Diferenças entre edições de "João de Barros"

2 bytes removidos ,  11h11min de 18 de fevereiro de 2018
m
Foram revertidas as edições de 178.166.5.214 para a última revisão de Hipersyl, de 11h20min de 9 de fevereiro de 2018 (UTC)
Etiquetas: Editor Visual Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
m (Foram revertidas as edições de 178.166.5.214 para a última revisão de Hipersyl, de 11h20min de 9 de fevereiro de 2018 (UTC))
Etiqueta: Reversão
'''João de Barros''', chamado ''o Grande'' ou ''o [[Tito Lívio]] Português'', ([[Viseu]], c. [[1496]] — [[Pombal]], [[Litém|Ribeira de Alitém]], [[20 de Outubro]] de [[1570]]) é geralmente considerado o primeiro grande historiador [[Portugal|português]] e pioneiro da [[gramática]] da [[língua portuguesa]], tendo escrito a segunda obra a normatizar a língua, tal como falada em seu tempo.
 
== BiografiaplBiografia ==
=== Juventude e cargos na Casa da Índia ===
Filho bastardo de um nobre, Lopo de Barros, [[Corregedor]] de [[Entre Tejo e Guadiana]], foi educado na corte de [[Manuel I de Portugal|Dom Manuel I]], no período de maior apogeu dos [[descobrimentos portugueses]], tendo ainda na sua juventude concebido a ideia de escrever uma história dos portugueses no oriente. Sua prolífica carreira literária iniciou-se com pouco mais de vinte anos, ao escrever um [[romances de cavalaria portugueses|romance de cavalaria]], a ''[[Crónica do Emperador Clarimundo, donde os Reys de Portugal descendem]]'', dedicado ao soberano e ao príncipe herdeiro Dom João.