Diferenças entre edições de "Caixotão"

457 bytes removidos ,  18h20min de 26 de janeiro de 2018
sem resumo de edição
m (sock do Quintinense / mais um IP intermediário repondo ou validando as do Q)
Etiqueta: Remoção considerável de conteúdo
{{Sem-fontes|data=dezembro de 2017}}
[[Ficheiro:Palácio dos Capitães Generais, Salões, ilha Terceira, Açores.jpg|thumb|200px|Exemplo de tecto em caixotão, [[Palácio dos Capitães-Generais (Angra do Heroísmo)]].]]
 
Um '''caixotão''', ou mais raramente '''arca''' ou ainda às vezes '''caseto''' ou '''caixão''' (termo que provêm do americanismo Capsa, peito, gaveta)na [[Arquitetura]], é uma divisão quadrada e ornamentada, colocada nos [[tecto]]s de luxo. Nas coberturas abobadadas ou cupuladas, feitas de [[betão]], este processo ajuda a diminuir o peso de uma estrutura.<Ref>Ching, Francis D.K. (1995). A Visual Dictionary of Architecture. New York: John Wiley & Sons, Inc.. p. 30. ISBN 0-471-82451-3.</ref>
 
O tremo caixotão ou mais raramente arca ou ainda às vezes caseto ou caixão (termo que provêm do americanismo Capsa, peito, gaveta)Caixotão é um termo arquitetónico que designa cada um dos motivos geométricos ocos (como [[quadrado]]s, [[retângulo]]s ou [[octógono]]s) que são dispostos numa base regular (similar a uma placa xadrez) num [[telhado]] ou o interior de uma [[cúpula]].<ref name="Britannica">{{citar web|url=https://www.britannica.com/art/coffer-architectural-decoration|titulo="coffer"|autor= Encyclopædia Britannica Online|acessodata=17/10/2007}}</ref>
 
É uma técnica já utilizada na [[antiguidade clássica]]: um exemplo típico é dado no [[Panteão (Roma)]] ou a [[Basílica de Constantino]]. Mais tarde, tornou-se moda outra vez, especialmente durante o [[Renascimento]] e o [[Barroco]] e mais tarde no [[Neoclassicismo]].<ref name="Ching"/>
 
Observando um telhado ou uma cúpula contendo caixotões, muitas vezes dá a impressão de que é atravessado por raios ou [[moldura]]s que se cruzam nas esquinas.<ref name="Ching"/>
 
Esta estrutura não só se justifica por estética, mas o caixão também pode ser usado para reduzir o peso de uma cúpula, como no caso do [[Panteão de Roma]]. Os caixões são geralmente decorados com típicos tais [[roseta]]s e mesmo pintado.<ref name="Ching">Ching et al., Francis D.K. (2007). A Global History of Architecture. New York: John Wiley and Sons. p. 787. ISBN 0-471-82451-3.</ref>
 
Na construção moderna são chamados de caixões para a parte do prisma cúbico ou retangular, servindo de cofragem ou lajes nervuradas de cofragem de forma, ou forjados bidirecional.<ref name="Ching"/>
 
{{Referências}}
==Bibliografia==
* Ching, Francis D.K. (1995). A Visual Dictionary of Architecture. New York: John Wiley & Sons, Inc.. p. 30. ISBN 0-471-82451-3.
* An alternative, in a description of Domitian's audience hall by Statius, noted by Ulrich 2007:156, is laquearia, not a copyist's error, as it appears in Manilius' Astronomica (1.533, quoted by Ulrich).
* An example is the main hieron at Samothrace, where stone ceiling beams of the pronaos carried a coffered ceiling of marble slabs across a span of about 6.15 m (J.J. Coulton, Ancient Greek Architects at Work: Problems of Structure and Design (Cornell University Press) 1982:147.
* Roman wooden coffered ceilings are discussed in Roger Bradley Ulrich, Roman Woodworking, ch. "Roofing and ceilings" (Yale University Press) 2007.
* "coffer". Encyclopædia Britannica Online. Retrieved 2007-10-17.
* Ching et al., Francis D.K. (2007). A Global History of Architecture. New York: John Wiley and Sons. p. 787. ISBN 0-471-82451-3.
 
{{esboço-arquitetura}}