Diferenças entre edições de "Kusaila"

30 bytes removidos ,  23h12min de 26 de maio de 2018
sem resumo de edição
m (Robô: Alteração da categoria redirecionada Monarcas africanos para Monarcas da África)
{{Expandir2||fr|Koceila}}
{{TOC-direita}}
'''Kusaila ibn Lamzam''', '''Kusayla''', '''Kosaila''', '''Kasila''' ou '''Koceila''' ({{langx|ber|'''Aksil''' ou '''Aksel'''}},<ref name=mod /> {{langx|tfng|ⴰⴽⵙⴻⵍ}}; n.&nbsp;640? — m.&nbsp;686 ou 690) foi um líder [[cristão]] da [[tribo]] [[Berberes|berbere]] [[Auraba]] e da confederação tribal dos {{ilc|Sanhaja||Sanhajda|Iznaguen}}. É conhecido por comandar uma resistência tenaz dos Berberes contra a [[Conquista muçulmana do Magrebe|expansão muçulmana]] no [[Norte de África]] na década de 680 e, depois de converter-se ao [[Islão]], pela sua oposição ao governador e general [[Árabes|árabe]] [[UqbaUcba ibn Nafi al-Fihri|Uqba ibnibne Nafi]].
 
==Etimologia==
Segundo o [[historiador]] medieval [[Tunes|tunisino]] [[ibne Caldune]], Kusaila era natural de [[Tlemcen]], no que é hoje o extremo noroeste da [[Argélia]]. Porém, este registo data do {{séc|XIV}}, quase 700 anos depois da sua morte, e outras fontes anteriores (as mais antigas datam do {{séc|IX}}) associam-no somente com a região de Auras ([[Aurès]], no que é atualmente o nordeste da Argélia). Kusaila cresceu em território tribal berbere durante o período do [[Exarcado de Cartago|exarcado bizantino de Cartago]].<ref name=mod />
 
Segundo fontes do séculos XI a XIV (as últimas de ibne Caldune), o [[Emir|amir]] [[Omíadas|omíada]] dos invasores árabes, um escravo liberto chamado [[Abu al-Muhajir Dinar]] (m.&nbsp;683), surpreendentemente convidou Kusaila para se reunir com ele no seu acampamento e convenceu-o a aceitar o Islão e juntar-se ao seu exército com a promessa de plena igualdade com os Árabes (678). AbuAbul al-MuhajirMuajir era um mestre na diplomacia e impressionou Kusaila não só pela sua piedade, mas também pelo seu elevado sentido de respeito e educação. Kusaila incorporou os Auraba e {{ilc|Sanhaja||Sanhadja}} no exército conquistador árabe e participou nas suas campanhas constantemente vitoriosas sob o comando de AbuAbul al-MuhajirMuajir. Este foi depois substituído à força por UqbaUcba ibnibne Nafi, que ameaçou Kusaila com desdém. O desprezo de UqbaUcba acabou por enraivecer Kusaila e levou a que este conspirasse para se vingar. Quando o exército regressou de [[Marrocos]], UqbaUcba autorizou as suas tropas a tirarem férias e regressarem a casa. Os que ficaram, cerca de 300, estavam exaustos e vulneráveis. Na marcha de regresso de UqbaUcba à sua base em [[Cairuão]], Kusaila juntou-se às tropas [[Império Bizantino|bizantinas]] e organizou uma emboscada. As forças berberes-cristãs, com cerca de {{formatnum:5000}}, derrotaram os Árabes e mataram UqbaUcba na [[batalha de Vescera]], em Tahudha, perto de [[Biskra]] em 683. Kusaila ganhou assim o domínio indisputado do Norte de África e marchou triunfante para Cairuão.<ref name=con280 /> Este relato é questionado por alguns historiadores, que dão mais credibilidade às fontes do {{séc|IX}}, segundo as quais AbuAbul al-MuhajirMuajir não tinha ligações com Kusaila, como não tinha UqbaUcba até ter caído na emboscada em Tahudha. Essas fontes mais antigas também descrevem Kusaila como um cristão e não um muçulmano convertido. No entanto, todas as fontes convergem que ele comandava uma força militar de Berberes e Bizantinos quando derrotou UqbaUcba.<ref name=mod />{{Harvy|ben|Benabbès|2005}}
 
Em 688 chegaram reforços árabes comandados por {{ilc||Zuhair ibn Kays|Kays ibn Zuhair}}. Kusaila enfrentou-se com ele em 690, na [[batalha de Mamma]]. As forças árabes, em grande superioridade numérica, derrotaram os Auraba e Kusaila foi morto. Segundo outras fontes teria morrido em 686. Contudo, tal não cessou a resistência berbere sob a liderança de Dihya, uma mulher alcunhada [[Kahina]].{{Carece de fontes|hist-af|bioh|data=outubro de 2013}}