Diferenças entre edições de "Elemento neutro"

17 bytes removidos ,  11h37min de 14 de março de 2018
m
Foram revertidas as edições de 177.22.81.97 para a última revisão de He7d3r, de 18h16min de 15 de abril de 2016 (UTC)
(Coloquei coisas que certamente ajudaram)
m (Foram revertidas as edições de 177.22.81.97 para a última revisão de He7d3r, de 18h16min de 15 de abril de 2016 (UTC))
Etiqueta: Reversão
 
Sob o aspecto amplo matemático, ''todo-inclusivo e todo-exclusivo'', são certamente possíveis álgebras que não tenham elemento neutro (ou, se se preferir, que tenham nenhum elemento neutro). Podem-se citar como exemplos triviais as operações binárias vetoriais [[produto escalar]] e [[produto vetorial]], construídas sobre espaços vetoriais R<sup>n</sup> (R = [[Números reais|conjunto dos números reais]] e n ([[número natural]]) ≥ 1). No primeiro caso (o do produto escalar), a inexistência do elemento neutro deve-se ao fato de que, se os dois operandos são grandezas vetoriais, o seu resultado-produto, todavia, é uma quantidade escalar (um [[número real]], ''lato sensu''). Já no segundo caso, a inexistência do elemento neutro deve-se ao fato de que a [[direção]] de qualquer produto vetorial não-nulo ''é sempre [[ortogonal]] aos operandos, de modo que não é possível, por definição, obter um vetor-resultado com a mesma direção que a de qualquer dos operando
 
eu so roleseira