Diferenças entre edições de "Component Object Model"

1 byte removido ,  21h15min de 19 de abril de 2018
"freqüentemente" --> "frequentemente"
(Ajustes parâmetros obseletos, typos fixed: idéias → ideias (2), a a → a utilizando AWB)
("freqüentemente" --> "frequentemente")
'''Component Object Model''' ('''COM''') é uma [[plataforma (informática)|plataforma]] da [[Microsoft]] para [[Componente de software|componentes de software]] lançada em [[1993]]. Ela é usada para permitir a [[comunicação entre processos]] e a criação dinâmica de [[objeto]]s em qualquer [[linguagem de programação]] que suporte a tecnologia. O termo ''COM'' é freqüentementefrequentemente usado no [[desenvolvimento de software]] para se referir a um grupo de tecnologias que incluem [[OLE]], [[OLE Automation]], [[ActiveX]], [[COM+]] e [[DCOM]]. Apesar de introduzido em 1993, a Microsoft não iniciou a divulgação ampla do nome antes de [[1997]].
Em sua essência, a COM é uma forma independente de linguagem de programação de implementar objetos de forma que eles possam ser utilizados em diferentes ambientes dos quais foram criados, mesmo entre diferentes máquinas e arquiteturas. A COM permite a reutilização de objetos sem o conhecimento de sua implementação interna pois força o desenvolvedor a fornecer uma [[interface]] bem definida, que está separada da implementação. As diferentes semânticas na [[Gerenciamento de memória|alocação de memória]] entre linguagens de programação são resolvidas ao tornar os objetos responsáveis por sua própria criação e destruição, através de contagem de referência. A conversão entre diferentes interfaces de um objeto são obtidas através da função <code>QueryInterface()</code>. O método preferível de herdar em COM é a criação de sub-objetos (chamada agregação) para as chamadas de método, os quais são delegados.
Utilizador anónimo