Diferenças entre edições de "Maria, Maria"

47 bytes adicionados ,  16h19min de 25 de maio de 2018
sem resumo de edição
m
| narrador =
| elenco = [[Nívea Maria]]<br /> [[Cláudio Cavalcanti]]<br /> [[Roberto Pirillo]]<br /> [[Gilberto Martinho]]<br /> [[Roberto Bomfim]]<br /> [[Haroldo de Oliveira]]<br /> [[Ana Ariel]]<br /> [[Emiliano Queiroz]]<br /> [[Carlos Duval]]<br /> Ísis Koschdoski<br /> [[Felipe Wagner]]<br /> [[Dorinha Duval]]<br /> [[Patrícia Bueno]]<br /> [[Elisa Fernandes]]<br /> [[Mário Gusmão]]<br /> [[Agnes Fontoura]]<br /> [[Antônio Patiño]]<br /> [[Renato Restier]]<br /> [[Lourdes Mayer]]<br /> [[Lafayette Galvão]]<br /> [[Ary Coslov]]<br /> [[#Elenco|ver mais]]
| abertura = "Olha Maria", [[Som Livre|Orquestra Som Livre]]
| encerramento =
| emissora orig = {{BRAb}} [[Rede Globo]]
}}
 
'''''Maria, Maria''''' é uma [[telenovela]] [[brasil]]eira que foi produzida e exibida no horário das 18 horas pela [[Rede Globo]] entre [[30 de janeiro]] e [[23 de junho]] de [[1978]], em 125 capítulos, substituindo ''[[Sinhazinha Flô]]'' e sendo substituída por ''[[Gina (telenovela)|Gina]]''.<ref>{{citar web|url=http://www.teledramaturgia.com.br/maria-maria/|titulo= Maria, Maria|publicado=Teledramaturgia|data=|acessodata=14 de dezembodezembro de 2015|língua=}}</ref> Foi a [[Lista de telenovelas das seis da Rede Globo|14ª]] "[[novela das seis]]" exibida pela [[emissora]].
 
Escrita por [[Manoel Carlos]], adaptada do [[romance]] ''Maria Dusá'', de [[Lindolfo Rocha]], e dirigida por [[Herval Rossano]].
 
== [[ator|Elenco]]Enredo ==
Em suas andanças pelo castigado sertão brasileiro, o tropeiro Ricardo Valeriano Brandão encontra a família de Raimundo Alves – gente miserável que aceita qualquer coisa por um pedaço de carne seca ou um punhado de sal. E o velho Raimundo não hesita em oferecer a filha mais velha, a bela e simplória Maria, em troca de alguns mantimentos, pois sabe que ela terá uma vida melhor se for embora com o desconhecido – e será uma boca a menos a saciar. Ricardo aceita a oferta mas libera Maria de seu compromisso de partir consigo. A moça prefere permanecer ao lado dos irmãos mais novos e Ricardo parte rumo ao seu destino, deixando para trás a imagem da bela sertaneja esfomeada que não lhe sairá da cabeça. Maria, por sua vez, também não consegue esquecer o seu bem-feitor e nutre a esperança de que algum dia ele retorne para tirar-lhe daquela vida miserável.
 
No movimentado povoado de Xique-Xique, na Chapada Diamantina, Ricardo se depara com uma moça idêntica a Maria Alves, não fosse suas vestes e seus modos de mulher fina e despachada. Vai ter com ela crente de que era a mesma esfomeada que deixara semanas antes no sertão, mas a moça não gosta dos modos do tropeiro e o trata com desdém. Sentindo-se desprezado e completamente atordoado, Ricardo humilha a moça diante de todos, o que provoca os brios dos amigos dela, prontos a lhe defender. Na fuga Ricardo mata acidentalmente um dos valentões e temeroso de seu destino parte para os garimpos.
 
Nesse mesmo tempo, chega a Xique-Xique, a senhora Dona Rosária e uma moça que acolhera – a sertaneja Maria Alves que deixara a família após a morte do pai para tentar a vida e reencontrar seu tropeiro bem-feitor. Na nova cidade, Maria começa a ser confundida com a mais ilustre figura local: Maria Dusá. Mulher deslumbrante, de fino trato, desejada pelos homens e invejada pelas mulheres, Dusá é uma criatura expansiva e de grande influência entre os poderosos das redondezas. Em pouco tempo fica sabendo da presença de sua sósia na cidade, o que lhe faz lembrar do incidente com o tropeiro que a insultara. Curiosa, ela mesma vai conhecer a outra Maria e fica sabendo da triste história da moça pobre que perdera a família por conta da miséria, e cujo objetivo na vida era reencontrar o seu grande amor. Disposta a ajudar Mariazinha (como passa a tratá-la), Dusá parte no encalço de Ricardo para defazer o mal-entendido e levá-lo de volta aos braços de sua amada.
 
Mas Ricardo Valeriano Brandão tornara-se um homem amargo e desiludido, o que lhe deu forças para enriquecer nos garimpos e esquecer aquela que o fizera sofrer. Maria Dusá, por sua vez, não resiste àquele homem de caráter tão forte e acaba se apaixonando por ele. E esquecendo de seu compromisso com Maria Alves.
 
== Elenco ==
[[Ficheiro:Nivea maria2.jpg|thumb|150px|[[Nívea Maria]] interpretou a protagonista ''Maria''.]]
*[[Nívea Maria]] - Maria Alves/Maria Dusá
*[[Cláudio Cavalcanti]] - Ricardo Valeriano Brandão
*[[Roberto Pirillo]] - Eduardinho
*[[Gilberto Martinho]] - Antônio Roxo
*[[Grande Otelo]] - Preto Maravilha
 
== [[Trilha sonora]] <ref>{{citar web|url=http://www.teledramaturgia.com.br/maria-maria-trilha-sonora/|titulo= Maria, Maria - Trilha Sonora|publicado=Teledramaturgia|data=|acessodata=14 de dezembodezembro de 2015|língua=}}</ref> ==
== [[Enredo]] ==
 
Em suas andanças pelo castigado sertão brasileiro, o tropeiro Ricardo Valeriano Brandão encontra a família de Raimundo Alves – gente miserável que aceita qualquer coisa por um pedaço de carne seca ou um punhado de sal. E o velho Raimundo não hesita em oferecer a filha mais velha, a bela e simplória Maria, em troca de alguns mantimentos, pois sabe que ela terá uma vida melhor se for embora com o desconhecido – e será uma boca a menos a saciar. Ricardo aceita a oferta mas libera Maria de seu compromisso de partir consigo. A moça prefere permanecer ao lado dos irmãos mais novos e Ricardo parte rumo ao seu destino, deixando para trás a imagem da bela sertaneja esfomeada que não lhe sairá da cabeça. Maria, por sua vez, também não consegue esquecer o seu bem-feitor e nutre a esperança de que algum dia ele retorne para tirar-lhe daquela vida miserável.
 
No movimentado povoado de Xique-Xique, na Chapada Diamantina, Ricardo se depara com uma moça idêntica a Maria Alves, não fosse suas vestes e seus modos de mulher fina e despachada. Vai ter com ela crente de que era a mesma esfomeada que deixara semanas antes no sertão, mas a moça não gosta dos modos do tropeiro e o trata com desdém. Sentindo-se desprezado e completamente atordoado, Ricardo humilha a moça diante de todos, o que provoca os brios dos amigos dela, prontos a lhe defender. Na fuga Ricardo mata acidentalmente um dos valentões e temeroso de seu destino parte para os garimpos.
 
Nesse mesmo tempo, chega a Xique-Xique, a senhora Dona Rosária e uma moça que acolhera – a sertaneja Maria Alves que deixara a família após a morte do pai para tentar a vida e reencontrar seu tropeiro bem-feitor. Na nova cidade, Maria começa a ser confundida com a mais ilustre figura local: Maria Dusá. Mulher deslumbrante, de fino trato, desejada pelos homens e invejada pelas mulheres, Dusá é uma criatura expansiva e de grande influência entre os poderosos das redondezas. Em pouco tempo fica sabendo da presença de sua sósia na cidade, o que lhe faz lembrar do incidente com o tropeiro que a insultara. Curiosa, ela mesma vai conhecer a outra Maria e fica sabendo da triste história da moça pobre que perdera a família por conta da miséria, e cujo objetivo na vida era reencontrar o seu grande amor. Disposta a ajudar Mariazinha (como passa a tratá-la), Dusá parte no encalço de Ricardo para defazer o mal-entendido e levá-lo de volta aos braços de sua amada.
 
Mas Ricardo Valeriano Brandão tornara-se um homem amargo e desiludido, o que lhe deu forças para enriquecer nos garimpos e esquecer aquela que o fizera sofrer. Maria Dusá, por sua vez, não resiste àquele homem de caráter tão forte e acaba se apaixonando por ele. E esquecendo de seu compromisso com Maria Alves.
 
== [[Trilha sonora]]<ref>{{citar web|url=http://www.teledramaturgia.com.br/maria-maria-trilha-sonora/|titulo= Maria, Maria - Trilha Sonora|publicado=Teledramaturgia|data=|acessodata=14 de dezembo de 2015|língua=}}</ref> ==
* "As Moças" - [[Beth Carvalho]]
* "Cuando Fubá" - [[Ruy Maurity]]
* "Olha Maria" - Orquestra Som Livre
 
== [[Curiosidade]]sCuriosidades ==
{{curiosidades}}
* Foi a terceira telenovela do [[autor]] Manoel Carlos, a primeira na Globo.
707

edições