Diferenças entre edições de "Apadrinhamento"

7 bytes removidos ,  17h12min de 19 de abril de 2018
-ligs. internas de nome de seções
(-ligs. internas de nome de seções)
O apadrinhamento continuou na [[Europa]] durante o [[feudalismo]], como uma forma em que o [[servo]] ou o [[vassalo]] encontrava para quitar uma [[dívida]] com o [[suserano]] perante a Igreja, sendo este tributo a criação, os cuidados e a atenção a um dos filhos do casal a ser servido durante toda a [[vida]].<ref name="godparents">J. H. Lynch, ''Godparents and Kinship in Early Medieval Europe'' (Princeton, NJ, 1980), p. 114.</ref>
 
== [[Catolicismo]] ==
A origem do apadrinhamento remonta ao [[século II]], com origem religiosa dentro do [[cristianismo]],<ref name="godparents" /> e a posteriori passou a obter significados distintos.<ref name="godparents" /> O apadrinhamento foi primeiramente oficializado em [[Corpus Juris Civilis]],<ref name="corpus" /> e desde então passou a ter uma conotação de servidão voluntária (um tributo individual) que um indivíduo específico tem em relação a uma determinada família.
<ref name="J. Goody, 1983 p. 199" />
Padrinhos e madrinhas são pais e mães espirituais, e no batismo têm como obrigação auxiliar os pais da criança, na sua educação religiosa; na Crisma, o padrinho deve ajudar o crismando a amadurecer para a [[fé]].
 
== [[Religiões afro-brasileiras]] ==
Padrinho ou madrinha são termos usados na [[Umbanda]] para designar os pais e mães espirituais, também chamados de [[pai-de-santo]] ou [[mãe-de-santo]], e exercem função de liderança e propriedade do centro de Umbanda. São as pessoas responsáveis pelo desenvolvimento dos [[médium|médiuns]] e orientação [[espiritual]], sendo auxiliados pela segunda pessoa, o pai-pequeno ou mãe-pequena.
 
{{Referências}}
{{Portal3|Religião}}
 
[[Categoria:Religiões afro-brasileiras]]
[[Categoria:Educação da Igreja Católica]]