Abrir menu principal

Alterações

2 707 bytes removidos ,  17h07min de 29 de dezembro de 2017
m
Foram revertidas as edições de 89.114.160.142 para a última revisão de Mr. Fulano, de 16h39min de 29 de dezembro de 2017 (UTC)
[[Imagem:2014 Gini Index World Map, income inequality distribution by country per World Bank.svg|thumb|450px|[[Desigualdade]] de [[renda]] no mundo medida pelo [[Coeficiente de Gini]] de acordo com dados do [[Banco Mundial]] (2014).<ref>Table 2.9 of [http://wdi.worldbank.org/table/2.9 World Development Indicators: Distribution of income or consumption] The World Bank</ref>]]
===Desigualdade de gênero===
Segundo Ragadas,<ref> name=":0">Reygadas, l. (2004): ''Las redes de la desigualdad: un enfoque multidimensional'', Política y Cultura</ref> um dos fatores centrais na construção das desigualdades tem sido a discriminação de gêneros. A discriminação sexual é estruturada nas distinções sociais e culturais entre homens e mulheres que convertem as diferenças sexuais biológicas em hierarquias de poder, ''status'' e renda. Também pode ser definido como a divisão de tarefas, posto de trabalho e profissões com base no feminino e masculino, essa prática, que era comum na sociedade começou a ser questionada apenas recentemente.<ref name=":1">''[http://books.google.com/books?id=sLPyuXVgwoAC Las nuevas fronteras de la desigualdad: hombres y mujeres en el mercado de trabajo]''. Icaria Editorial; 2000. ISBN 978-84-7426-465-4. p. 419.</ref> As consequências dessa desigualdade é que as mulheres ganham menos que os homens, ou homens a menos do que as mulheres (fazendo o mesmo trabalho, com o mesmo grau de ensino e mesmos horários). A sociedade salarial não é uma sociedade de igualdade, há uma grande diferença entre o rendimento gerado pelo homem em comparação à mulher e até mesmo o acesso aos bens sociais, por exemplo, acesso à educação e cultura.<ref name=":2">''[http://books.google.com/books?id=Znv75OWZU4EC Desigualdad y globalización: cinco conferencias]''. Ediciones Manantial; ISBN 978-987-500-060-5. p. 17.</ref> A ênfase na desigualdade de gênero nasce do aprofundamento da divisão em papéis atribuídos a homens e mulheres, particularmente nas esferas econômica, política e educacional. As mulheres estão sub-representadas em atividades políticas e tomada de decisão na maioria dos estados.<ref name=":3">{{citar web|url=http://www.un.org/womenwatch/daw/daw/index.html |título=About us |publicado=Un.org |data=2003-12-31 |acessodata=2013-07-17|publicado=Un.org}}</ref>
 
=== Desigualdade racial ===
Segundo Ragadas,<ref name=":0">Reygadas, l. (2004): ''Las redes de la desigualdad: un enfoque multidimensional'', Política y Cultura</ref> um dos fatores centrais na construção das desigualdades tem sido a discriminação de gêneros. A discriminação sexual é estruturada nas distinções sociais e culturais entre homens e mulheres que convertem as diferenças sexuais biológicas em hierarquias de poder, ''status'' e renda. Também pode ser definido como a divisão de tarefas, posto de trabalho e profissões com base no feminino e masculino, essa prática, que era comum na sociedade começou a ser questionada apenas recentemente.<ref name=":1">''[http://books.google.com/books?id=sLPyuXVgwoAC Las nuevas fronteras de la desigualdad: hombres y mujeres en el mercado de trabajo]''. Icaria Editorial; 2000. ISBN 978-84-7426-465-4. p. 419.</ref> As consequências dessa desigualdade é que as mulheres ganham menos que os homens, ou homens a menos do que as mulheres (fazendo o mesmo trabalho, com o mesmo grau de ensino e mesmos horários). A sociedade salarial não é uma sociedade de igualdade, há uma grande diferença entre o rendimento gerado pelo homem em comparação à mulher e até mesmo o acesso aos bens sociais, por exemplo, acesso à educação e cultura.<ref name=":2">''[http://books.google.com/books?id=Znv75OWZU4EC Desigualdad y globalización: cinco conferencias]''. Ediciones Manantial; ISBN 978-987-500-060-5. p. 17.</ref> A ênfase na desigualdade de gênero nasce do aprofundamento da divisão em papéis atribuídos a homens e mulheres, particularmente nas esferas econômica, política e educacional. As mulheres estão sub-representadas em atividades políticas e tomada de decisão na maioria dos estados.<ref name=":3">{{citar web|url=http://www.un.org/womenwatch/daw/daw/index.html|título=About us|data=2003-12-31|acessodata=2013-07-17|publicado=Un.org}}</ref>
 
Segundo Ragadas,<ref name=":0" /> um dos fatores centrais na construção das desigualdades tem sido a discriminação de gêneros. A discriminação sexual é estruturada nas distinções sociais e culturais entre homens e mulheres que convertem as diferenças sexuais biológicas em hierarquias de poder, ''status'' e renda. Também pode ser definido como a divisão de tarefas, posto de trabalho e profissões com base no feminino e masculino, essa prática, que era comum na sociedade começou a ser questionada apenas recentemente.<ref name=":1" /> As consequências dessa desigualdade é que as mulheres ganham menos que os homens, ou homens a menos do que as mulheres (fazendo o mesmo trabalho, com o mesmo grau de ensino e mesmos horários). A sociedade salarial não é uma sociedade de igualdade, há uma grande diferença entre o rendimento gerado pelo homem em comparação à mulher e até mesmo o acesso aos bens sociais, por exemplo, acesso à educação e cultura.<ref name=":2" /> A ênfase na desigualdade de gênero nasce do aprofundamento da divisão em papéis atribuídos a homens e mulheres, particularmente nas esferas econômica, política e educacional. As mulheres estão sub-representadas em atividades políticas e tomada de decisão na maioria dos estados.<ref name=":3" />
 
=== Desigualdade racial ===
Segundo Ragadas,<ref name=":0" /> um dos fatores centrais na construção das desigualdades tem sido a discriminação de gêneros. A discriminação sexual é estruturada nas distinções sociais e culturais entre homens e mulheres que convertem as diferenças sexuais biológicas em hierarquias de poder, ''status'' e renda. Também pode ser definido como a divisão de tarefas, posto de trabalho e profissões com base no feminino e masculino, essa prática, que era comum na sociedade começou a ser questionada apenas recentemente.<ref name=":1" /> As consequências dessa desigualdade é que as mulheres ganham menos que os homens, ou homens a menos do que as mulheres (fazendo o mesmo trabalho, com o mesmo grau de ensino e mesmos horários). A sociedade salarial não é uma sociedade de igualdade, há uma grande diferença entre o rendimento gerado pelo homem em comparação à mulher e até mesmo o acesso aos bens sociais, por exemplo, acesso à educação e cultura.<ref name=":2" /> A ênfase na desigualdade de gênero nasce do aprofundamento da divisão em papéis atribuídos a homens e mulheres, particularmente nas esferas econômica, política e educacional. As mulheres estão sub-representadas em atividades políticas e tomada de decisão na maioria dos estados.<ref name=":3" />
 
=== Desigualdade racial ===
 
=== Desigualdade racial ===
{{Main|Racismo}}
A desigualdade racial é o resultado de distinções sociais hierárquicas entre grupos étnicos dentro de uma sociedade e, muitas vezes estabelecida com base em características como a cor da pele e outras características físicas ou origem e cultura de um indivíduo. O tratamento desigual e de oportunidades entre os grupos raciais é geralmente o resultado de alguns grupos étnicos, considerados superior a outros. Esta desigualdade pode se manifestar por meio de práticas de contratação discriminatórias em locais de trabalho, em alguns casos, os empregadores têm demonstrado preferir a contratação de funcionários em potencial com base na percepção étnica dado o nome de um candidato - mesmo que todos tenham currículos apresentando qualificações idênticas.<ref>{{citar periódico|último =Rooth|primeiro =Dan-Olof|título=Implicit Discrimination in Hiring: Real World Evidence|periódico=IZA Discussion Paper|ano=2007|month=April|página=http://papers.ssrn.com/sol3/papers.cfm?abstract_id=984432}}</ref> Parte desses tipos de práticas discriminatórias resultam de [[estereótipo]]s, que é quando as pessoas fazem suposições sobre as tendências e características de determinados grupos sociais, muitas vezes incluindo grupos étnicos, normalmente enraizadas em suposições sobre a biologia, capacidades cognitivas, ou mesmo falhas morais inerentes.<ref>{{citar livro|último =Dubow|primeiro =Saul|título=Scientific Racism in Modern South Africa|ano=1995|publicado=Cambridge University Press|isbn=9780521479073|página=121}}</ref> Estas atribuições negativas são então divulgados através da sociedade através de diferentes meios, incluindo a televisão, jornais e internet, os quais desempenham papel na promoção de preconceitos de raça e assim marginalizando grupos de pessoas. Isto, juntamente com a [[xenofobia]] e outras formas de discriminação continuam a ocorrer nas sociedades com o aumento da [[globalização]].<ref>{{citar web|título=The World Conference against racism, racial discrimination, xenophobia and related intolerance|url=http://www.un.org/WCAR/e-kit/backgrounder1.htm}}</ref>