Diferenças entre edições de "Cativeiro Babilónico"

36 bytes adicionados ,  22h53min de 1 de julho de 2018
sem resumo de edição
m (Foram revertidas as edições de 177.129.61.3 (usando Huggle) (3.4.2))
Etiquetas: Huggle Reversão
{{Multitag|1=rev|2=pi|3=mnot|data=julho de 2018}}
{{Ver desambig|texto=Não confundir com a famosa obra de [[Martinho Lutero]] chamada [[Do Cativeiro Babilônico da Igreja]].}}
 
{{Ver desambig|texto=Não confundir comPara a famosa obra de [[Martinho Lutero]], chamadaveja [[Do Cativeiro Babilônico da Igreja]].}}
 
O '''Cativeiro''' {{PEPB|Babilónico|Babilônico}}, também chamado de '''Exílio''' ou '''Cativeiro''' {{PEPB|na Babilónia|na Babilônia}}, é o nome geralmente usado para designar o [[exílio]] dos [[judeus]] do antigo [[Reino de Judá]] para a [[Babilônia|Babilónia]] por [[Nabucodonosor II]]. Este período histórico foi marcado pela atividade dos profetas do [[Antigo Testamento]], [[Jeremias (Bíblia)|Jeremias]], [[Ezequiel]] e [[Daniel (profeta)|Daniel]]. A primeira deportação teve início em {{AC|609|x}}. Em {{AC|598|x}}, [[Jerusalém]] é sitiada e o jovem [[Jeconias de Judá|Joaquim]] ( Jeconias ou Conias) rei de [[Reino de Judá|Judá]], rende-se voluntariamente. O [[Templo de Jerusalém]] é parcialmente saqueado e uma grande parte da nobreza, os oficiais militares e artífices, inclusive o Rei, são levados para o Exílio em Babilónia. [[Zedequias]], tio do Rei Joaquim, é nomeado por Nabucodonosor II como rei [[vassalo]]. Precisamente 11 anos depois, em {{AC|587|x}}, houve uma nova rebelião no [[Reino de Judá]], ocorre a terceira deportação e a consequente destruição de Jerusalém e seu Templo.