fevereiro de 2016}}</ref> Antes de sua decisão, ela era considerada uma das candidatas favoritas para a prefeitura da capital gaúcha em 2016.<ref>{{Citar web |url=http://www.diariodopoder.com.br/noticia.php?i=46046305172 |título=CANDIDATA DO PC DO B É FAVORITA PARA A PREFEITURA DE PORTO ALEGRE |publicado=Diário do Poder |data=14 de dezembro de 2015 |acessodata=22 de fevereiro de 2016}}</ref> Em uma pesquisa do [[Correio do Povo]] realizada em dezembro de 2015, Manuela liderava a disputa eleitoral com 25,3% das intenções de votos, bastante a frente de [[Luciana Genro]], a segunda colocada, que possuía 12,2%.<ref>{{Citar web |url=http://www.correiodopovo.com.br/Noticias/Politica/2015/12/574534/Manuela-DAvila-lidera-disputa-eleitoral-em-Porto-Alegre |título=Manuela D'Ávila lidera disputa eleitoral em Porto Alegre |publicado=Correio do Povo |data=14 de dezembro de 2015 |acessodata=22 de fevereiro de 2016}}</ref>
 
=== Pré-candidata a Presidente ===
[[Imagem:Manuela d'Ávila em novembro de 2017.jpg|thumb|Manuela durante entrevista coletiva em novembro de 2017.]]
 
Em novembro de 2017, o PCdoB lançou oficialmente a pré-candidatura de Manuela D'Ávila à Presidência da República na eleição de 2018. Se a candidatura de Manuela for confirmada, será a primeira vez que o partido terá candidatura própria ao Planalto desde a redemocratização.<ref>{{Citar web |url=http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,pc-do-b-lanca-manuela-davila-a-presidencia-em-2018,70002072747 |título=PC do B lança Manuela D'Ávila à Presidência em 2018 |publicado=O Estado de S. Paulo |autor=Pedro Venceslau e Paula Reverbel |data=5 de novembro de 2017 |acessodata=3 de dezembro de 2017}}</ref> Durante o 14º Congresso Nacional do PCdoB, realizado no mesmo mês, Manuela teve seu nome aclamado como pré-candidata do partido à Presidência. Em seu discurso afirmou que se eleita irá propor um referendo revogatório da reforma trabalhista do [[governo Temer]], que as eleições de 2018 não podem ser um debate do passado e que a saída para a crise política está dentro da política e não em ''outsideres''.<ref>{{Citar web |url=http://politica.estadao.com.br/noticias/geral,manuela-davila-diz-que-se-chegar-a-presidencia-vai-propor-revogacao-da-reforma-trabalhista,70002088558 |título=Manuela D'Ávila diz que, se chegar à Presidência, vai propor revogação da reforma |publicado=O Estado de S. Paulo |autor=Igor Gadelha |data=17 de novembro de 2017 |acessodata=3 de dezembro de 2017}}</ref>
 
== Vida pessoal ==
Utilizador anónimo