Diferenças entre edições de "Monjolo"

Sem alteração do tamanho ,  12h58min de 23 de junho de 2018
Um erro em uma frase.
m (ajustes gerais nas citações, outros ajustes usando script)
(Um erro em uma frase.)
Pode ser usado para descascar e triturar [[grão]]s secos , resultando numa farinha mais espessa.<ref>[http://historiadaagua.ana.gov.br ''A História do Uso da Água no Brasil: Do descobrimento ao Século XX'', um projeto da Agência Nacional de Águas, 2007]</ref> Diversos alimentos, como o [[fubá]] e a farinha de milho, eram produzidos por meio do esmagamento nos monjolos. A ferramenta tinha capacidade de socar até trinta litros de milho em uma hora e meia. A expressão popular "trabalhar de graça, só monjolo" surgiu daí.<ref name=":1">{{Citar web|url=http://basilio.fundaj.gov.br/pesquisaescolar./index.php?option=com_content&view=article&id=629|titulo=Pilão e Monjolo|acessodata=2017-11-20|obra=basilio.fundaj.gov.br}}</ref>
 
Com o efeito gangorra, a água impulsiona a ferramenta fazendo-a ter movimento. Em uma extremidade, uma concha é enchida com a água, fazendo a outra parte, equipada com uma [[estaca]], se levante. Ao esvaziar a cuba, o movimento se inverte. Com esse movimento, os grãos vão sendo socados e moídos dentro de um [[pilão]]. Obviamente, a tarefa é mais demorada quando comparada com os equipamentos elétricaselétricos atuais, mas há considerável economia de energia.<ref name=":0" />
 
Além da função primária do monjolo de descascar e moer grãos, nas fazendas pelo interior do Brasil ele tomou também outra importante função: espantar pacas e lontras que vinham do rio para se alimentarem e que estragavam a plantação. A cada batida da mão do monjolo no fundo do cocho, respeitando a periodicidade que a água lhe implicava, um som de madeira ecoava pela mata, assustando e afastando os animais.<ref>{{Citar periódico|ultimo=Whitaker|primeiro=Dulce Consuelo Andreatta|data=2005-12-01|titulo=Dezoito anos de assentamentos rurais: Diferentes dimensões desta difícil maioridade|url=http://www.retratosdeassentamentos.com/index.php/retratos/article/view/1|jornal=Retratos de Assentamentos|volume=7|numero=1|paginas=11–60|issn=2527-2594}}</ref>
Utilizador anónimo