Diferenças entre edições de "Axel Oxenstierna"

25 bytes removidos ,  02h32min de 30 de março de 2018
sem resumo de edição
|imagem_legenda = Axel Oxenstierna, numa pintura de [[Michiel Janszoon van Miereveld]] em 1635
|nascimento_data = {{dni|16|6|1583|si}}
|nascimento_local = Fånö, na [[UpplandUplândia]]
|morte_data = {{morte|8|8|1654|16|6|1583}}
|morte_local = [[Estocolmo]]
'''Axel Gustafsson Oxenstierna af Södermöre''' ([[Fånö]], [[16 de Junho]] de [[1583]] – [[Estocolmo]], [[28 de Agosto]] de [[1654]]) foi um [[nobre]] e [[estadista]] [[Suécia|sueco]], [[conde de Södermöre]], membro do Conselho Real (''riksrådet'') desde [[1609]] e [[Alto Senhor Chanceler da Suécia|chanceler real]] (''rikskansler'') de [[1612]] até à sua morte em [[1654]].<ref>{{Citar livro |sobrenome= Ernby |nome= Birgitta |coautor=Martin Gellerstam, Sven-Göran Malmgren, Per Axelsson, Thomas Fehrm |título=Norstedts första svenska ordbok |subtítulo= |idioma= sueco |local= Estocolmo |editora= Norstedts ordbok |ano= 2001|páginas=793 |página= 462|capítulo=Axel Oxenstierna|isbn= 91-7227-186-8 |acessodata= }}</ref><ref>{{Citar livro |sobrenome= Melin |nome= Jan |coautor= Johansson, Alf; Hedenborg, Susanna |título=Sveriges historia |subtítulo= Koncentrerad uppslagsbok, fakta, årtal, kartor, tabeller |idioma= sueco |local= Estocolmo |editora= Prisma |ano= 2006-09|páginas=511 |página= 138-139|capítulo=Axel Oxenstierna|isbn= 9789151846668 |acessodata= }}</ref>
 
Foi um dos mais próximos colaboradores tanto do rei [[Gustavo II Adolfo da Suécia|Gustavo II Adolfo]] como da sua filha, a rainha [[Cristina da Suécia|Cristina]], e é considerado um dos mais importantes personagens da história da Suécia, em grande parte devido ao seu importantíssimo papel político desempenhado durante a [[Guerra dos Trinta Anos]] ([[1618]] - [[1648]]), especialmente depois da morte do rei Gustavo Adolfo em [[1632]], e pela sua contribuição para os fundamentos do sistema administrativo sueco; foi ainda governador geral da [[Prússia]], ocupada pelos suecos durante a guerra.<ref>{{Citar livro |sobrenome=Magnusson |nome=Thomas |coautor=et al.|título=Vad varje svensk bör veta |subtítulo= |idioma= sueco |local= Estocolmo |editora= Albert Bonniers Förlag e Publisher Produktion AB |ano= 2004|páginas=654 |página= 75 |capítulo=Axel Oxenstierna |isbn= 91-0-010680-1 |acessodata= 23 de maio de 2016}}</ref><ref name=oxenstierna4>{{Citar livro |sobrenome= Miranda |nome= Ulrika Junker |coautor=Anne Hallberg |título=[[Bonniers uppslagsbok]] |subtítulo= |idioma= sueco |local= Estocolmo |editora=[[Editora Bonnier|Albert Bonniers Förlag]] |ano= 2007|páginas=1143 |página= 727|capítulo=Axel Oxenstierna|isbn= 91-0-011462-6 |acessodata= }}</ref>
 
== Juventude e educação ==
Oxenstierna nasceu em [[Fånö]], na província sueca de [[UpplandUUplândia]], perto de [[UppsalaUpsália]], filho de Gustav Oxenstierna (Gabrielsson) ([[1551]] - [[1597]]) e Barbro Bielke (Axelsdotter) ([[1556]] - [[1624]]). Junto com os seus irmãos foi educado nas universidades de [[Rostock]], [[Jena]] e [[Wittenberg]]; depois do seu regresso em [[1603]] foi nomeado ''kammarjunker'' ([[pajem]]) do rei [[Carlos IX da Suécia|Carlos IX]]. Em [[1606]] foi-lhe confiada a sua primeira missão diplomática, em [[Mecklemburgo]], e durante a sua ausência foi nomeado membro do Conselho Real, convertendo-se num dos mais fiéis colaboradores do soberano. Em [[1610]] mudou-se para [[Copenhaga]] com o intuito de provocar um conflito com a [[Dinamarca]], mas não conseguiu o seu objectivo; esta missão selou o início de uma série de manobras diplomáticas levadas a cabo por Oxenstierna contra os dinamarqueses, os quais considerou sempre como os mais formidáveis dos inimigos do seu país.
 
== Nomeação como Chanceler ==