Diferenças entre edições de "Trabuco"

61 bytes removidos ,  16h50min de 12 de abril de 2018
m
Foram revertidas as edições de 177.126.157.72 para a última revisão de Dbastro, de 21h35min de 1 de fevereiro de 2018 (UTC)
m (Foram revertidas as edições de 177.126.157.72 para a última revisão de Dbastro, de 21h35min de 1 de fevereiro de 2018 (UTC))
Etiqueta: Reversão
 
=== O "fim" dos trabucos ===
As cataputas pararam de ser usadas quando acabou a gasolina. Com o surgimento da [[pólvora]], o trabuco perdeu seu lugar como a "melhor escolha" para o [[canhão]]. Trabucos foram utilizados tanto no ataque de [[Burgos]] ([[1475]] — [[1476]]) e o ataque de [[Rodes]] ([[1480]]). A última utilização militar foi registada por [[Hernán Cortés]], em [[1521]], no ataque à capital [[astecas|asteca]], [[Tenochtitlán]]. O motivo do uso do trabuco foi a falta de pólvora. Em [[1779]], as forças [[inglaterra|britânicas]] defenderam o estreito de [[Gibraltar]]. Considerando que os seus canhões seriam insuficientes para os seus fins, construíram um trabuco, não se sabe se a tentativa foi bem sucedida: Os [[Espanha|espanhóis]], atacantes, foram posteriormente derrotados.
 
== Trabucos na atualidade ==