Diferenças entre edições de "Abaiube Alançari"

5 bytes removidos ,  10h09min de 6 de maio de 2018
sem resumo de edição
m (Renato de carvalho ferreira moveu Abaiube al-Ançari para Abaiube Alançari)
{{Info/Biografia
|bgcolour = #31644d
|nome = {{Txtcor||white|Abaiube al-AnçariAlançari}}
|nascimento_data = {{dni|||576|sem idade}}
|nascimento_local = [[Medina]]
}}
 
'''Abaiube''' ou '''Abaiubiz{{harvref|Alves|2014|p=53}} al-AnçariAlançari''' ou '''al-Anssari''' ({{Langx|ar|أبو أيوب الأنصاري||''Abu Ayyub al-Ansari''}}; {{Langx|tr|'''Ebu Eyyûb el-Ensarî''' ou '''Eyüp Sultan'''}}) ([[Medina]], 576? — [[Constantinopla]], 672 ou 674?) foi um dos companheiros (<big>الصحابه</big>; ''[[sahaba]]'') de [[Maomé]] e um dos ''[[ansar]]'' {{langp|ar|الأنصار}}, ou seja, ajudante ou patrono da história [[Islão|muçulmana]] primitiva, ou um dos que apoiaram Maomé depois da ''[[Hégira]]'' (migração) para [[Medina]] em 622. "Abaiube" significa "Pai de Aiube".
 
== Vida ==
Quando Maomé chegou a Medina, todos os habitantes daquela cidade lhe ofereceram alojamento, mas ele quis ficar com os Banu Najar, com os quais eles era vagamente aparentado. Depois de ter indagado quem poderia ser o seu familiar mais próximo entre os Banu Najar, Maomé foi apresentado a Abaiube al-Ansari, com que ficaria durante sete meses.<ref>Narração Anas bin Malik, Sahih Bukhari, vol. 5, livro 58, nº 269</ref> Segundo outra versão, Abaiube foi dos primeiros habitantes de Medina a oferecer a sua casa a Maomé. A casa do profeta em Medina foi construída ao lado da de Abaiube, onde também se ergueu a primeira mesquita do [[Islão]], onde está sepultado Maomé e os dois primeiros [[califa]]s.
 
[[Imagem:Eyupsultan.JPG|thumb|upright=1.05|''[[Türbe]]'' (mausoléu) de Abaiube al-AnçariAlançari em [[Istambul]], [[Turquia]]]]
 
A figura de Abaiube também aparece na história de {{ilc|Safia|Safia binte Huiai ibne Actabe|Safiyya bint Huyyay ibn Akhtab|Huyayy ibn Akhtab}}, uma mulher judia capturada pelas tropas de Maomé durante o ataque a [[Khaybar]] que foi levada à presença do profeta como parte do saque. Na noite do casamento de Safia com Maomé, Abaiube al-AnçariAlançari ficou de guarda à tenda do casal; quando a meio da noite Maomé viu Abaiube andar de um lado para o outro perguntou-lhe o que andava a fazer, tendo Abaiube respondido que "Tinha receio por ti com esta jovem mulher. Tu mataste o seu pai, o seu marido e muitos dos seus familiares, e até recentemente ela não era crente. Eu estava muito receoso por ti por causa desta mulher".
 
Abaiube teve igualmente uma carreira militar de relevo. Dele se disse: ''«não esteve ausente de nenhuma batalha que os muçulmanos combateram desde o tempo e Maomé até ao tempo de {{Lknb|Moáuia|I}} a não ser que estivesse envolvido noutra ao mesmo tempo.»''<ref>Muhammad ibn Saad, Kitab at-Tabaqat al-Kabir (O Grande Livro das Gerações)</ref> Entre outras, participou nas batalhas de [[Batalha de Badr|Badr]], [[Batalha de Uhud|Uhud]] e da [[Batalha da Trincheira|Trincheira]] (al-Candaque ou Cerco a Medina).
=== Última campanha militar ===
 
[[Imagem:Eyupsultan5.JPG|thumb|upright=1.05|esquerda|Fachada do ''türbe'' de Abaiube al-AnçariAlançari (Eyüp Sultan)]]
 
[[Al-Tabari]] regista que no ano 49 do [[calendário islâmico]] (9 de fevereiro de 669 a 28 de janeiro de 670) ocorreram diversos de ataques contra o [[Império Bizantino]], incluindo o [[Cerco de Constantinopla de 674]], comandado pelo filho de Moáuia, [[Iázide I|Iázide]]. Abaiube encontrava-se entre os notáveis referidos como acompanhantes de Iázide. Era já um ancião, mas isso não o impedia de se alistar. Depois de ter participado brevemente nos combates, adoeceu com [[disenteria]] e teve que se retirar. Iázide foi ter com ele e perguntou-lhe: "Precisas de alguma coisa, Abaiube?", a que Abaiube respondeu: "Transmite os meus ''salaams'' (despedidas islâmicas) aos exércitos muçulmanos e diz-lhes que Abaiube os exorta a penetrar profundamente no território do inimigo, tanto quanto conseguirem, e que o carreguem e o enterrem debaixo dos seus pés junto às [[Muralhas de Constantinopla]]". Após dizer isto, Abaiube deu o seu último suspiro. O exército muçulmano cumpriu o seu pedido e empurrou as forças inimigas até às muralhas, onde Abaiube foi sepultado.