Abrir menu principal

Alterações

38 bytes removidos ,  15h24min de 12 de junho de 2018
A imagem quotidiana da era vitoriana é a de uma sociedade burguesa e de classe média. Porém, as diferenças dentro desta classe não estavam muito definidas. A burguesia inglesa definia-se a si mesma como ''"middle class”'', o que a distinguia da ''“upper class”'', constituída pela nobreza e pelos aristocratas de grandes famílias. A alta burguesia era constituída por banqueiros, homens de negócios e financeiros que tinham conseguido a sua fortuna em virtude das novas características da economia.<ref>Cortés Carmen, 1985, p. 31-32</ref>
 
A classe média comum e a classe média baixa tentavam imitar os costumes das classes mais altas e os seus membros eram pequenos comerciantes e empresários, médicos e advogados, entre outros.<ref>Cortés Carmen, 1985, p. 33</ref>
 
As normas sociais eram definidas pelas classes mais elevadas. Os aristocratas possuíam propriedades com mais de quatro mil hectares nas quais passavam os meses de verão e, no inverno, iam para Londres. Os ''gentry'', um grupo social do qual faziam parte cerca de três mil famílias que possuíam propriedades de tamanho superior a cem e inferior a quatro mil hectares, seguiam também estas normas.<ref>Cortés Carmen, 1985, p. 33</ref>