Diferenças entre edições de "Cibercultura"

304 bytes adicionados ,  02h51min de 2 de abril de 2018
→‎Conceito: Acrescentei uma obra do autor Pierre Lévy que expande a ideia da evolução da Cybercultura e das conexões virtuais
(→‎Conceito: Acrescentei uma obra do autor Pierre Lévy que expande a ideia da evolução da Cybercultura e das conexões virtuais)
A cibercultura também se faz presente na educação por meio de múltiplas linguagens, múltiplos canais de comunicação e em temporalidades distintas. As interfaces da Web 2.0, por exemplo, permitem um contato permanente entre escola, professores, alunos e seus pares no ambiente virtual de ensino. Sem fronteiras para o conhecimento, os conteúdos educativos são trabalhados interativamente na comunidade estudantil, de forma síncrona e assíncrona, com a possibilidade de produzir e compartilhar conhecimentos colaborativamente com qualquer outro estudante em qualquer parte do mundo.
 
O termo Cibercultura tem vários sentidos, mas se pode entender como a forma sociocultural que advém de uma relação de trocas entre a sociedade, a cultura e as novas tecnologias de base micro-eletrônicas surgidas na década de 70, graças à convergência das telecomunicações com a informática. A cibercultura é um termo utilizado na definição dos agenciamentos sociais das comunidades no espaço eletrônico virtual. Estas comunidades estão ampliando e popularizando a utilização da Internet e outras tecnologias de comunicação, possibilitando assim maior aproximação entre as pessoas de todo o mundo, seja por meio da construção colaborativa, das multimodalidades e/ou da hipertextualidade. Em decorrência disso, em 2000, o pesquisador Pierre Lévy detalha a ideia da conexão planetária<ref>{{citar livro|título=A conexão planetária: o mercado, o ciberespaço, a consciência|ultimo=Lévy|primeiro=Pierre|editora=Editora 34|ano=2001|local=São Paulo, Brasil|páginas=|acessodata=}}</ref>.
 
== Etimologia ==
29

edições