Diferenças entre edições de "Ideia"

7 bytes removidos ,  15h26min de 7 de abril de 2018
m
ajustes usando script
m (ajustes usando script)
{{reciclagem|data=junho de 2010}}
{{sem- fontes|data=junho de 2010}}
O [[termo]] '''ideia''' é usado em duas acepções: como [[sinônimo]] de [[conceito]] ou, num sentido mais lato, como [[expressão]] que traz implícita uma presença de [[intencionalidade]].
 
A palavra deriva do [[grego]] ''idea'' ou ''eidea'', cuja [[etimologia|raiz etimológica]] é ''eidos'' – [[imagem]]. O seu significado, desde a origem, implica a controvérsia entre a [[teoria]] da extromissão ([[Platão]]) e a da intromissão ([[Aristóteles]]). No centro da polémica está o [[conceito]] de [[representação]] do [[real]] ([[realidade]]).
 
Para [[Platão]], a ideia que fazemos de uma coisa provém do princípio geral, do «[[mundo inteligível]]», que constitui a [[Ideia Universal]], categoria que está na base da sua [[filosofia]], o [[idealismo]]. Assim, a ideia da coisa é uma [[projeção]] do [[saber]]: ao verem a coisa, os [[olho]]s, emitindo [[raios]] de [[luz]], projetam a imagem dessa mesma coisa, que existe em nós como princípio universal (extromissão). Esta [[doutrina]] é designada por «[[idealismo]]».
 
Para [[Aristóteles]], a ideia da coisa provém da [[Experiência (filosofia)|experiência]] [[experiência sensível|sensível]], do «mundo dos [[fenómeno]]s [[Contingência|contingentes]]»: as coisas emitem cópias de si próprias, através da luz, cópias assimiladas pelos [[sentido]]s e interpretadas pelo saber inato ou adquirido (intromissão), doutrina que funda o conceito de «[[realismo]]».
 
Estas noções estão presentes em toda a [[filosofia ocidental]], em particular no campo da [[ontologia]], a [[ciência]] do [[Ser]]. Condicionaram, durante [[século]]s, o pensamento de [[filósofo]]s, desde a [[escolástica]] até às doutrinas da atualidade, em particular, no campo das chamadas «[[ciências cognitivas]]» ou «[[ciências do conhecimento]]», que cobrem as áreas da [[biologia]], da [[cibernética]], da [[robótica]], da [[informática]].
 
O Idealismo é a doutrina segundo a qual o [[pensamento]] é a origem e a fonte de todo o conhecimento. Esta doutrina platónica postula a existência de um mundo separado deste mundo físico ou sensível, que é feito de realidades perfeitas e imutáveis, as ideias, modelos ou paradigmas das coisas sensíveis.
* As ideias seriam realidades acessíveis apenas através da inteligência, por isso receberam também a designação de mundo inteligível.
Segundo Locke, as ideias são aquilo através do qual pensamos, aquilo de que a mente se ocupa quando pensa. É através das ideias que o ser humano exprime o pensamento objetivo. São componentes essenciais da compreensão.
Nos nossos dias, as ideias são vistas como dependentes das estruturas sociais e linguísticas e não uma criação independente de uma só mente.
Para David Hume, a ideia é uma cópia fraca das impressões sensíveis, isto é, das imagens que o contacto com a realidade imprime no espírito. Para os empiristas, como Hume, as ideias são um fruto empírico e só nascem através da [[experiência sensível]], o que reduz o conhecimento a simples induções.
Descartes distinguiu três tipos de ideias, que para ele são imagens das coisas. Assim, existem as ideias inatas que são aquelas com as quais nascemos e não o produto da experiência adquirida. Para ele, o ser humano teria à partida ideias gerais, como a de Deus, a de liberdade, de imortalidade, etc.
 
Existem ainda as ideias adventícias, que surgem do mundo exterior através da experiência, e as ideias factícias, que são as ideias formadas pelo próprio indivíduo através do pensamento. Segundo Descartes, as mais importantes são as ideias inatas, já que, nascidas com o ser humano, são como "sementes de verdade", postas por Deus no seu espírito para permitir conhecer algumas verdades da Natureza sem que os sentidos tivessem algum papel nessa descoberta.
A [[antropologia cultural]] admite a existência de ideias que se transmitem não só de pessoa para pessoa mas também de uma [[cultura]] para a outra. Afirmam alguns especialistas que, no fundo, todas as culturas assimilam ideias de culturas originais, criando [[mosaico]]s culturais que se ajustam entre si de modos específicos. [[Teórico]]s da chamada «[[teoria evolucionária difusionista]]» (''evolutionary diffusion theory'') defendem o ponto de vista de que as culturas se influenciam uma às outras, podendo no entanto desenvolver simultaneamente ideias semelhantes.
 
Hoje em dia, em suma, ideia significa ou um [[modelo]] das coisas sensíveis enquanto [[objecto]] do [[pensamento]] e da [[razão]] (λόγος - [[logos]]) ou, noutra acepção, a representação mental de alguma realidade externa, [[ocorrência]], [[objeto]] [[concreto]] ou [[Abstração|abstrato]], que a [[mente]] constrói com determinado [[propósito]], mesmo o da sua simples representação
 
No conceito de ideia é possível assim distinguir-se vários [[sinónimo]]s :
{{Wikiquote|Ideia}}
 
* [http://www.consciencia.org/antiga/plataoaristotelesvidigal.shtml '''Paralelo entre Platão e Aristóteles'''], por José Geraldo Carvalho, em [http://www.consciencia.org/ Consciência.org].
 
* [http://www.mundodosfilosofos.com.br/hegel2.htm '''A Idéia, a Natureza, o Espírito'''] (em Hegel) na pág [http://www.mundodosfilosofos.com.br/ Mundo dos Filósofos].
157 659

edições