Abrir menu principal

Alterações

2 bytes removidos ,  14h36min de 3 de junho de 2018
sem resumo de edição
'''Teosofia''' refere-se a um conjunto de doutrinas [[filosóficas]], [[Misticismo|místicas]], [[ocultistas]] e especulativas<ref>{{citar periódico|título=Forward, to the East: Mapthali Herz Imber's Perception of Kabbalah|último=Huss|primeiro=Boaz|ano=2013|periódico=Journal of Modern Jewish Studies|volume=12|número=3|página=398|doi=10.1080/14725886.2013.826464}}</ref> que buscam conhecimento direto dos mistérios presumidos da vida e da natureza, particularmente da natureza da divindade e da origem e propósito do universo. Esta escola mística/movimento iniciático propõe que todas as religiões surgiram a partir de ensinamentos de tronco comum, que se foram, de certa forma, recombinando e permutando, nas suas diversas mutações e encarnações, e que, apesar de comungarem de um tronco comum, acabam muitas vezes por deturpar os ensinamentos da doutrina original.<ref>{{citar livro|título=Western Esotericism: A Guide for the Perplexed|último=Wouter J|primeiro=Hanegraaff|local=Londres; Nova Iorque|editora=Bloomsbury Academic|ano=2013|páginas=35, 99|isbn=9781441146748|lccn=2012019254|oclc=777652932}}</ref> A teosofia é considerada parte do [[esoterismo ocidental]], que acredita que o conhecimento escondido ou a sabedoria do passado antigo oferece um caminho para a [[iluminação]] e a [[salvação]], tendo base nos ensinamentos de [[Jakob Boehme]], [[Friedrich Cristoph Oetinger]], [[Paracelsus]], [[Emanuel Swedenborg]] e [[Louis Claude de Saint-Martin]] assim como a [[Kabbalah]] Judaica . De notar que quando colocamos a teosofia nestes termos estamo-nos a referir a todo e qualquer movimento que tenha surgido no pré-Blavatskismo, estando, portanto, conotado com o movimento de gnose cristã do século XVI, XVIII e XIX
 
A origem etimológica do termo teosofia vem da ''{{ling|grc|theosophia}}'' ({{lang|grc|θεοσοφία}}), grega (θεοσοφία), que combina ''{{ling|grc|theos}}'' (θεός), "Deus" e ''sophia'' (σοφία), "sabedoria", que significa "sabedoria divina", remontando assim para uma dimensão conotada com o universo do neoplatonismo (quer o movimento do século XVI, iniciado sobretudo a partir de itáliaItália, quer o movimento do século XIX, iniciado sobretudo na Alemanha). A partir do final do século XIX, o termo teosofia geralmente foi usado para se referir às doutrinas religioreligioso-filosóficas da [[Sociedade Teosófica]], fundadas em Nova York em 1875 por [[Helena Blavatsky]], [[William Quan Judge]] e [[Henry Steel Olcott]]. O trabalho principal de Blavatsky, ''[[The Secret Doctrine]]'' (1888), foi uma das obras fundamentais da teosofia moderna<ref>{{harvnb|Blavatsky|1888}}</ref>. A partir de 2015, membros de organizações oriundas ou relacionadas à Sociedade Teosófica atuavam em mais de 52 países ao redor do mundo.{{efn|Societies and organizations include, but are not limited to, the Theosophical Society, Adyar [http://www.ts-adyar.org/node/207], the Theosophical Society, Pasadena [http://www.theosociety.org/pasadena/ts/h_tsnatsec.htm], and the United Lodge of Theosophists [http://www.ult.org/where.html]}} Constitui um movimento [[eclético]], que partilham de bases comuns em correntes como o [[cristianismo]], [[budismo]], e [[hinduísmo]] e que viriam a dar origem a toda uma série de movimentos espiritualistas de carimbo gnóstico do final do século XIX Acaba por influenciar, de igual modo toda uma série de movimentos da nossa época, como por exemplo, a [[metafísica cristâ]] de [[Conny Méndez]], a Escola Arcana de [[Alice Bailey]], a Sociedade Antroposófica de [[Rudolf steiner]], a Fundação [[Jiddu Krishnamurti|Krishnamurti]] e correntes relacionadas com as doutrinas orientalistas sobre ''níveis de ascensão'' ([[Mestres Ascendidos]]). A teosofia moderna também deu origem ou influenciou o desenvolvimento de outras formas místicas, filosóficas, e movimentos religiosos. <ref name="Melton 1990 xxv–xxvi">{{harvnb|Melton|1990|loc=xxv–xxvi}}</ref>
 
Contudo existem diferenças substancias, entre o movimento de gnose espiritualista cristã do século XVI-XVIII e aquilo que viria a ser a doutrina sincrética de [[Helena Blavatski]] (quase comparáveis à diferença entre o movimento rosacruciano ortodoxo, e depois encarnações que este viria a ter mais tarde como é o caso da [[Ordo Templi Orientis]] ou da [[Ordem Hermética da Aurora Dourada]], movimentos com conotações substancialmente diferentes dos originais. No caso da teosofia a semelhança mantém-se na ideia de [[transmigração da alma]] e no conceito de [[metempsicose]] que é aceite quer por pelo movimento da teosofia cristã, quer pela síntese de blavatski, com nuances. Convém referir que a ideia latente em [[metempsicose]] difere em sobremaneira da ideia de reencarnação.
Considera-se que a Teosofia ''strictu sensu'' seja isenta de identificação com quaisquer culturas e sociedades específicas, sendo em vez a fonte original do conhecimento divino que verte em uma determinada cultura através dos [[símbolo]]s e [[arquétipo]]s próprios daquele povo. Por exemplo, a sabedoria divina foi transmitida à civilização do [[Egito antigo]] através dos símbolos, [[divindade]]s, [[mito]]s, [[alegoria]]s e arquétipos locais, possibilitando a assimilação dos conceitos divinos através desta roupagem. E como no Egito, também nas outras terras, a [[Grécia antiga]], a [[Babilônia]], [[Tibete]], [[América]], [[Europa]] e em todas as culturas, independentemente de terem feito contato entre si, demonstrando que a Teosofia é uma sabedoria que se expressa e pode ser conhecida por diversas fontes.
 
Quando Blavatsky lançou o movimento teosófico contemporâneo no século XIX valeu-se de uma grande quantidade de elementos da tradição religiosa [[Hinduísmo|Hindu]], que havia estudado durante sua permanência no Tibete. Assim, sua apresentação compreende uma terminologia muitas vezes baseada no idioma [[sânscrito]], divulgando no ocidente conceitos como [[Maya]] (ilusão), [[Dharma]] (caminho) e [[Mahatma]]s (grandes almas). Outros conceitos fundamentais, conhecidos há milênios no oriente, mas que a Teosofia popularizou no ocidente, são a [[Reencarnação]] e o [[Karma]]. Mas isso, como já foi exposto, não define a Teosofia como uma filosofia hindu ou oriental, e diversas referências de outras culturas e sistemas, como o [[TaoísmoTaoismo]], [[Budismo]], [[Cabala]], [[Cristianismo]], [[Gnose]] e [[Hermetismo]], remetem a Teosofia à sua essência divina e universal.
 
Basicamente a Teosofia prega a fraternidade universal, a origem espiritual das formas e dos seres, e a unidade de toda a vida; aponta uma fonte única e eterna para todo conhecimento, demonstra a identidade essencial entre os grandes mitos das culturas mundiais, traça o perfil da estrutura do [[cosmo]] e do homem e descreve os mecanismos, suas leis, suas potencialidades e suas transformações ao longo dos [[aeons]].
 
Apesar de recomendar o esforço próprio em busca do crescimento pessoal e uma vigilância incessante contra o auto-enganoautoengano e a fé cega, ainda assim defende a [[Revelação]], uma vez que declara a existência de mundos e estados de consciência presentemente inacessíveis à pessoa comum. Mas diz que todos seremos capazes de atingíatingi-los um dia, se não nesta vida, numa vindoura. Defende com isso, também a [[evolução]] da vida e do Homem, e a existência de Homens Perfeitos, os Mahatmas ou Mestres de Sabedoria. Estes Mestres, uma vez homens imperfeitos como nós, evoluíram para um estágio super-humano, de onde ora velam pela raça humana dando-lhe ensinamento, diretamente ou através dos mensageiros os [[Profeta]]s e [[Santo]]s de todas as religiões, e auxílios inumeráveis como agentes da [[Providência]] e da [[Justiça Divina]]s, e mesmo aparecendo visivelmente entre os irmãos menos evoluídos, quando os tempos o exigem, para dar-lhes conforto, direção e inspiração, e reacender nos corações um amor mais intenso pelo divino.
 
A Teosofia diz que a fonte de todo mal é a ignorância. O conhecimento, segundo prega, é ilimitado, mas se bem que sua totalidade esteja além do alcance de qualquer ser individual, é em vasta medida acessível a todos através de um longo processo de evolução, aprendizado e aperfeiçoamento, que necessariamente exige múltiplas encarnações, e continua até mesmo para regiões e idades onde a encarnação deixa de ser compulsória e a vida progride de beatitude em beatitude. A Teosofia é uma doutrina essencialmente otimista, pois refuta qualquer condenação eterna e não nega o mundo, ainda que declare que este que vemos e tocamos não é o único nem o maior, mais feliz ou mais desejável, e prevê para todos os seres sem exceção um progresso constante e um destino glorioso e absolutamente feliz. Como todas as grandes doutrinas espirituais, a Teosofia exalta o bem, a paz, o amor, o [[altruísmo]], e promove a cessação da pobreza, da ignorância, da opressão, das discórdias e desigualdades.
 
== A Teosofia na prática ==
A Teosofia, com o vasto acervo de informações de variada natureza, sua [[didática]] cristalina, o idealismo e formosos panoramas, oferece alimento espiritual e instrução prática para toda classe de pessoas, do rude ao educado, do cientista ao devoto. A aquisição metódica e progressiva do conhecimento teosófico, seja individualmente ou através de associações e grupos de estudo ou Lojas Teosóficas, com sua necessária aplicação prática, impele em todos os casos a uma mudança para melhor no estilo de vida. Sua descrição científica, objetiva, mas não menos entusiasta e bela do mundo, e a explicação clara dos mecanismos gerais invisíveis, esclarece o propósito da existência, dissipa muitos terrores religiosos arcaicos, ensina a evitar muitas aflições e sofrimentos supostamente inescapáveis, dá vida nova a formas religiosas tradicionais cujo poder motivador se perdera para o fiel, e ensina o caminho para uma vida material e espiritualmente frutífera em harmonia com tudo o que vive, em obediência às leis eternas que regem e sustentam os mundos manifestos. Também sistematiza técnicas graduadas de auto-aprimoramentoautoaprimoramento físico, moral e espiritual, e desvenda novos horizontes e novas possibilidades para a humanidade a cada novo conceito apreendido e posto em prática, em direção à materialização da paz na Terra a todos os seres.<ref>[http://www.blavatsky.net/magazine/theosophy/ww/setting/puresimple.html '''Crosbie, Robert.''' ''Theosophy Pure and Simple'']</ref>
 
== Influência ==