Yolande de Polastron, Duquesa de Polignac: diferenças entre revisões

(→‎Na Corte: Adição de informação)
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
Etiquetas: Edição via dispositivo móvel Edição feita através do sítio móvel
 
=== Na Corte ===
Gabrielle foi apresentada à Rainha [[Maria Antonieta]] em 1775, durante um baile dado na casa da irmã do seu marido, Madame Diane de Polignac. A Rainha, encantada com o maravilhoso recital da condessa de Polignac, considera-a, de imediato, sua amiga. Uma vez que os Polignac não possuíam meios económicos a fim de pagar a extravagante vida em Versalhes, Maria Antonieta conceder-lhes-á inúmeras pensões, cargos, títulos e favoritismos: oferece 800 mil libras como dote à filha de Gabrielle; em 1780 os condes de Polignac passam a ser duques de Polignac; em 1782 Gabrielle ocupa o lugar vago de [[Vitória de Rohan|Madame Guéménée]] como Governante dos [[Filho da França|Filhos de França]]; em 1786 o agora duque [[Jules de Polignac (1746-1817)|Jules de Polignac]], Escudeiro da Casa da Rainha, receberá o cargo de [[Marechal de França]], o cargo militar mais elevado. Também o dito amante de Gabrielle, o conde Vaudreuil, viria a beneficiar enormemente com a amizade entre a Rainha e a duquesa.
 
A duquesa de Polignac liderava o restrito grupo de amigos da Rainha, o que causava inveja por parte dos membros das grandes famílias como as Noailles, Rohan, Gontaut e os Coigny. Tanto os cortesãos como o povo, acusava Maria Antonieta de favorecer a sumptuosa Polignac em detrimento da simples [[Maria Luísa, Princesa de Lamballe|Princesa de Lamballe]]. Cartazes que apelidavam Gabrielle de Messalina ou de Popeia, circulavam por todo o país, acabando por denegrir toda a imagem de Versalhes.
4 618

edições