Diferenças entre edições de "Miau!"

1 byte removido ,  11h23min de 22 de janeiro de 2018
sem resumo de edição
 
'''''Miau!''''' é mais uma herança de imprensa do género humorístico, datada de 1916, propriedade da «empreza miau!». Insere-se no contexto da Exposição de “Os Fantasistas”, iniciativa levada a cabo por uma auto-denominada “sociedade de Belas Artes”, que teve início a 5 de Janeiro desse mesmo ano, no [[Palácio da Bolsa]] do [[Porto]]. Ora, o ''Miau!'' acaba por ser o ensaio em forma de jornal, que resulta desta iniciativa cultural Portuense, cuja direção e conjunto de colaboradores é constituída maioritariamente por “fantasistas”: Guedes de Oliveira, [[Leal da Câmara]] e Manuel Monterroso (principais impulsionadores); o “miar” de [[André Brun]], [[Aquilino Ribeiro]] e [[Gomes Leal]]; as caricaturas de renomes portugueses e estrangeiros como [[Christiano de Carvalho]], [[Armando Basto]], Steinlen, Louis Raemaekers, Balluriau e Guilbransou, Lucien Metivet, Paul Iribe, Poulbot , Luis Bagaria e a perícia artística de [[Manuel Gustavo Bordalo Pinheiro|Gustavo Bordalo Pinheiro]] e [[Diogo de Macedo]].
Quanto ao interior de ''Miau!'', nele reina o protesto, a contestação contra “os erros dos homens”. ''Miau!'' assume-se como um grito assanhado que deixa atrás de si um eco de insatisfação. <ref >{{Citar web |autor=Rita Correia |data=24 de Novembro de 2010 |título=Ficha histórica: Miau! (1916)|url= http://hemerotecadigital.cm-lisboa.pt/FichasHistoricas/Miau.pdf|formato=pdf |publicado=[[Hemeroteca Municipal de Lisboa]] |data=24 de Novembro de 2010 |acessodata=011 de Outubro de 2014}}</ref>
 
{{Referências}}