Abrir menu principal

Alterações

196 bytes adicionados ,  13h06min de 22 de março de 2018
sem resumo de edição
 
Os nematódeos não possuem sangue, sistema circulatório nem sistema respiratório. Podem tanto serem aeróbicos quanto anaeróbicos.
São [[animalia|animais]] [[triblástico]]s, [[protostômio]]s, [[pseudocelomado]]s. Seu corpo cilíndrico, alongado e não [[segmentação (biologia)|segmentado]] exibe [[simetria bilateral]]. Possuem [[sistema digestivo]] completo, sistemas [[sistema circulatório|circulatório]] e [[sistema respiratório|respiratório]] ausentes; [[sistema excretor]] composto por dois canais longitudinais (renetes-formato de H); [[sistema nervoso]] parcialmente centralizado, com [[anel nervoso]] ao redor da [[faringe]].
 
[[Ecologia|Ecologicamente]] são muito bem-sucedidos, sendo tal fato demonstrado pela alta diversidade de [[espécie]]s. Encontram-se em todos os [[habitat]]s, [[terrestre]]s, [[marinho]]s e de [[água doce]] e chegam a ser mais numerosos que os outros animais, tanto em número de espécies, como de indivíduos. Algumas espécies são [[microscópio|microscópicas]], enquanto a fêmea de uma espécie, parasita do [[cachalote]] chamada "Placentonema gigantissima" pode atingir 13 metros de comprimento.
Em 1919, [[Nathan Cobb]] propôs que os nematódeos deveriam ser reconhecidos como um filo separado, '''Nemates''', ou '''Nemata''' (plural em latim de ''nema''). Algumas autores consideram como válido apenas o táxon Nemates ou Nemata Cobb 1919. Entretanto, a designação Nematoda é mais comum na literatura científica atual.
 
Quanto ao [[Nomenclatura vernácula|nome vulgar]] do grupo, em português, varia bastante: "nemátodos", "nemátodas", "nemátodes", "nematódeos", "nematódios", "nematoides" ou "nemas". O mais utlizado na literatura científica em português é "nematoides", seguido de "nematódeos".<ref name=rezende>REZENDE, Joffre Marcondes de. Nematóides, nematódeos, nematodes, nematodos. ''Revista de Patologia Tropical'', v. 36, n. 3, p. 269-272, 2008, [http://www.revistas.ufg.br/iptsp/article/view/3185/17045 link].</ref><ref>''Nematologia Brasileira''. Publicação oficial da Sociedade Brasileira de Nematologia, Piracicaba, 1974-2013, [http://docentes.esalq.usp.br/sbn/nbonline/online.htm link].</ref><ref>Sociedade Brasileira de Nematologia, site oficial, [http://nematologia.com.br/ link].</ref> A partir de critérios de [[etimologia]] e [[estilística]], alguns autores julgam mais preferível o segundo nome, "nematódeos",<ref name=rezende/> porém, deve-se lembrar que o uso de nomes vulgares não é controlado pelo [[ICZN]] (não há um "nome correto", nesse sentido, ficando a escolha do nome a critério do autor), ao contrário do que ocorre com os nomes científicos, latinos.<ref> PAPAVERO, N. (org.) ''Fundamentos Práticos de Taxonomia Zoológica''. 2a ed. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1994.
p. 245, [https://books.google.com.br/books?id=QsPOmOV373gClink].</ref>
 
=== Sistema circulatório ===
 
Assim como os [[platelminta|platelmintos]], os nematódeos não possuem sistemas ou órgãos especializados em realizar distribuição de nutrientes pelas células, ou seja são avasculares (a = negação, vascular = vaso, portanto, não possuem [[sistema circulatório]]). A cavidade corporal (o [[pseudoceloma]]) contém um líquido, e a contínua movimentação desse líquido, propiciada pela contração da musculatura longitudinal do corpo, permite uma relativa distribuição de materiais entre algumas partes do corpo.
 
=== TrocasSistema gasosasrespiratório ===
 
Eles não possuem órgãos [[ou sistemas especializados em realizar trocas gasosas ou respiração|respiratórios]]. As trocas gasosas acontecem na superfície corporal, por [[difusão]]. Os nematódeos de vida livre são [[Aerobiose|aeróbicos]] e obtêm o [[oxigênio]] no meio onde vivem. Os parasitas são geralmente [[anaeróbico]]s e fazem [[fermentação]]. Dessa forma não requerem oxigênio e a maioria não elimina [[dióxido de carbono|CO<sub>2</sub>]], porque realizam a [[fermentação láctica]], que não libera esse gás.
 
=== Sistema excretor ===