Abrir menu principal

Alterações

109 bytes adicionados, 18h56min de 4 de março de 2018
{{Artigo principal|Arte da Idade Média}}
 
A arte medieval, sendo uma derivação direta da arte romana, inicia com a [[arte paleocristã]], após a oficialização do [[cristianismo]] como religião do [[Império Romano]]. Trabalharam as formas clássicas para interpretar a nova doutrina religiosa. Porém, logo o estilo clássico se pulverizou em uma multiplicidade de escolas regionais, com o aparecimento de formas mais esquemáticas e simplificadas. Na arquitetura, destacou-se como o tipo [[basílica]], enquanto que na escultura os [[sarcófago]]s assumiram papel destacado, bem como os mosaicos e as pinturas das [[catacumba romana|catacumbas]]. A etapa seguinte constituiu a chamada [[arte bizantina]], incorporando influências [[oriente|orientais]] e gregas, e tendo no [[ícone]] e nos mosaicos seus gêneros principais. A [[arte românica]] seguiu-lhe paralelamente, recebendo a influência de povos bárbaros[[bárbaro]]s como os [[germânicos]], [[celtas]] e [[godos]]. Foi o primeiro estilo de arte internacional depois da [[queda do Império Romano do Ocidente]]. Eminentemente religiosa, a maioria da arte românica visa a exaltação e difusão do cristianismo. A arquitetura enfatiza o uso de abóbadas[[abóbada]]s e arcos[[arco]]s, começando a construção de grandes [[catedral|catedrais]], que continuará durante o [[Arquitetura gótica|gótico]]. A escultura se desenvolveu principalmente no âmbito arquitetônico, com formas esquematizadas. A [[arte gótica]] se desenvolveu entre os séculos XII e XVI, sendo um momento de florescimento econômico e cultural. A arquitetura foi profundamente alterada a partir da introdução do [[arco ogival]] e do [[arcobotante]], nascendo formas mais leves e mais dinâmicas, que possibilitaram a construção de edifícios mais altos e com aberturas maiores, tipificados na catedral gótica. A escultura continua principalmente enquadrada na obra arquitetônica, mas começou a desenvolver-se de forma autônoma, com formas mais realistas e elegantes inspirados pela natureza e, em parte, numa recuperação de influências clássicas. Aparecem grandes retábulos[[retábulo]]s escultóricos e a pintura desenvolve técnicas inovadoras como o [[pintura a óleo|óleo]] e a [[Têmpera (pintura)|têmpera]], criando-se obras de grande detalhamento.<ref>Azcárate et alii, p. 95-137</ref>
 
{{Centro|
Image:Mosaic of Justinian I - San Vitale - Ravenna 2016.jpg|Mosaico bizantino na [[Basílica de São Vital]] de [[Ravena]]
Ficheiro:KellsFol292rIncipJohn.jpg|Página do ''[[Livro de Kells]]'' da [[arte hiberno-saxónica]], no período românico
Ficheiro:Cathedral of Amiens front.jpg|[[Fachada]] principal da [[Catedral de Amiens]], gótica
</gallery>}}