Abrir menu principal

Alterações

2 652 bytes adicionados, 23h24min de 19 de abril de 2018
Outro precedente medieval - a [[Diputació del General de Catalunya]] (Deputado do General da Catalunha, onde "Geral" significa a comunidade política dos catalães e não a classe militar) - que os legisladores de 1931 consideravam apropriado para invocar como base legitimadora autogoverno contemporâneo.
O passado político da Catalunha como uma comunidade territorialmente diferenciada, tendo suas próprias instituições representativas e autônomas, com respeito ao poder soberano da soberania dos [[Condados da Catalunha]] no ano 988 - 1.283, monarquias aragonesas (1283-1516) e monarquias castelhanas (1516-1808) e do estado constitucional espanhol (desde 1812), pode ser dividido em quatro etapas, separadas por três grandes rupturas na ordem legal / pública.
 
'''Primeira abolição'''
 
Instituições catalãs que dependiam da Generalitat foram abolidas no que é atualmente conhecido na Catalunha como Catalunha do Norte, um ano após a assinatura do Tratado dos Pirineus no século 17, que transferiu o território da soberania espanhola para a francesa.
 
Então, no início do século XVIII, quando os decretos da Nueva Planta foram aprovados na Espanha, a instituição foi abolida no território espanhol também.
 
'''Primeira restauração'''
 
Nota de banco da Generalitat de Catalunya, 1936
 
A Generalitat da Catalunha foi restaurada na parte sul da Catalunha e recebeu sua moderna função política e representativa como o governo regional da Catalunha em 1932, durante a Segunda República Espanhola. [10]
 
Depois que a coalizão de direita venceu as eleições espanholas em 1934, os líderes esquerdistas da Generalitat da Catalunha se rebelaram contra as autoridades espanholas, e ela foi temporariamente suspensa de 1934 a 1936.
 
'''Segunda abolição''' Em 1939, quando a Guerra Civil Espanhola terminou com a derrota do lado republicano, a Generalitat da Catalunha como uma instituição foi abolida e permaneceu assim durante toda a ditadura franquista até 1975. O presidente da Generalitat na época, Lluís Companys, foi torturado e executado em outubro de 1940 pelo crime de "rebelião militar".
 
=== Second restoration[edit] ===
The succession of presidents of the ''Generalitat'' was maintained in exile from 1939 to 1977, when Josep Tarradellas returned to Catalonia and was recognized as the legitimate president by the Spanish government. Tarradellas, when he returned to Catalonia, made his often quoted remark "''Ciutadans de Catalunya: ja sóc aquí''" ("Citizens of Catalonia: I am back!"), reassuming the autonomous powers of Catalonia, one of the historic nationalities of present-day Spain.
 
After this, the powers given to the autonomous Catalan government according to the Spanish Constitution of 1978 were transferred and the Statute of Autonomy of Catalonia (''Estatut d'Autonomia'') was passed after being approved both by referendum in Catalonia and by the Spanish parliament.
 
Nota de banco da Generalitat de Catalunya, 1936
 
A Generalitat da Catalunha foi restaurada na parte sul da Catalunha e recebeu sua moderna função política e representativa como o governo regional da Catalunha em 1932, durante a Segunda República Espanhola. [10]
 
Depois que a coalizão de direita venceu as eleições espanholas em 1934, os líderes esquerdistas da Generalitat da Catalunha se rebelaram contra as autoridades espanholas, e ela foi temporariamente suspensa de 1934 a 1936.
 
===República e autonomia===