Abrir menu principal

Alterações

1 byte adicionado, 23h06min de 19 de fevereiro de 2018
sem resumo de edição
sepultamento = [[Igreja dos Santos Apóstolos]], [[Constantinopla]], [[Turquia]]
}}
'''Flávio Pedro Sabácio Justiniano Augusto''' ({{langx|la|''Flavius Petrus Sabbatius Iustinianus Augustus''}}; {{langx|qgk|Φλάβιος Πέτρος Σαββάτιος Ιουστινιανός||''Flávios Pétros Sabbátios Ioustinianós''}}; [[Taurésio]], c. [[482]] — [[Constantinopla]], {{morte|14|11|565|si}}), também conhecido como '''Justiniano, o Grande''' e '''São Justiniano, o Grande''' na [[Igrejaigreja Ortodoxa]], foi [[imperador bizantino]] de 527 a 565. Em seu reinado, procurou reviver a grandeza do Estado (''renovatio imperii''){{sfn|Haldon|2003|p=17–19}} e reconquistar [[Império Romano do Ocidente|Império Romano Ocidental]] perdido aos [[bárbaros]]. Seu governo constitui uma época distintiva na história do [[Império Romano Tardio]].
 
Apesar de pertencer a uma família de origem humilde, que se crê ser de origem [[Ilírico (província romana)|Ilírica]]<ref>{{citar livro|titulo=The Cambridge Companion to the Age of Justinian.|ultimo=Maas|primeiro=Michael|editora=Cambridge University Press.|ano=2005}}</ref><ref>{{citar livro|titulo=A history of the Byzantine state and society|ultimo=Treadgold|primeiro=Warren T.|editora=Stanford University Press|ano=1997|isbn=978-0-8047-2630-6|local=|paginas=246|acessodata=}}</ref><ref>{{citar livro|titulo=Justinian and the later Roman Empire|ultimo=Barker|primeiro=John W.|editora=University of Wisconsin Press|ano=1966|isbn=978-0-299-03944-8paginas=75}}</ref> ou [[Trácia (província romana)|Trácia]]<ref>{{citar livro|titulo=Justinian and Theodora|ultimo=Browning|primeiro=Robert|editora=Gorgias Press|ano=2003}}</ref><ref>{{citar livro|titulo=Shifting Genres in Late Antiquity|ultimo=Geoffrey Greatrex e Hugh Elton|primeiro=|editora=Ashgate Publishing, Ltd.|ano=2015|isbn=1472443500|local=|paginas=259|acessodata=}}</ref><ref>{{citar livro|titulo=Pannonia and Upper Moesia: A History of the Middle Danube Provinces of the Roman Empire|ultimo=Mócsy|primeiro=András|editora=Routledge|ano=2014|isbn=1317754255|local=|paginas=350|acessodata=}}</ref>. Foi nomeado cônsul ligado ao trono por seu tio [[Justino I]], a quem sucedeu, após a morte deste (527) sendo o cognome ''Justinianus'', que este adoptou mais tarde, um indicativo da sua adopção pelo seu Tio [[Justino I|Justino]]<ref>As únicas fontes para o nome completo de Justiniano, ''Flavius Petrus Sabbatius Iustinianus'' (algumas vezes chamado de ''Flavius Anicius Iustinianus''), são [[díptico]]s consulares do ano 521 com o seu nome.</ref>. Culto, ambicioso, dotado de grande inteligência, o jovem Justiniano parecia talhado para o cargo. O [[Império Bizantino]] brilhou durante o seu governo. Na [[Páscoa]] de 527, ele e a sua esposa, [[Teodora (esposa de Justiniano)|Teodora]], foram solenemente coroados. Sobre Teodora, sabe-se que era filha de um tratador de [[urso]]s do hipódromo e que tivera uma juventude desregrada, escandalizando a cidade com as suas aventuras de atriz e dançarina. Não se sabe exatamente como Justiniano a conheceu. Seu matrimônio com a antiga bailarina de circo e prostituta teria grande importância, uma vez que ela iria influenciar decisivamente em algumas questões políticas e religiosas. Justiniano cercou-se de um estreito grupo de colaboradores, entre eles [[Triboniano]], [[Belisário]], [[João da Capadócia]] e [[Narses]]. Segundo Procópio, um escritor daquele tempo, Justiniano aspirava a restabelecer o antigo esplendor de [[Império Romano|Roma]], motivo pelo qual concretizou toda a ampla série de campanhas posteriores.<ref>{{citar livro|autor=Michael Withe|título=O Grande Livro das Coisas Horríveis|editora=Texto|ano=2011|páginas=65|id=9789724745183}}</ref>
Utilizador anónimo