Abrir menu principal

Alterações

1 236 bytes removidos ,  04h56min de 25 de fevereiro de 2018
m
Foram revertidas as edições de Ramsesmagno para a última revisão de 2804:14D:8C87:91D1:19FE:EE1D:B757:7713, de 22h12min de 24 de f...
|sítio_oficial = [http://www.icmbio.gov.br/parnalencoismaranhenses/ www.ICMBio.gov.br]
}}
O '''[[parque nacional]] dos Lençóis Maranhenses''' é uma [[Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza#Unidades de conservação|unidade de conservação]] [[brasil]]eira de proteção integral à natureza localizada na região nordeste do [[Unidades federativas do Brasil|estado]] do [[Maranhão]]. O território do parque, com uma área de {{Fmtn|156584|[[Hectare|ha]]}}, está distribuído pelos municípios de [[Barreirinhas]], [[Primeira Cruz]] e [[Santo Amaro do Maranhão]].<ref name="cnuc_página"/> O parque foi criado com a finalidade precípua de "proteger a flora, a fauna e as belezas naturais, existentes no local."<ref name="decreto_86060"/>
 
Inserido no bioma [[Biomas_do_Brasil#Bioma_marinho|costeiro marinho]], o parque é um exponente dos [[ecossistema]]s de mangue, restinga e dunas, associando ventos fortes e chuvas regulares. Sua grande beleza cênica, aliada aos passeios pelos campos de dunas e à possibilidade de banhar-se nas lagoas, atraem turistas de todo o mundo, que visitam o parque durante o ano inteiro.<ref name="icmbio_visitacao" />
O território do parque, com uma área de {{Fmtn|156584|[[Hectare|ha]]}}, está distribuído pelos municípios de [[Barreirinhas]], [[Primeira Cruz]] e [[Santo Amaro do Maranhão]].<ref name="cnuc_página" />
 
==Histórico==
O parque foi criado com a finalidade precípua de "proteger a flora, a fauna e as belezas naturais, existentes no local."<ref name="decreto_86060" />
[[Imagem:Lençóis Maranhenses - Por do Sol nas dunas.webm|thumb|esquerda|Lençóis Maranhenses - Por do Sol nas dunas]]
 
O parque nacional dos Lençóis Maranhenses foi criado em [[terras devolutas]] pertencentes à [[União (Brasil)|União]] através do Decreto Nº 86.060, emitido em {{Dtlink|2|6|1981}} pela [[Presidente do Brasil|Presidência da República]]. A área do parque, conforme o decreto de criação, era de {{Fmtn|155000|[[Hectare|ha]]}}, área equivalente a cerca de 140 mil campos de futebol.<ref name="decreto_86060"/> O filme [[Casa de Areia]] foi gravado dentro do parque.<ref name="folhadesp-casadeareia">{{Citar web|url=http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u50494.shtml|título=Locação do filme "Casa de Areia" foi um desafio para produção |acessodata=7 de março de 2013|autor=Folha Online|ano=2005}}</ref>
Inserido no bioma [[Biomas_do_Brasil#Bioma_marinho|costeiro marinho]], o parque é um exponente dos [[ecossistema]]s de mangue, restinga e dunas, associando ventos fortes e chuvas regulares.
 
Sua grande beleza cênica, aliada aos passeios pelos campos de dunas e à possibilidade de banhar-se nas lagoas, atraem turistas de todo o mundo, que visitam o parque durante o ano inteiro.<ref name="icmbio_visitacao" />
 
==Histórico==
[[Ficheiro:Rio Preguiça.jpg|esquerda|miniaturadaimagem|Rio Preguiças]]
O parque nacional dos Lençóis Maranhenses foi criado em [[terras devolutas]] pertencentes à [[União (Brasil)|União]] através do Decreto Nº 86.060, emitido em {{Dtlink|2|6|1981}} pela [[Presidente do Brasil|Presidência da República]]. A área do parque, conforme o decreto de criação, era de {{Fmtn|155000|[[Hectare|ha]]}}, área equivalente a cerca de 140 mil campos de futebol.<ref name="decreto_86060"/> O filme [[Casa de Areia]] foi gravado dentro do parque.<ref name="folhadesp-casadeareia">{{Citar web|url=http://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u50494.shtml|título=Locação do filme "Casa de Areia" foi um desafio para produção |acessodata=7 de março de 2013|autor=Folha Online|ano=2005}}</ref>
 
==Caracterização da área==
O parque localiza-se na [[Microrregião dos Lençóis Maranhenses]], ao norte do [[Brasil]], no [[litoral]] nordeste do [[Unidades federativas do Brasil|estado]] do [[Maranhão]]. Com um perímetro de {{Fmtn|270|[[Quilómetro|km]]}} e {{Fmtn|156584|[[Hectare|ha]]}} de área, o parque está inserido no [[bioma]] [[Biomas_do_Brasil#Bioma_marinho|costeiro marinho]], com [[ecossistema]]s de mangue, restinga e dunas. ''Lençóis Maranhenses'' abriga em seu interior aproximadamente {{Fmtn|90000|ha}} de dunas livres e lagoas interdunares de água doce, além de grandes áreas de [[restinga]] e de costa oceânica. A faixa de dunas avança, a partir da costa, de 5 a {{Fmtn|25|[[Quilômetro|km]]}} em direção ao interior. Na região encontra-se a nascente do [[rio Preguiças]], que corta o parque até a sua foz no [[oceano Atlântico]].<ref name="cnuc_página" /><ref name="icmbio" /><ref name="icmbio_visitacao">{{citar web|url=http://www.icmbio.gov.br/portal/o-que-fazemos/visitacao/ucs-abertas-a-visitacao/191-parque-nacional-dos-lencois-maranhenses|título=Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses - Visitação|publicado=Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)|acessodata=29 de agosto de 2012}}</ref><ref name="encarte 01">{{Citar web|url=http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/03ENCARTE1.pdf|formato=PDF|título=Plano de Manejo - Encarte 1 - Informações Gerais da Unidade de Conservação|publicado=Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)|acessodata=20 de janeiro de 2013}}</ref><ref name="ECOECO" />
O parque localiza-se na [[Microrregião dos Lençóis Maranhenses]], ao norte do [[Brasil]], no [[litoral]] nordeste do [[Unidades federativas do Brasil|estado]] do [[Maranhão]].
 
A característica fisiográfica do Parque, devido a apresentar uma área de relevo plano, constituído por areias quartzosas marinhas e cordões de imensas dunas de coloração branca, as quais assemelham-se a “lençóis jogados sobre a cama”, originou a denominação da Unidade de Conservação de Lençóis Maranhenses.
Com um perímetro de {{Fmtn|270|[[Quilómetro|km]]}} e {{Fmtn|156584|[[Hectare|ha]]}} de área, o parque está inserido no [[bioma]] [[Biomas_do_Brasil#Bioma_marinho|costeiro marinho]], com [[ecossistema]]s de mangue, restinga e dunas. ''Lençóis Maranhenses'' abriga em seu interior aproximadamente {{Fmtn|90000|ha}} de dunas livres e lagoas interdunares de água doce, além de grandes áreas de [[restinga]] e de costa oceânica.
 
O parquemaior atrativo são as dunas, rios, lagoas e manguezais. A UC conserva um raro fenômeno geológico formado há milhares de anos. Apesar de assemelhar-se a um deserto, a região formada por dunas é banhada por inúmeros rios. Algumas das principais lagoas são: a Lagoa Azul e Lagoa Bonita (é preciso subir uma duna de 40 metros de altura para chegar à lagoa), Lagoa da Esperança, Lagoa da Gaivota, Lagoa da Betânia e a Lagoa das Emendadas.
A faixa de dunas avança, a partir da costa, de 5 a {{Fmtn|25|[[Quilômetro|km]]}} em direção ao interior. Na região encontra-se a nascente do [[rio Preguiças]], que corta o parque até a sua foz no [[oceano Atlântico]].<ref name="cnuc_página" /><ref name="icmbio" /><ref name="icmbio_visitacao">{{citar web|url=http://www.icmbio.gov.br/portal/o-que-fazemos/visitacao/ucs-abertas-a-visitacao/191-parque-nacional-dos-lencois-maranhenses|título=Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses - Visitação|publicado=Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)|acessodata=29 de agosto de 2012}}</ref><ref name="encarte 01">{{Citar web|url=http://www.icmbio.gov.br/portal/images/stories/imgs-unidades-coservacao/03ENCARTE1.pdf|formato=PDF|título=Plano de Manejo - Encarte 1 - Informações Gerais da Unidade de Conservação|publicado=Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio)|acessodata=20 de janeiro de 2013}}</ref><ref name="ECOECO" />
 
A característica fisiográfica do Parque, devido a apresentar uma área de relevo plano, constituído por areias quartzosas marinhas e cordões de imensas dunas de coloração branca, as quais assemelham-se a “lençóis jogados sobre a cama”, originou a denominação da Unidade de Conservação de Lençóis Maranhenses.
 
O maior atrativo são as dunas, rios, lagoas e manguezais.
 
O parque conserva um raro fenômeno geológico formado há milhares de anos. Apesar de assemelhar-se a um deserto, a região formada por dunas é banhada por inúmeros rios. Algumas das principais lagoas são: a Lagoa Azul e Lagoa Bonita (é preciso subir uma duna de 40 metros de altura para chegar à lagoa), Lagoa da Esperança, Lagoa da Gaivota, Lagoa da Betânia e a Lagoa das Emendadas.
 
Os povoados de Caburé, Atins e Mandacaru são pontos de parada. Em Barreirinhas, é possível visitar as praias Ponta do Mangue, Moitas, Vassouras, Morro do Boi e Barra do Tat
 
=== Clima ===
O clima é sub-úmido seco, com temperatura média anual de {{Fmtn|26|[[Grau Celsius|°C]]}}. Apesar da aparência desértica da área do parque, o clima da região tem duas estações bem definidas: uma chuvosa, que vai de janeiro a julho, e outra seca, de agosto a dezembro. As chuvas contribuem para o controle da umidade da região e formação de lagos. Entre dezembro e janeiro, e às vezes até o final de fevereiro, no período de transição entre as estações chuvosa e seca, os lençóis maranhenses ocasionalmente secam, fazendo com que as lagoas azuladas ou esverdeadas desapareçamdesaparecem.<ref name="ECOECO">{{Citar web|url=https://www.ecoeco.org.br/conteudo/publicacoes/encontros/vii_en/mesa2/trabalhos/analise_do_potencial_economico.pdf|titulo=Análise do potencial socioeconômico e socioambiental do artesanato do buriti em comunidades tradicionais nos lençóis maranhenses|primeiro=Nicholas|último=Saraiva|coautores=Sawyer, Donald|formato=PDF|acessodata=1 de março de 2012}}</ref> A precipitação média nos anos de [[1997]] e [[1998]] foi respectivamente de {{Fmtn|783.3}} e {{Fmtn|991.8|[[Milímetro|mm]]}}.<ref name="clima">{{Citar web|url=http://www.ib.usp.br/limnologia/Lencois/Regiao/clima.htm|título=CARACTERÍSTICAS GERAIS DA REGIÃO DO PARQUE NACIONAL DOS LENÇÓIS MARANHENSES, MARANHÃO, BRASIL - CLIMA|primeiro= Marcelo L. M.|último=Pompêo|coautores=Moschini-Carlos, Viviane|acessodata=20 de janeiro de 2013}}</ref>
[[Ficheiro:Margem do Rio Preguiça.jpg|miniaturadaimagem|297x297px]]
O clima é [[Clima tropical com estação seca|tropical semi-úmido]], com temperatura média anual de {{Fmtn|26|[[Grau Celsius|°C]]}}. Apesar da aparência desértica da área do parque, o clima da região tem duas estações bem definidas: uma chuvosa, que vai de janeiro a julho, e outra seca, de agosto a dezembro.
 
=== Fauna e Flora ===
As chuvas contribuem para o controle da umidade da região e formação de lagos. Entre dezembro e janeiro, e às vezes até o final de fevereiro, no período de transição entre as estações chuvosa e seca, os lençóis maranhenses ocasionalmente secam, fazendo com que as lagoas azuladas ou esverdeadas desapareçam.<ref name="ECOECO">{{Citar web|url=https://www.ecoeco.org.br/conteudo/publicacoes/encontros/vii_en/mesa2/trabalhos/analise_do_potencial_economico.pdf|titulo=Análise do potencial socioeconômico e socioambiental do artesanato do buriti em comunidades tradicionais nos lençóis maranhenses|primeiro=Nicholas|último=Saraiva|coautores=Sawyer, Donald|formato=PDF|acessodata=1 de março de 2012}}</ref>
O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses tem uma paisagem vegetal natural que ocupa predominantemente as bordas do mar de dunas que o compõem. Esta vegetação é composta de restinga, manguezal e comunidades aluviais, sendo, entretanto, a restinga a vegetação predominante do Parque, representando 89,4%, enquanto os manguezais representam apenas 10,2% e as comunidades aluviais (matas ciliares) 0,4%.<ref name=":0">{{Citar web|url=http://www.wikiparques.org/wiki/Parque_Nacional_dos_Len%C3%A7%C3%B3is_Maranhenses|titulo=Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses - WikiParques|acessodata=2018-02-24|obra=www.wikiparques.org|lingua=pt-BR}}</ref>
 
A flora dos Lençóis tem espécies de ampla utilidade, desde aquelas com propriedades medicinais, passando por plantas têxteis, taníferas, ceríferas e produtoras de óleo, além de madeiras úteis.<ref name=":0" />
Na região, a precipitação média anual registrada pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) é estável em torno de 1600 mm em Barreirinhas, o que explica a formação das enormes lagoas que formam a paisagem dos Lençóis Maranhenses. As maiores podem chegar a 5 metros de profundidade no período das chuvas: mais de 85% de toda a chuva que vai por lá se precipita no primeiro semestre.<ref>{{Citar periódico|data=2017-04-28|titulo=Como se formam as enormes dunas dos Lençóis Maranhenses?|url=https://www.vix.com/pt/ciencia/544963/como-se-formam-as-enormes-dunas-dos-lencois-maranhenses|jornal=VIX|lingua=pt-br}}</ref>
 
=== Fauna e Flora ===
[[Ficheiro:As palmeiras e o rio.jpg|miniaturadaimagem|265x265px|rio Preguiças]]
O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses tem uma paisagem vegetal natural que ocupa predominantemente as bordas do mar de dunas que o compõem. Esta vegetação é composta de restinga, manguezal e comunidades aluviais, sendo, entretanto, a restinga a vegetação predominante do Parque, representando 89,4%, enquanto os manguezais representam apenas 10,2% e as comunidades aluviais (matas ciliares) 0,4%.<ref name=":0">{{Citar web|url=http://www.wikiparques.org/wiki/Parque_Nacional_dos_Len%C3%A7%C3%B3is_Maranhenses|titulo=Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses - WikiParques|acessodata=2018-02-24|obra=www.wikiparques.org|lingua=pt-BR}}</ref>
 
Já a fauna, abrigam-se aves migratórias como maçaricos, trinta-réis-boreal e marreca-de-asa-azul.<ref name=":0" />
A flora dos Lençóis tem espécies de ampla utilidade, desde aquelas com propriedades medicinais, passando por plantas têxteis, taníferas, ceríferas e produtoras de óleo, além de madeiras úteis.<ref name=":0" />
 
Nos manguezais destacam-se a jacaretingá, o veado-mateiro e a paca.<ref name=":0" />
Já a fauna, abrigam-se aves migratórias como maçaricos, trinta-réis-boreal e marreca-de-asa-azul.<ref name=":0" />
 
O conhecimento da herpetofauna no Maranhão é pequeno e fragmentado. Merece destaque o registro da ocorrência de tartaruga-pininga (Trachemys adiutrix). A espécie é endêmica para a área dos Lençóis Maranhenses e pertence a um gênero originalmente norte americano.<ref name=":0" />
Nos manguezais destacam-se a jacaretingá, o veado-mateiro e a paca.<ref name=":0" />
[[Ficheiro:Vista aérea rio Preguiça e o mar nos Lençois Maranhenses.jpg|miniaturadaimagem|260x260px|Vista aérea do rio Preguiças]]
O conhecimento da herpetofauna no Maranhão é pequeno e fragmentado. Merece destaque o registro da ocorrência de tartaruga-pininga (Trachemys adiutrix). A espécie é endêmica para a área dos Lençóis Maranhenses e pertence a um gênero originalmente norte americano.<ref name=":0" />
 
Durante o levantamento ornitológico foram registradas 112 espécies para a região do parque e áreas adjacentes, pertencentes a 16 ordens e 43 famílias. A região do Parque tem uma certa importância para as espécies migratórias da América do Norte, de onde chegam no período inicial do ano. Estas compreenderiam cerca de 15% da diversidade local. Por outro lado, esta relevância aparenta ser pequena, principalmente quando comparada com a costa centro-norte do Brasil, a qual inclui o litoral ocidental do Maranhão.<ref name=":0" />
[[Ficheiro:Lençóis Maranhenses - VI.jpg|miniaturadaimagem|269x269px]]
A diversidade de espécies de mamíferos também aparenta ser baixa, principalmente dentro dos limites do Parque. Na verdade, estes são observados com maior frequência nas áreas de entorno, principalmente em direção ao povoado de Boa Vista (segundo informes locais), ou seja, na vegetação de fisionomia tipicamente de Cerrado.<ref name=":0" />
 
A diversidade de espécies de mamíferos também aparenta ser baixa, principalmente dentro dos limites do Parque. Na verdade, estes são observados com maior frequência nas áreas de entorno, principalmente em direção ao povoado de Boa Vista (segundo informes locais), ou seja, na vegetação de fisionomia tipicamente de Cerrado.<ref name=":0" />
A grande maioria das espécies, tanto de aves quanto de mamíferos apresentam ampla distribuição geográfica, são relativamente comuns e têm baixa especificidade de habitat, tendo, portanto, um baixo grau de vulnerabilidade à extinção.
 
A grande maioria das espécies, tanto de aves quanto de mamíferos apresentam ampla distribuição geográfica, são relativamente comuns e têm baixa especificidade de habitat, tendo, portanto, um baixo grau de vulnerabilidade à extinção. Até o presente, foram registradas a ocorrência de quatro espécies consideradas ameaçadas de extinção pelo governo brasileiro, uma de ave e três de mamíferos: o guará (Eudocinus ruber), a lontra (Lontra longicaudis), o gato-do-mato/pintadinho (Leopardus tigrinus) e o peixe-boi-marinho (Trichechus manatus).<ref name=":0" />
 
==Acesso e visitação==
[[Imagem:Lagoa interdunar no interior do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.jpg|thumb|esquerda|Lagoa interdunar no interior do parque|330x330px]]
[[Imagem:Grande Andorinha.jpg|thumb|esquerda|Vista das Lagoas e dunas do parque.]]
A sede do parque está a cerca de {{Fmtn|260|km}} da capital do estado, [[São Luís (Maranhão)|São Luís]], e às margens do [[rio Preguiças]]. O acesso ao parque se dá tanto por via terrestre, através da [[BR 135]];, por via marítimaMarítima, entrando no canal do rio Preguiças em [[Atins]];, por via Fluvial, a partir de Barreirinhas, através do rio Preguiças;, e por via aérea, pelo [[aeroporto de Barreirinhas]].
 
O acesso ao parque por via terrestre a partir de São Luís se dá pelas rodovias BR-135 e BR-402, a Translitorânea, em {{Fmtn|272|km}} de estradas asfaltadas até [[Barreirinhas]]. Ônibus intermunicipais partem diariamente do Terminal Rodoviário de São Luís com destino a Barreirinhas. A partir de Barreirinhas adentra-se a área do parque através do rio Preguiças, usando tanto a linha regular com barcos, em uma viagem de cerca de quatro horas de duração até a foz do rio, como lanchas particulares, que fazem o trajeto em aproximadamente uma hora e meia. Barreirinhas possui uma pista de pouso para aeronaves de pequeno porte, recebendo voos fretados saindo de São Luís, que tem em torno de 50 minutos de duração.<ref name="icmbio_visitacao"/>
 
Outras opções de acesso ao parque por via terrestre incluem [[Humberto de Campos (Maranhão)|Humberto de Campos]], [[Primeira Cruz]], [[Santo Amaro do Maranhão]] e [[Paulino Neves]], municípios<ref>Portal da Secretaria de Turismo do Maranhão[http://www.maranhaounico.com.br/index.php/br/destino/lencois-maranhenses]</ref> a partir dos quais também é possível visitar o parque.
A partir de Barreirinhas, adentra-se a área do parque através do rio Preguiças, usando tanto a linha regular com barcos, em uma viagem de cerca de quatro horas de duração até a foz do rio, como lanchas particulares, que fazem o trajeto em aproximadamente uma hora e meia. Barreirinhas possui uma pista de pouso para aeronaves de pequeno porte, recebendo voos fretados saindo de São Luís, que tem em torno de 50 minutos de duração.<ref name="icmbio_visitacao" />
 
Outras opções de acesso ao parque por via terrestre incluem [[Humberto de Campos (Maranhão)|Humberto de Campos]], [[Primeira Cruz]], [[Santo Amaro do Maranhão]] e [[Paulino Neves]], municípios<ref>Portal da Secretaria de Turismo do Maranhão[http://www.maranhaounico.com.br/index.php/br/destino/lencois-maranhenses]</ref> a partir dos quais também é possível visitar o parque.[[Imagem:Grande Andorinha.jpg|thumb|Vista das Lagoas e dunas do parque.|349x349px]]O local foi cenário do filme [[Casa de Areia]].<ref>[http://cinema.uol.com.br/ultnot/2005/04/25/ult831u1169.jhtm "Casa de Areia" promove encontro das Fernandas nos Lençóis Maranhenses], acesso em 31 de julho de 2016.</ref>
[[Ficheiro:Pássaros nos Lençois Maranhenses.jpg|esquerda|miniaturadaimagem|331x331px|
Guarás nos Lençois
]]
[[Ficheiro:A bela Lagoa da América, no Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses.jpg|nenhum|miniaturadaimagem|288x288px|Lagoa da América]]
 
{{Referências|col=2}}
159 171

edições