Abrir menu principal

Alterações

Sem alteração do tamanho, 19h27min de 31 de janeiro de 2018
sem resumo de edição
 
Seus livros alcançaram repercussão na Europa nos anos 1960 e 1970. Seus livros refletiam sobre os rumos políticos e sociais da América Latina.<ref name="Folha de S.Paulo">{{citar web|url=http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2014/04/1440731-escritor-gabriel-garcia-marquez-morre-aos-87-anos-no-mexico.shtml|título=Escritor Gabriel Garcia Marquez morre aos 87 anos no mexico|publicado=Folha de S.Paulo|acessodata=17 de abril de 2014}}</ref>
Teve como seu primeiro trabalho o romance "La Hojarasca" publicado em 1955. Em 1961 publica "Ninguém escreve ao coronel". A obra [[Relato de um náufrago]], muitas vezes apontada como seu primeiro romance, conta a história verídica do naufrágio de Luis Alejandro Velasco e foi publicado primeiramente no "El Espectador", somente sendo publicada em formato de livro anos depois, sem que o autor soubesse. O escritor colombiano possui obras de [[ficção]] e não ficção, tais como [[Crônica de uma morte anunciada]] e [[El amor en los tiempos del cólera|O amor nos tempos do cólera]]. Em 1967 publica [[Cem Anos de Solidão]] - livro que narra a história da família Buendía na cidade fictícia de [[Macondo]], desde sua fundação até a sétima geração -, considerado um marco da literatura latino-americana e exemplo único do estilo a partir de então denominado "Realismo Fantástico".<ref name=RBA-17-ABR-2014>{{citar web|URL=http://www.redebrasilatual.com.br/entretenimento/2014/04/gabriel-garcia-marquez-morreu-aos-87-anos-9871.html|título=Gabriel García Marquez morre aos 87 anos |autor=Rede Brasil Atual |data=17 de abril de 2014 |publicado=Rede Brasil Atual |acessodata=17 de abril de 2014 }}</ref> "Gabriel García Márquez se fez o  Cervantes do século XX, um criador absoluto. O cara que devolveu a autoestima dos latino-americanos", segundo o escritor Urariano Mota, no texto "Gabriel García Márquez aos 90 anos" http://jornalggn.com.br/blog/urariano-mota/gabriel-garcia-marquez-aos-90-anos-por-urariano-mota<nowiki/>Suas novelas e histórias curtas – fusões entre a realidade e a fantasia – o levaram ao Nobel de Literatura em 1982. Em 2002 publicou sua [[autobiografia]] [[Viver para contar]], logo após ter sido diagnosticado um [[câncer]] [[linfático]]. Marquéz apontou como o seu mestre o escritor Norte-Americano [[William Faulkner]].<ref>Garcia Marquéz e Apuleyo Mendonza "Aroma a Goiaba"</ref> Um dos seus livros mais importantes foi o famoso "Amor nos tempos do cólera".
 
== Cinema ==
Utilizador anónimo