Diferenças entre edições de "Proedro"

12 bytes adicionados ,  03h08min de 12 de janeiro de 2018
sem resumo de edição
 
[[Imagem:Nicephorus III and officers BnF Coislin79 fol2.jpg|thumb|Imperador {{Lknblknb|Nicéforo|III |Botaniates}} flanqueado por seus dignitários principais da corte, todos eles proedro, em um manuscrito da década de 1070. Da esquerda: proedro e [[caníclio]], o protoproedro e [[protovestiário]] (um [[eunuco]], pois ele está sem barba), o imperador, o proedro e [[Decano (Roma)|decano]], e o proedro e [[grande primicério]].{{sfn|Spatharakis|1976|p=110}}]]
 
'''Proedro''' ({{langx|el|πρόεδρος||''proedros''|lit. presidente}}) foi um título cortesão e eclesiástico [[Império Bizantino|bizantino]] utilizado entre o {{séc|X}} e meados do {{séc|XII}}. A forma feminina do titulo era '''proedrissa''' ({{langx|el|προέδρισσα}}).
 
== História ==
 
O título foi criado em 960 pelo imperador {{Lknb|Nicéforo|II Focas}} e foi concedido pela primeira vez a [[Basílio Lecapeno]], [[paracemomeno]] [[eunuco]]. Foi colocado muito elevado na hierarquia da corte, estando abaixo de [[zoste patrícia]] e acima de [[magistro]], significando que era o mais alto título não-imperial aberto para homens. O título, aparentemente, continuou a ser restrito aos eunucos, até meados do {{séc|XI}}, quando foi aberto a toda a aristocracia e extensivamente premiado. O titular da dignidade também era o presidente do senado ({{langx|el|ὁ πρόεδρος τῆς συγκλήτου}}), e o termo proedro foi frequentemente usado para denotar precedência em outros ofícios, por exemplo, proedro dos [[notário]]s para [[protonotário]].{{sfn|name=Kazh1727|Kazhdan|1991|p=1727}}