Diferenças entre edições de "Axel Oxenstierna"

358 bytes removidos ,  08h15min de 29 de março de 2018
sem resumo de edição
{{Info/Biografia
|bgcolour =
|nome = Axel Oxenstierna
|nome_completo = Axel Gustafsson Oxenstierna af Södermöre
|nome_nativoimagem = Axel Oxenstierna 1635.jpg
|outros_nomes =
|conhecido_por =
|imagem = Axel Oxenstierna 1635.jpg
|imagem_tamanho =
|imagem_legenda = Axel Oxenstierna, numa pintura de [[Michiel Janszoon van Miereveld]] em 1635
|nascimento_data = {{dni|16|6|1583|si}}
|nascimento_local = Fånö, na [[Uppland]]
|morte_data = {{morte|8|8|1654|16|6|1583}}
|morte_local = [[Estocolmo]]
|residência nacionalidade = Sueco
|ocupação = [[Alto Senhor Chanceler da Suécia|Chanceler real]]<br>[[Conde]]<br>[[Estadista]]
|nacionalidade = Sueco
|etnia =
|ocupação = [[Alto Senhor Chanceler da Suécia|Chanceler real]]<br>[[Conde]]<br>[[Estadista]]
|influências =
|influenciados =
|prémios =
|principais_trabalhos =
|website =
}}
'''Axel Gustafsson Oxenstierna af Södermöre''' ([[Fånö]], [[16 de Junho]] de [[1583]] – [[Estocolmo]], [[28 de Agosto]] de [[1654]]) foi um [[nobre]] e [[estadista]] [[Suécia|sueco]], [[conde de Södermöre]], membro do Conselho Real (''riksrådet'') desde [[1609]] e [[Alto Senhor Chanceler da Suécia|chanceler real]] (''rikskansler'') de [[1612]] até à sua morte em [[1654]].<ref>{{Citar livro |sobrenome= Ernby |nome= Birgitta |coautor=Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm |título=Norstedts första svenska ordbok |subtítulo= |idioma= sueco |local= Estocolmo |editora= Norstedts ordbok |ano= 2001|páginas=793 |página= 462|capítulo=Axel Oxenstierna|isbn= 91-7227-186-8 |acessodata= }}</ref><ref>{{Citar livro |sobrenome= Melin |nome= Jan |coautor= Johansson, Alf; Hedenborg, Susanna |título=Sveriges historia |subtítulo= Koncentrerad uppslagsbok, fakta, årtal, kartor, tabeller |idioma= sueco |local= Estocolmo |editora= Prisma |ano= 2006-09|páginas=511 |página= 138-139|capítulo=Axel Oxenstierna|isbn= 9789151846668 |acessodata= }}</ref>
== Nomeação como Chanceler ==
Com a morte de Carlos IX em [[1611]], Oxenstierna tornou-se membro do Conselho de Regência do novo soberano, Gustavo Adolfo, que tinha apenas 17 anos. Como membro da aristocracia teria querido reduzir os poderes reais, mas Gustavo não estava disposto a ceder em seu poder ou a colocar-se sob a influência de ninguém, pelo que Oxenstierna aceitou servir-lo como conselheiro. A [[6 de Janeiro]] de [[1612]] torna-se Alto Chanceler (''Rikskansler'') do Conselho Real, e cedo se faz evidente a sua influência em muitíssimos aspectos da administração e da diplomacia sueca.
 
[[Ficheiroimagem:Axel Oxenstierna painted by Jacob Heinrich Elbfas 1626.jpg|right|200px|thumb|Axel Oxenstierna por [[Jacob Heinrich Elbfas]] ([[1626]]).]]
Em [[1613]] foi plenipotenciário sueco na assinatura do [[Tratado de Knäred]], que punha termo à [[Guerra de Kalmar]] contra a [[Dinamarca]], serviços pelos quais obteve uma grande recompensa monetária. Durante as frequentes viagens de Gustavo Adolfo à [[Livónia]] e [[Finlândia]] actuou como [[vice-rei]], demonstrando uma grande habilidade e versatilidade. Em [[1620]] comandou a brilhante missão diplomática dirigida a Berlim para estipular o contrato matrimonial entre Gustavo e [[Maria Leonor de Brandemburgo]].
 
Em [[1613]], foi plenipotenciário sueco na assinatura do [[Tratado de Knäred]], que punha termo à [[Guerra de KalmarCalmar]] contra a [[Dinamarca]], serviços pelos quais obteve uma grande recompensa monetária. Durante as frequentes viagens de Gustavo Adolfo à [[Livónia]] e [[Finlândia]] actuou como [[vice-rei]], demonstrando uma grande habilidade e versatilidade. Em [[1620]] comandou a brilhante missão diplomática dirigida a Berlim para estipular o contrato matrimonial entre Gustavo e [[Maria Leonor de Brandemburgo]].
 
Durante a guerra contra a [[Rússia]] e a [[República das Duas Nações|Confederação Polaco-Lituana]] esteve no aprovisionamento do exército e da frota sueca, incluindo também a recolha de dinheiro e de novos recrutas. O seu papel tinha-se convertido já em algo tão importante que Gustavo Adolfo, em [[1622]], o ordenou a acompanhá-lo à [[Livónia Sueca]], nomeando-o Governador Geral e comandante da cidade de [[Riga]]; os seus serviços valeram-lhe, como recompensa, a propriedade de quatro castelos e a totalidade do bispado de [[Wenden]], na actual [[Lituânia]]. No ano seguinte obteve novo êxito diplomático, quando, durante as negociações de paz que conduziram à trégua com a [[Polónia]], conseguiu, através de hábeis manobras, evitar uma possível ruptura com a Dinamarca; estas negociações culminaram, em [[1629]], com a assinatura da [[Trégua de Altmark]] com a Confederação Polaco-Lituana, que incluía termos muito vantajosas para Suécia; no ano anterior Oxenstierna tinha sido nomeado Governador Geral das novas possessões suecas na [[Prússia]].
== Participação na Guerra dos Trinta Anos ==
A primeira participação de Oxenstierna no conflito teve lugar em [[1628]], quando chegou a um acordo com a Dinamarca para a ocupação conjunta do importante porto de [[Stralsund]], na [[Pomerânia]], com o fim de evitar a sua queda nas mãos das forças [[Sacro Império Romano Germânico|imperiais]]. A Suécia, potência protestante, sentia-se abertamente ameaçada pela crescente hegemonia política dos [[Habsburgo]] e católica do [[Sacro Império Romano-Germânico]], pelo que Gustavo Adolfo se decidiu a intervir no conflito, inaugurando a chamada fase sueca.
[[Ficheiroimagem:Autograf, Axel Oxenstierna, Nordisk familjebok.png|right|200px|thumb|Assinatura de Axel Oxenstierna.]]
Depois da grande vitória sueca na [[Batalha de Breitenfeld (1631)|Batalha de Breitenfeld]] de [[1631]], Oxenstierna recebeu ordens para assistir o rei no território imperial. Enquanto Gustavo conduzia as operações na [[Francónia]] e na [[Baviera]], em [[1632]] administrou, com o título de "legado", o sector [[Renânia|renano]], exercendo uma plena autoridade sobre todas as forças suecas e aliadas; embora Oxenstierna não tenha combatido nunca em nenhuma batalha, revelou-se como um brilhante estratega, e com as suas disposições frustrou várias tentativas por parte das forças espanholas para recuperar as posições perdidas na área. As suas capacidades militares ficaram plenamente evidentes com o envio por si de um corpo de reforço para Gustavo através de [[Alemanha]] central no Verão de [[1632]]. Mas a verdadeira alteração na sua carreira e no seu poder teve lugar, nesse mesmo ano, com a morte de Gustavo Adolfo na [[Batalha de Lützen (1632)|Batalha de Lützen]].