Abrir menu principal

Alterações

4 bytes removidos, 13h05min de 10 de maio de 2018
{{citação2|Cristo verdadeiramente ascendeu aos céus. Cremos que nosso Senhor Jesus Cristo, em sua mesma carne, ascendeu além do céu visível para o altíssimo céu, ou seja, a morada de Deus e dos abençoados, à direita de Deus Pai. Embora ela signifique uma participação igual na glória e na majestade, ela também é tomada como significando um certo local sobre o qual o Senhor, falando no evangelho, diz: {{citar bíblia|João|14|2|citação = Pois vou preparar-vos lugar.}}. O [[São Pedro|apóstolo Pedro]] também diz: {{citar bíblia|Atos|3|21|citação = ao qual é necessário que o céu receba até os tempos da restauração de todas as coisas}}.}}
 
== AnáliseTese crítica ==
O [[Jesus Seminar]] considera que os relatos do [[Novo Testamento]] sobre a ascensão de Jesus são invenções da comunidade cristão durante a [[era apostólica]]<ref name = "ActJTomb"/>. Eles descrevem a ascensão como sendo um modo eficiente para desacreditar as repetidas [[aparições de Jesus após a ressurreição|supostas aparições de Jesus]] na comunidade cristã da era apostólica<ref name = "ActJTomb">[[Robert W. Funk|Funk, Robert W.]] and the [[Jesus Seminar]]. ''The acts of Jesus: the search for the authentic deeds of Jesus.'' HarperSanFrancisco. 1998. "Empty Tomb, Appearances & Ascension" p. 449-495.</ref>. O teólogo [[Rudolph Bultmann]] escreveu: ''"A [[cosmologia]] do Novo Testamento é essencialmente mística; o mundo é visto como sendo uma estrutura em três camadas, com a terra no centro, o céu acima e as profundezas abaixo. O céu é a morada de Deus e dos seres celestiais - anjos... Ninguém que seja velho o suficiente para pensar por conta própria supõe que Deus viva num céu"''<ref>R.Bultmann, in " Kerygma and Myth : a Theological debate " ed. Hans Werner Bartsch , (New York : Harper & Row), 1961 pp 1-7</ref>.
 
Utilizador anónimo