Diferenças entre edições de "Max (fadista)"

723 bytes adicionados ,  17h39min de 19 de janeiro de 2018
sem resumo de edição
Etiqueta: Inserção de predefinição obsoleta
{{Info/Música/artista
{{Wikificação|bio|mus|data=abril de 2016}}
|nome = Max
|fundo = cantor_solo
|imagem =
|alt=|nome completo = Maximiano de Sousa
|origem = [[Funchal]], [[Madeira]]
|país = {{PRT}}
|gênero = [[Fado]]
|gravadora = Valentim de Carvalho
|afiliações =
|website =
|imagem_legenda =
|nascimento = {{dni|20|1|1918|si}}
|falecimento = {{morte e idade|29|5|1980|20|1|1918|lang=pt}}
|actividade =
|instrumento = [[vocal|Voz]]
}}
 
'''Maximiano de Sousa''' ou '''Max''' ([[Funchal]], [[Madeira]], [[20 de Janeiro]] de [[1918]] — [[Lisboa]], [[29 de Maio]] de [[1980]]) foi um cantor e [[fado|fadista]] [[Portugueses|português]].
 
'''Maximiano de Sousa''' ou '''Max''' ([[Funchal]], [[Madeira]], [[20 de Janeiro]] de [[1918]] — [[29 de Maio]] de [[1980]]) foi um cantor e [[fado|fadista]] [[Portugueses|português]].
 
Foi uma das mais populares vedetas da rádio, do teatro e da televisão portuguesas, desde os anos quarenta até à sua morte em [[1980]]. A ele se devem êxitos como ''Noites da Madeira'', ''Bailinho da Madeira'' ou ''A Mula da Cooperativa''. E nada faria prever que este jovem [[Madeira|madeirense]], que sonhava ser barbeiro e fora alfaiate, viria a ser um dos mais populares artistas portugueses.
==Biografia==
 
Maximiano de Sousa, de todos conhecido como Max, era madeirense, nascido no [[Funchal]] em [[1918]]. Foi aí que iniciou a sua carreira artística. Sonhara ser barbeiro e violinista, tinha ouvido para a música mas pouca paciência para aprender o [[solfejo]], e acabou por aprender o ofício de alfaiate. Contudo, o bichinho da música que sempre tivera, tornoufê-lo estrear-se em [[1927]] na " Praia Oriental " no Funchal, veio a tornar-se numa carreira em [[1936]], quando começa a actuar no bar de um hotel do Funchal: cantor à noite, alfaiate de dia.
 
Em [[1942]], é um dos fundadores – como cantor e baterista – do Conjunto de [[Toni Amaral]], que se torna numa sensação nas noites madeirenses e que, em [[1946]], vem conquistar [[Lisboa]]. O trabalho é muito e o conjunto assenta arraiais no ''night-club'' Nina, interpretando os ritmos do momento - ''boleros'', ''slows'', fados-canções. E é o ''Fado Mayerúe'' de Armandinho e Linhares Barbosa, mais conhecido como ''Não Digas Mal Dela'', que populariza a voz de Max e leva à sua saída do Conjunto de [[Toni Amaral]], iniciando finalmente a carreira a solo que desejava em 1948.
Em [[1957]], parte para os EUA para uma digressão de cinco anos interrompida por uma súbita doença de coração ao fim de dois. Viajou em seguida por [[Angola]], [[Moçambique]], [[África do Sul]], [[Brasil]] e [[Argentina]].
 
Regressado a [[Portugal]], embora continue a ser um dos artistas mais queridos do público, encontrará alguma dificuldade de trabalho, sobrevivendo à conta dos discos que continuava a gravar. Um dos seus maiores êxitos surgirá aliás neste período, ''Pomba Branca''. Faleceu em [[1980]].<ref>Museu do Fado, ''[http://museudofado.pt/Personalidades Max]'', Museu do Fado, 19 de janeiro de 2018</ref>
 
Em 1991 foi inaugurado um busto em sua homenagem, da autoria da escultora [[Luíza Clode]], junto ao Largo do Corpo Santo.
1 936

edições