Trabalho informal: diferenças entre revisões

2 197 bytes adicionados ,  21 de junho de 2018
sem resumo de edição
 
'''Trabalho informal''' é o trabalho sem vínculos registrados na [[carteira de trabalho]] ou documentação equivalente, sendo geralmente desprovido de benefícios como remuneração fixa e [[férias]] pagas. O uso da expressão trabalho informal tem suas origens nos estudos realizados pela [[Organização Internacional do Trabalho]] (OIT) no âmbito do Programa Mundial de Emprego de 1972. Ela aparece, de forma particular, nos relatórios a respeito das condições de trabalho em [[Gana]] e [[Quénia|Quênia]], na África.
 
== O Problema do Trabalho Informal ==
Podemos observar, segundo o G1, que “entre os trabalhadores ocupados no Brasil, apenas 46,6% estão contratados dentro da lei. São informais 53,4%. Não têm auxílio doença, aposentadoria, pensão por morte e nem têm garantidos os benefícios dos contratados em carteira: férias, gratificação de um terço do salário nas férias, descanso remunerado, décimo terceiro, pagamento de hora extra, licenças maternidade e paternidade, e, em caso de demissão, aviso prévio de 30 dias, permissão para sacar o FGTS e multa de 40% sobre o saldo do fundo, além do seguro desemprego.”
 
Assim, percebemos um quadro complicado e que se agravou com a recente reforma trabalhista brasileira. Como mais de metade dos trabalhadores brasileiros trabalham à margem do mundo formal do trabalho, a realidade é de cada vez mais uma precarização e flexibilização das relações de trabalho, o que faz com que esses trabalhadores não recebam garantias básicas e não consigam prever estabilidade e sustento futuros.
 
Muitos desses trabalhadores são vendedores ambulantes, trabalhadores da construção civil, empregadas domésticas dentre outras funções, nas quais a maioria são trabalhos que exigem muito do físico e da saúde dessa pessoa. A exemplo da construção civil, em caso de acidentes, esse trabalhador não tem nenhum tipo de amparo ou garantia e muitas vezes acaba tendo que trabalhar sem estar em completa capacidade de exercer suas funções, podendo comprometer o trabalho feito ou até mesmo a sua capacidade de trabalhar por mais anos. Além disso, é um tipo de trabalho que também não favorece o Estado, já que esses trabalhadores não entram na maioria das porcentagens de arrecadação, diminuindo a quantia direcionada aos cofres públicos.
 
O trabalho informal se manifesta como uma das formas do trabalho precário, uma vez que insere o trabalhador em uma condição de extrema incerteza e insegurança. Nas palavras da Profa. Dra. Graça Druck: "O conteúdo dessa nova precarização é dado pela condição de instabilidade, insegurança, fragmentação dos coletivos de trabalhadores, e brutal concorrência entre eles".
 
== No Brasil ==
5

edições