Abrir menu principal

Alterações

175 bytes removidos, 19h59min de 5 de março de 2018
Na década posterior à publicação do livro, ele desenvolve estudos sobre a ordem espontânea, e desenvolve teses que relacionam as [[Ordem espontânea|ordens espontâneas]] da natureza e da sociedade. Muitas dessas ideias foram emprestadas do estudo da [[cibernética]].<ref>{{Citar periódico|ultimo=Oliva|primeiro=Gabriel|data=2015-10-06|titulo=The Road to Servomechanisms: The Influence of Cybernetics on Hayek from the Sensory Order to the Social Order|editora=Social Science Research Network|local=Rochester, NY|url=http://papers.ssrn.com/abstract=2670064}}</ref> Com influência das ideias de seu amigo [[Karl Popper|Popper]], ele trabalha sobre a epistemologia e o estudo de fenômenos complexos, tendo por artigo mais notável nessa área '''''The Theory of Complex Phenomena'''.'' Ele argumenta que, em fenômenos complexos, é possível apenas a previsão do padrão ou princípio de funcionamento do fenômeno, e nunca as características específicas que se apresentarão. Um exemplo notável disso é a teoria da evolução, em que não é possível a previsão de, por exemplo, qual espécie irá surgir, mas apenas o princípio de como se dará esse processo de surgimento.<ref>{{citar livro|url=https://direitasja.files.wordpress.com/2012/05/studies-in-philosophy-and-economics-friedrich-a-hayek.pdf|titulo=Studies in Philosophy, Politics and Economics|ultimo=|primeiro=|editora=|ano=|local=|paginas=22-42|acessodata=20 de julho de 2016}}</ref> Isso se aplica também à própria economia: as variáveis são tão grandes que é basicamente impossível fazer uma previsão de quais serão os preços em dada situação.<ref>{{citar livro|url=https://direitasja.files.wordpress.com/2012/05/studies-in-philosophy-and-economics-friedrich-a-hayek.pdf|titulo=Studies In Philosophy, Politics And Economics|ultimo=Hayek|primeiro=Friedrich|editora=|ano=|local=|paginas=34-36|citacao=[...] economic theory is confined to describing kinds of patterns which will appear if certain general conditions are satisfied, but can rarely if ever derive from this knowledge any predictions of specific phenomena [...] No economist has yet succeeded in making a fortune by buying or selling commodities on the basis of his scientific prediction of future prices (even though some may have done so by selling such predictions).|acessodata=}}</ref>
 
Posteriormente, ele publica um grande tratado sobre direito e liberalismo, chamado '''''Law, Legislation and Liberty''','' que viria a ser um complemento às ideias desenvolvidas em ''The Constitution of Liberty.''<ref>{{citar livro|url=http://www.libertarianismo.org/livros/lllfh.pdf|titulo=Law, Legislation and Liberty|ultimo=|primeiro=|editora=Routledge|ano=|local=|paginas=xix|acessodata=20 de julho de 2016}}</ref> Publicado em três volumes separados, os principais diferenciais do livro foram: o tratamento do papel do juiz numa sociedade livre, do sistema de [[Common law|commom law]] e a ênfase na ordem espontânea em oposição à ordem planejada (no volume 1);<ref>{{citar livro|url=http://www.libertarianismo.org/livros/lllfh.pdf|titulo=Law, Legislation and Liberty|ultimo=|primeiro=|editora=Routledge|ano=|volume=Volume 1|local=|paginas=|acessodata=20 de julho de 2016}}</ref> a crítica às modernas concepções de [[justiça social]] (no volume 2);<ref>{{Citar livro|url=http://press.uchicago.edu/ucp/books/book/chicago/L/bo5970048.html|titulo=Law, Legislation and Liberty, Volume 2|ultimo=|primeiro=|editora=|ano=|local=|paginas=|acessodata=20 de julho de 2016}}</ref> e a apresentação de um sistema de governo apelidado por ele de ''[[demarquia]],'' em que a [[democracia]] só existiria respeitando os princípios do Estado de Direito (no volume 3).<ref>{{Citar livro|url=http://press.uchicago.edu/ucp/books/book/chicago/L/bo3614030.html|titulo=Law, Legislation and Liberty, Volume 3}}</ref> <ref>{{citarHayek livro|título=New Studiesnas indemocracias Philosophy,contemporâneas Politics,o Economicsproblema andda thecentralização Historye ofda Ideas|ultimo=Hayek|primeiro=Friedrich|editora=|ano=|local=|página=97|páginas=|acessodata=}}</ref>degeneração Emdo umadireito. partePara doele, livroo constitucionalismo liberal, Hayekda forma como foi interpretado, falhou. Ele propõe umuma sistemademocracia constitucionallimitada emergencialna paraqual buscara solucionardivisão problemasdos concretospoderes detornaria seuquase tempo,impossível seudesrespeitar modeloo Estado de constituiçãoDireito, paraou seja, serviras normas de guiajusta paraconduta países''nomos'' semque tradiçãogarantem constitucionala liberalliberdade clássicaem sólidasociedade.<ref>{{citar livro|url=https://libsa.files.wordpress.com/2015/01/hayek-law-legislation-and-liberty.pdf|título=OrdemLaw, PolíticaLegislation de um Povoand LivreLiberty|ultimo=Hayek|primeiro=Friedrich|editora=VisãoRoutledge|ano=|local=São Paulo|páginapáginas=181-182|páginascapitulo=Introduction|acessodata=}}</ref><ref>{{citar Nesse modelolivro|título=Law, haveriaLegislation umand verdadeiraLiberty|ultimo=Hayek|primeiro=Friedrich|editora=Routledge|ano=|local=|páginas=|citacao=The divisãofact dosis poderes,that emthe quelegislators umaare Assembléiain Legislativa,general livrelargely da disciplinaignorant partidária, encarregaria de elaborar apenasof leislaw geraisproper, regrasthe delawyer's justalaw condutawhich queconstitutes valeriamthe pararules todos.of Caberiajust aconduct, umand Tribunalthey Constitucionalconcern pressionarthemselves pelomostly obedecimentowith àcertain formulaçãoaspects deof leisadministrative geraislaw emwhich talprogressively assembléia,created enquantofor othem governoa deseparate fatolaw even dein preferênciaEngland, awhere nívelit localwas –,once queunderstood seriathat encarregadothe deprivate funçõeslaw comolimited construçãothe epowers administraçãoof degovernmental infraestrutura,agents estariaas submetidomuch àsas leisthose elaboradasof nathe primeiraordinary assembléiacitizens.<ref>{{citar livro|url=http://www.libertarianismo.org/livros/lllfh.pdf|titulo=Law, Legislation and Liberty|ultimo=|primeiro=|editora=Routledge|ano=|volume=Volume 1|local=|paginas=105-128|acessodata=20 de julho de 2016}}</ref> Em relação à justiça social, Hayek diz que ela é uma expressão vazia de sentido. Justiça é um atributo de conduta individual, e nenhuma regra geral sobre o comportamento humano é capaz de levar a um padrão de distribuição de recursos pré-definido. Além disso, não há critérios objetivos para se dizer que um padrão de distribuição de recursos é mais "justo" que outro padrão.<ref>{{citar livro|url=https://direitasja.files.wordpress.com/2012/05/new-studies-in-philosophy-politics-and-economics-friedrich-a-hayek.pdf|titulo=New Studies in Philosophy, Politics, Economics and the History of Ideas|ultimo=Hayek|primeiro=Friedrich|editora=|ano=1978|local=|paginas=58|citacao=Justiça tem significado apenas como uma regra de conduta humana, e nenhuma regra concebível para a conduta de indivíduos fornecendo produtos e serviços entre si numa economia de mercado produziria uma distribuição que poderia ser chamada de justa ou injusta. Indivíduos podem comportar-se da forma mais justa possível, mas, como os resultados para indivíduos separados não seriam nem intencionais e nem previsíveis por outros, a situação resultante não poderia nem ser chamada justa nem injusta.|acessodata=11 de outubro de 2016}}</ref> No primeiro volume, ele também discorre sobre a importância de se ater a princípios na defesa da liberdade.<ref>{{citar livro|url=http://www.libertarianismo.org/livros/fahdllvol1.pdf|titulo=Direito, Legislação e Liberdade|ultimo=Hayek|primeiro=Friedrich|editora=Visão|ano=1985|local=São Paulo|paginas=64|citacao=Os grandes pensadores do século XIX compreendiam plenamente que a liberdade só pode ser preservada se for reputada um principio que não deve ser sacrificado a vantagens especificas, tendo um deles chegado a qualificar o liberalismo de ‘o sistema de princípios. Esse é o conteúdo principal de suas advertências sobre 'o que se vê e o que não se vê economia política', e sobre o pragmatismo, que, contrariamente às intenções de seus representantes, leva inexoravelmente ao socialismo'.|acessodata=11 de outubro de 2016}}</ref>
 
Em '''''The Denationalization of Money''''' (1976),<ref name="Denationalisation of Money: The Argument Refined: an Analysis of the Theory and Practice of Concurrent Currencies">''Denationalisation of money: an analysis of the theory and practice of concurrent currencies.'' Autor: Friedrich Hayek. Institute of Economic Affairs, 1976, <span class="plainlinks">[https://books.google.com.br/books?id=25i3AAAAIAAJ&dq=isbn%3A9780255362399&hl=pt-PT&source=gbs_book_other_versions (Link GoogleBooks)]</span>,{{en}} Adicionado em 15/08/2017.</ref> Hayek desenvolve o argumento de que o fim do monopólio do Estado sobre a moeda – i.e, a possibilidade de cunhagem e uso de [[Moeda privada|moedas privadas]] – seria mais vantajoso que o nosso sistema atual, sendo também uma forma de evitar a [[inflação]].<ref>{{Citar web|título=Ron Paul, Upping the Ante in His Campaign for Liberty, Hoists the Flag of Hayek|url=http://www.nysun.com/opinion/ron-paul-upping-the-ante-in-his-campaign/87502/|publicado=New York Sun|acessodata=28 de janeiro de 2013}}</ref><ref>“There is no justification in history for the existing position of a government monopoly of issuing money. It has never been proposed on the ground that government will give us better money than anybody else could.” See [http://mises.org/books/denationalisation.pdf ''here'']</ref> Neste sentido, defendia o modelo de ''free banking'', ([[sistema bancário livre]] de quaisquer [[Regulação bancária|regulametações]]).<ref name="Denationalisation of Money: The Argument Refined: an Analysis of the Theory and Practice of Concurrent Currencies"/>
83

edições