Diferenças entre edições de "Rosacrucianismo"

694 bytes removidos ,  20h00min de 20 de fevereiro de 2018
m
Acerto de redundâncias de texto
(Coreções diversas)
m (Acerto de redundâncias de texto)
Tradicionalmente, os rosa-cruzes se dizem herdeiros de tradições antigas que remontam à [[alquimia]] [[Idade Média|medieval]], ao [[gnose|gnosticismo]], ao [[ocultismo]], ao [[hermetismo]] no antigo [[Egipto|Egito]], à [[cabala]] e ao [[neoplatonismo]].
 
Em ''The Muses' Threnodies'', de H. Adamson (Perth, 1638) encontra-se o seguinte:<br />
 
"''Pois o que pressagiamos não está em grande,<br /> Pois somos irmãos da Rosa Cruz; <br />Temos a Palavra Maçónica e a [[Clarividência|segunda visão]], <br />Coisas por acontecer nós podemos prever acertadamente.''".
 
O texto se refere ao conhecimento [[esoterismo|esotérico]] que é tradicionalmente atribuído aos rosacruzes.
 
''Pois o que nós pressagiamos não é óbvio,<br />Pois somos irmãos da Rosa Cruz;<br />Temos a Palavra maçônica e a segunda visão,<br />Coisas por vir, podemos predizer corretamente.''
 
O rosacrucianismo pode ser compreendido, de um ponto de vista mais amplo, como parte da corrente de pensamento [[Hermes Trismegistos|hermético]]-[[cristão|cristã]]. Nesse contexto, é clara a influência do ''[[Corpus Hermeticum]]'' que, após 1000 anos de esquecimento, foi traduzido em 1460 por [[Marcílio Ficino]], a figura central da [[Academia Platônica]] de [[Florença]], para atender a uma encomenda de [[Cosme de Médici]]. Nas ''[[Núpcias Alquímicas de Christian Rozenkreuz]]'', é dito que "[[Hermes Trismegistos|Hermes]] é a fonte primordial".
Alguns estudiosos modernos, por exemplo [[Adam McLean]] e [[Giordano Berti]], assumem que, entre os primeiros seguidores da Cruz da Rosa, havia também o teólogo alemão [[Daniel Cramer]], que em 1617 publicou um tratado bizarro Intitulado "Societas Jesus et Rosae Crucis Vera", que contém 40 figuras emblemáticas acompanhadas de citações bíblicas.<ref>Veja. Adam McLean (editor), '' Os Emblemas Rosacruzos de Daniel Cramer: A Verdadeira Sociedade de Jesus e a Rosy Cross '' (Edimburgo, 1991) e Giordano Berti (editor), 'The Sibyl of the Heart' '(Boves , 2015).</ref>
[[Imagem:Prosphil.jpg|thumb | Frater C.R.C. - [[Christian Rosenkreuz|Christian Rose Cross]] (representação simbólica)]]
 
As obras literárias dos séculos XVI e XVII estavam cheias de passagens enigmáticas contendo referências à Cruz de Rosa, como no seguinte (um pouco modernizado):
 
{{Citação|Pois o que fazemos não está no grande,
Pois somos irmãos da Rosa Cruz;
Nós temos a palavra maçônica e a segunda vista,
As coisas por vir, podemos prever corretamente.| [[Henry Adamson]] | The Muses 'Threnodie (Perth, 1638).}}
 
A ideia de tal ordem, exemplificada pela rede de astrônomos, professores, matemáticos e filósofos naturais na Europa do {{séc|XVI}}, promovida por homens como [[Johannes Kepler]], [[Georg Joachim Rheticus]], [[John Dee]] E [[Tycho Brahe]], deu origem ao [[Colégio Invisível]]. Este foi o precursor da [[Royal Society]] fundada em 1660.<ref>"As origens da Royal Society residem em uma" faculdade invisível "de filósofos naturais que começaram a se reunir em meados da década de 1640 para discutir a nova filosofia de Promovendo o conhecimento do mundo natural através da observação e da experiência, que chamamos de ciência ". Http://royalsociety.org/about-us/history acessado 2 de maio de 2014</ref> Foi constituído por um grupo de cientistas que começaram a realizar reuniões regulares para compartilhar e desenvolver o conhecimento adquirido por investigação experimental. Entre estes foram [[John Wilkins]], [[John Wallis]] e [[Robert Boyle]], que escreveu: "as pedras angulares do Colégio Invisível (ou como se denominam o Filosófico), de vez em quando me honram com a companhia deles..."<ref name="R Lomas 2002">Citado por R Lomas (2002) em "The Invisible College", Londres</ref>.
[[Fernando Pessoa]], no seu poema "No Túmulo de Christian Rosenkreutz", traça toda uma série de jogos de linguagem, que remetem para o domínio da gnose cristã, e, consequentemente, de correntes como o rosacrucianismo, o [[martinismo]], a [[maçonaria]] (sobre diversas formas e ritos, e respectivos graus).
 
{{cquote|''<poem>
I
 
 
Calmo na falsa morte a nós exposto,<br/>O Livro ocluso contra o peito posto,<br/>Nosso Pai Rosaecruz conhece e cala.
</poem>}}
 
== Organizações modernas ==
1 520

edições