Diferenças entre edições de "Mário Couto"

991 bytes adicionados ,  19h16min de 11 de abril de 2018
Tópico "Carnaval Paraense" acrescentado. Tendo em vista que foi evento primordial para a crescente popularidade do referido na década de 80/90. Referência acrescentada com base no livro Carnaval Paraense de Alfredo Oliveira.
m (Evento adicionado com citação. Com evidente descrição de fatos relacionados a figura tratada.)
(Tópico "Carnaval Paraense" acrescentado. Tendo em vista que foi evento primordial para a crescente popularidade do referido na década de 80/90. Referência acrescentada com base no livro Carnaval Paraense de Alfredo Oliveira.)
}}
'''Mário Couto Filho''' ([[Salvaterra (Pará)|Salvaterra]], [[14 de janeiro]] de [[1946]]) é um [[Administração|administrador]] [[Empresa|de empresas]] e [[Política|político]] [[brasil]]eiro. Atualmente filiado ao [[Partido Progressista]]<ref>{{Citar web|url=http://www.tse.jus.br/partidos/filiacao-partidaria/relacao-de-filiados|titulo=Relação de filiados|acessodata=2018-04-11|obra=www.tse.jus.br|lingua=pt-br}}</ref>. Couto é conhecido pelo temperamento forte e frequentes envolvimentos em bate-bocas. Foi um dos críticos mais severos ao Partido do Trabalhadores (PT) durante sua candidatura no Senado Federal, chegando a chamar os colegas de ladrões durante pronunciamento<ref>{{Citar periódico|data=2012-10-30|titulo=Senador tucano chama colegas de ladrões e provoca revolta|url=https://oglobo.globo.com/brasil/senador-tucano-chama-colegas-de-ladroes-provoca-revolta-6586433|jornal=O Globo|lingua=pt-BR}}</ref>.
 
== Carnaval Paraense ==
Em 1982 Mário Couto funda no bairro do Guamá, a [[Grêmio Recreativo Guamaense Arco-Íris|Sociedade Recreativa Cultural e Carnavalesca Arco-Íris]], uma escola de samba da cidade de Belém do Pará, no Estado do Pará. Nascendo através de um alto investimento e integrando o grupo principal do carnaval paraense, a agremiação estava disposta a acabar com a supremacia da escola [[Rancho Não Posso Me Amofiná]], até então absoluta campeã das edições anteriores<ref>{{citar livro|título=Carnaval Paraense|ultimo=OLIVEIRA|primeiro=Alfredo|editora=SECULT|ano=2006|local=Belém|páginas=|acessodata=}}</ref>.
 
A agremiação contou com o apoio de dois nomes de proa da [[Beija-Flor (escola de samba)|Beija-Flor de Nilópolis]] (do RJ): o carnavalesco Joãozinho Trinta e diretor de harmonia Laíla.
 
Finalmente em 1983, o esforço compartilhado de Mario Couto com a Comunidade do bairro do Guamá culminou no título de Campeã do Carnaval Paraense em 1983.
 
== Carreira Política ==
25

edições