Abrir menu principal

Alterações

999 bytes removidos, 07h07min de 20 de maio de 2018
Desfeita a edição 52128721 de 181.191.77.229 Trechos opinativos / monólogo
[[Ficheiro:Adoração da Santíssima Trindade.jpg|thumb|upright=1.3|''Adoração da Santíssima Trindade'',<br><small>por [[Albrecht Dürer]], no ''[[Kunsthistorisches Museum]]''</small>. <br>O [[Deus-Pai|Pai]] segura a cruz do [[Deus-Filho|Filho]] e o [[Espírito Santo]] em forma de pomba sobre a cabeça do [[Deus-Pai|Pai]]. Os três são adorados pelos [[anjos]] e [[santos]].]]
 
As três pessoas da Santíssima Trindade estabelecem uma comunhão e união perfeita, formando um só Deus, e constituem um perfeito modelo transcendente para as relações interpessoais. Elas possuem a mesma natureza divina, a mesma grandeza, sabedoria, poder, bondade e santidade, mas, em algumas vezes, certas atividades são mais reconhecidas em uma pessoa do que em outra. As funções, as suas principais atividades desempenhadas e o seu modo de operar está registrado nas [[Bíblia|Sagradas Escrituras]] e claramente resumido no [[Credo niceno-constantinopolitano]], o credo oficial de muitas denominações cristãs.
 
* [[Deus Pai|Pai]] – Não foi criado nem gerado. É o "princípio e o fim, princípio sem princípio" da vida e está em absoluta comunhão com o Filho e com o Espírito Santo. Foi o Pai que enviou o seu Filho, [[Jesus|Jesus Cristo]], para salvar-nos da morte espiritual, pelo [[sacrifício vicário]]. Isto revela o amor infinito de Deus sobre os homens e o não-abandono aos seus filhos adoptivos. O Pai, a primeira pessoa da Trindade, é considerado como o pai eterno e perfeito. É atribuído a esta pessoa divina a criação do mundo.
* [[Jesus|Filho]] – Eterno como o Pai e [[consubstancial]] (pertencente à mesma natureza e substância) a Ele. Não foi criado pelo Pai, mas gerado na eternidade da substância do Pai. Porém Colossenses 1:13-15, chama a Jesus de "primogênito de toda criação". Encarnou-se em Jesus de Nazaré, assumindo assim a natureza humana. O Filho, a segunda pessoa da Trindade, é considerado como o Filho Eterno, com todas as perfeições divinas: a Ele é atribuída a redenção (salvação) do mundo. Lucas 2 diz que o "ente santo que nasceria seria chamado Filho do Altíssimo". Ou seja, antes de nascer ele não era Filho. Se tornou Filho a nivel humano, totalmente dependente de Deus como nós, sujeito às mesmas lutas e necessidades, as quais enfrentou sem pecar.
* [[Espírito Santo]] – Não foi criado nem gerado. Esta pessoa divina personaliza o Amor íntimo e infinito de Deus sobre os homens., segundo a reflexão de Agostinho. Manifestou-se primeiramente no [[Batismo]] e na [[Transfiguração (cristianismo)|Transfiguração]] de Jesus e plenamente revelado no dia de [[Pentecostes]]. Habita nos corações dos fiéis e estabelece entre estes e Jesus, uma comunhão íntima, tornando-os unidos num só Corpo. O Espírito Santo, a terceira pessoa da Trindade, é considerado como o puro nexo de amor. Atribui-se a esta pessoa divina a santificação da Igreja e do mundo com os seus dons.
* A Trindade poderia ser comparada ao Governo. O governo é composto de três poderes distintos, independentes e harmônicos. Cada um tem sua atribuição e subordinam-se a um presidente que os rege. Todos estão no mesmo nível e atuam para o desenvolvimento, crescimento, proteção, etc do país. O Pai corresponderia ao Legislativo (o autor da lei, da estrutura), o Filho ao executivo (o verbo, o criador, o redentor) e o Espírito Santo ao Judiciário (aquele que julga, que convence do pecado, o que atua na consciência humana). A união dos três forma um só Deus, um só governo. Os tres são unos, eternos, onipotentes, oniscientes e transcendentes.A formula batismal (em nome do Pai, Filho e Espírito Santo) explicita claramente isso.
 
=== ''Prosopon'' e ''hypostasis'' ===
''Chegai-vos a mim, ouvi isto: Não falei em segredo desde o princípio; desde o tempo em que aquilo se fez eu estava ali, e agora o Senhor D<small>EUS</small> me enviou a mim, e o seu Espírito.''
 
temos aqui claramente tres pessoas, Aquele que fala, aquele que envia e aquele que acompanha.
</blockquote>
<blockquote>
''Assim diz o S<small>ENHOR</small> [Iavé],<ref>A paralavra entre colchete é adendo ao seu real significado, visto que SENHOR na forma versalete era a tradução para o [[Tetragrama YHVH|YHVH]]</ref> o teu Redentor,<ref>Termo diversas vezes utilizado para a figura salvífica de Jesus</ref> o Santo de Israel: Eu sou o S<small>ENHOR</small> teu Deus, que te ensina o que é útil, e te guia pelo caminho em que deves andar.'' (Isaías 48:16-17)
</blockquote>
Os trinitários, refutando a apresentação dos [[unitarismo|unitários]], sustentada principalmente em Deuteronômios 6:4, ''Escuta, ó Israel: Javé, nosso Deus, é um só Javé'', discorrem sobre a ''unidade composta'' de Deus.
 
Certos unitários concebem [[Jesus]] como um anjo criado, negando-lhe a natureza Divina, enquanto outros o veem apenas como um homem perfeito ou dotado de um caráter exemplar, modelar, embora rejeitem a sua pré-existência e divindade. Como explicar o que Jesus disse; Tudo o que o Pai tem é meu?
 
Os trinitarianos refutam o entendimento, dado por alguns unitários em suas cartilhas catequéticas, de que a Santíssima Trindade seriam três deuses, o que consideram uma provocação insultuosa ao credo monoteísta.