Abrir menu principal

Alterações

33 bytes adicionados, 18h59min de 16 de fevereiro de 2018
aj. LI
[[Imagem:Steppenwolf (1971).png|thumb|left|[[Steppenwolf]] em 1971]]
 
O historiador de ''metal'' Ian Christe, descreveu o que os componentes do termo significavam em "''hippiespeak''", a "linguagem dos ''[[hippie]]s''" da época: "''heavy''", "pesado", seria um sinônimo aproximado de "potente" ou "profundo", e "''metal''" indicaria um certo tipo de estado de espírito, pesado e opressivo como o metal.<ref>Christe (2003), p. 10</ref> A palavra "''heavy''", neste sentido, era um elemento básico da cultura ''[[beatnik]]'' e, posteriormente, da [[gíria]] usada na contracultura, e referências à "música pesada" ("''heavy music''") — tipicamente variações mais lentas e mais amplificadas das canções ''pop'' tradicionais — já eram comuns em meados da década de 1960. O álbum de estreia do [[Iron Butterfly]], lançado no início de 1968, recebeu o título de ''[[Heavy (álbum de Iron Butterfly)|Heavy]]''. O primeiro uso do termo ''heavy metal'' numa gravação foi a referência a uma [[motocicleta]] na canção "[[Born to Be Wild]]", da banda [[Steppenwolf]], também lançada naquele ano:<ref>Walser (1993), p. 8</ref> "''I like smoke and lightning/Heavy metal thunder/Racin' with the wind/And the feelin' that I'm under.''" Uma alegação posterior, e questionada, sobre a fonte do termo, foi feita por [[Chas Chandler|"Chas" Chandler]], ex-empresário do [[Jimi Hendrix Experience]]; numa entrevista de 1995 ao programa ''Rock and Roll'', da [[Public Broadcasting Service|PBS]], ele assegurou que ''heavy metal'' "era um termo que veio de um artigo do ''[[The New York Times|New York Times]]'' sobre um ''show'' de [[Jimi Hendrix]]", onde o jornalista comparou o evento a "ouvir metal pesado caindo do céu." A fonte para esta alegação nunca foi encontrada.<ref name="origin">{{citar web|url=http://www.udiscovermusic.com/features/heavy-metal-thunder|título=Heavy metal thunder |data=|publicado=www.udiscovermusic.com|acessodata=}}</ref>
 
O primeiro uso documentado da expressão para descrever um tipo de ''rock'' foi em matérias do crítico musical Mike Saunders. Na edição de 12 de novembro de 1970 da revista ''[[Rolling Stone]]'', Saunders comentou a respeito de um álbum lançado no ano anterior pela banda britânica [[Humble Pie]]: "''As Safe As Yesterday Is'', seu primeiro lançamento nos Estados Unidos, provou que o Humble Pie podia ser tedioso das mais diversas maneiras. Aqui eles se mostravam uma banda de um ''rock'' de merda, ''heavy metal'' arrastado, barulhento e sem melodia, com as partes altas e barulhentas óbvias demais. Havia umas duas canções boas… e uma pilha monumental de lixo."<ref>"''[[As Safe As Yesterday Is|Safe As Yesterday Is]],'' their first American release, proved that Humble Pie could be boring in lots of different ways. Here they were a noisy, unmelodic, heavy metal-leaden shit-rock band with the loud and noisy parts beyond doubt. There were a couple of nice songs…and one monumental pile of refuse."</ref> Ele ainda descreveu o seu álbum mais recente, lançado com o mesmo nome da banda, como "mais da mesma porcaria de ''metal'' pesado de 27.ª categoria."<ref>{{citar web|título=Humble Pie: Town and Country; As Safe As Yesterday Is; Humble Pie|autor=Saunders, Mike|obra=Rolling Stone|data=12 de novembro de 1970|url=http://www.rocksbackpages.com/Library/Article/humble-pie-town-and-country-as-safe-as-yesterday-is-humble-pie |acessodata=17 de dezembro de 2007}}</ref> Numa crítica do álbum ''Kingdom Come'', de Sir Lord Baltimore, na edição de maio de 1971 da revista ''[[Creem]]'', Saunders escreveu: "Sir Lord Baltimore parece ter dominado todos os melhores truques do manual do ''heavy metal''.<ref>''"Sir Lord Baltimore seems to have down pat most all the best heavy metal tricks in the book."''; {{citar web|título=SIR LORD BALTIMORE – KINGDOM COME (1970)|autor=Saunders, Mike|obra=[[Creem]]|data= maio de 1971|url=http://bandaspread.com/sir-lord-baltimore-kingdom-come-1970/ |acessodata= 17 de março de 2007}}</ref> O crítico [[Lester Bangs]], da ''Creem'', recebeu o crédito pela popularização do termo, através de seus ensaios, escritos no início da década de 1970, sobre bandas como [[Led Zeppelin]] e [[Black Sabbath]].<ref>Weinstein (1991), p. 19</ref> Por toda a década, a expressão ''heavy metal'' foi usada por alguns críticos como uma forma praticamente automática de se fazer um comentário depreciativo. Em 1979 o popular crítico musical do ''New York Times'', John Rockwell, descreveu o que ele chamou de "''heavy-metal rock''" como "música brutalmente agressiva tocada principalmente para mentes enevoadas pelas drogas,"<ref>Rockwell, John. ''[[The New York Times]]'', 4 de fevereiro de 1979, p. D22</ref> e, num artigo diferente, como "um exagero cru dos elementos básicos do ''rock'' que agrada a adolescentes brancos."<ref>Rockwell, John. ''The New York Times'', 13 de agosto de 1979, p. C16</ref>