Abrir menu principal

Alterações

5 bytes removidos ,  21h53min de 30 de dezembro de 2017
Correções menores: "seleccionado" para "seccionado" e laranjas "Bahia" (nome da variedade) e não "da Bahia" (embora seja essa a procedência)
A reprodução assexuada existe em [[bactéria]]s, [[eucariota]]s unicelulares e em vários [[filo|filos]] de invertebrados, contudo não está presente nos [[vertebrados]]. Este tipo de reprodução possui vantagens adaptativas: rapidez – num curto espaço de tempo ocorre um acentuado aumento da população; simplicidade – não há gastos de tempo e energia na procura de um parceiro; homogeneidade – muitos indivíduos com características iguais. Contudo, os organismos que se reproduzem assexuadamente, possuem pouca [[variabilidade genética]], pelo que se o biótopo se alterar, as populações poderão ser afectadas (devido à fraca capacidade adaptativa), podendo levar à sua extinção naquele local.
 
Entre os [[animalia|animais]], um dos exemplos mais conhecidos é o da [[estrela-do-mar]] que, ao perder um dos [[braço]]s, pode regenerar os restantes, formando-se uma nova estrela-do-mar do braço seleccionadoseccionado. Nas [[plantae|plantas]] a reprodução assexuada é também frequente, utilizando-se esta capacidade reprodutiva na [[agricultura]]. Por exemplo, as [[laranja]]s da Bahia (sem [[semente]]s) provêm todas do mesmo clone (considerando clone o conjunto de todos os seres [[genética|geneticamente]] idênticos, provenientes de um mesmo ser vivo), a partir de uma [[laranjeira]] [[Mutação|mutante]] aparecida na região da [[Bahia]] no [[Brasil]]. Efectivamente, esta [[árvore]], ao não produzir sementes só se pode reproduzir por [[enxertia|enxerto]] ou [[estaca]].
 
== Tipos de reprodução assexuada ==
Utilizador anónimo