Abrir menu principal

Alterações

1 105 bytes adicionados, 03h50min de 2 de julho de 2018
Alterações na gramática. Inclusão de informações da carreira musical, como os álbuns criados pelo artista.
== Biografia‏ ==
=== Carreira musical ===
Antes do Burzum, Varg havia criado um grupo chamado de Uruk-Hai,. semSem muitas expectativas com o grupo e com a falta de interesses em comum, Vikernes abandona o grupo e entra para o Old Funeral, que naquele momento chamava-se apenas Funeral. Desta vez, havia músicos sérios e Varg fez suas apresentações com a banda e gravações. Porém, novamente, por falta de interesses em comum, ele decide abandonar o projeto e começar outro, apenas seu e que o representasse ao máximo.
de interesses em comum com Varg, o mesmo abandona o grupo e entra para o Old Funeral, que naquele momento chamava-se
apenas Funeral. Desta vez havia músicos sérios e Varg fez suas apresentações com a banda e gravações, mas novamente por
falta de interesses em comum, Varg decide abandonar o projeto e começar um novo, um só seu e que representasse ele ao máximo. Utilizou o nome Burzum, que significa escuridão e está escrito no Anel de Sauron no conto de "[[O Senhor dos Anéis]]".
Varg não queria um nome em inglês e como sempre foi muito fã da obra, escolheu este nome.
Varg Vikernes fez uma participação como baixista no [[Mayhem]] no álbum “[[De Mysteriis Dom Sathanas]]”, lançado pela primeira vez [[1994]]. Seu primeiro álbum com o [[Burzum]], intitulado simplesmente “[[Burzum (álbum)|Burzum]]” foi lançado pela [[Deathlike Silence]], em 1992.
 
Utilizou o nome "Burzum", que significa "escuridão" e está escrito no Anel de Sauron no conto de "[[O Senhor dos Anéis]]". Varg não queria um nome em inglês e, como sempre foi muito fã da obra, escolheu este nome.
Após sua saída da prisão, em 2008, Varg deu continuidade à banda e lançou o álbum [[Belus]], em 2010, considerado um do melhores álbum de metal dos últimos anos. Nos anos seguintes, sucederam-se novos discos: ''[[Fallen (álbum de Burzum)|Fallen]]'' (2011), ''[[From the Depths of Darkness]]'' (2011), uma regravação dos clássicos, e ''[[Umskiptar]]'' (2012). No início de 2013, ele anuncia que deixaria de fazer Black Metal e então divulga seu último trabalho do gênero pela internet, uma música instrumental de 2 minutos. Como isso ele passaria a gravar apenas álbuns com teclados e sintetizadores: no mesmo ano, ele divulga ''[[Sôl austan, Mâni vestan]]''. Seu último lançamento é o disco "[[The Ways of Yore]]"(2014).
 
Varg Vikernes fez uma participação como baixista no [[Mayhem]] no álbum “[[De Mysteriis Dom Sathanas]]”, lançado pela primeira vez [[1994]]. Seu primeiro álbum com o [[Burzum]], intitulado simplesmente “[[Burzum (álbum)|Burzum]]” foi lançado pela [[Deathlike Silence]], em 1992.
 
Depois de várias demos, lançou seu primeiro álbum "''[[Burzum (álbum)|Burzum]]''", pela [[Deathlike Silence]], em 1992. No mesmo ano, Vikernes gravou o álbum "''[[Aske]]''", lançado posteriormente, em 1993. O contexto desse disco remete ao início de um período marcado, na Noruega, pelo incêndio de Igrejas, razão pela qual a capa do álbum é o resquício de uma. Vikernes foi investigado por uma suposta ligação a esses crimes. Quase junto com a criação e gravação de "Aske", Varg lançou "''[[Det Som Engang Var]]''". Em 1992, ele também gravou "''[[Hvis Lyset Tar Oss]]''", lançado apenas em 1994. Tratou-se de uma mudança no som do Burzum, uma vez que esse álbum possui um marcante som ambiente, o qual tornou-se uma marca do músico dali em diante.
 
Gravado em 1993, em 1996 vem ao público o "''[[Filosofem]]''". Para muitos, a grande obra do Burzum e do Black Metal, pois dali marcou influência para várias bandas do gênero.
 
Em 1993, Varg Vikernes envolveu-se no assassinato de [[Øystein Aarseth|Euronymous]]. Por isso, ficou preso até 2009. Nesse período, desenvolveu dois álbuns, "''[[Dauði Baldrs]]" e "[[Hliðskjálf (álbum)|Hliðskjálf]]",'' respectivamente, em 1997 e 1999.
 
Após sua saída da prisão, em 2008, Varg deu continuidade à banda e lançou o álbum "[[Belus]]", em 2010, considerado um do melhores álbum de metal dos últimos anos. Nos anos seguintes, sucederam-se novos discos: "''[[Fallen (álbum de Burzum)|Fallen]]"'' (2011), "''[[From the Depths of Darkness]]"'' (2011), uma regravação dos clássicos, e "''[[Umskiptar]]"'' (2012). No início de 2013, ele anuncia que deixaria de fazer Black Metal e então divulga seu último trabalho do gênero pela internet, uma música instrumental de 2 minutos. Como isso ele passaria a gravar apenas álbuns com teclados e sintetizadores: no mesmo ano, ele divulga "''[[Sôl austan, Mâni vestan]]"''. Seu último lançamento é o disco "[[The Ways of Yore]]"(2014).
 
=== Morte de Euronymous ===
Existem boatos que dizem que a rixadisputa entre ambosVarg erae [[Øystein Aarseth|Euronymous]], causada pelo fato de Vargo primeiro estar deixando o selo dedo segundo. Varg dizia que [[Øystein Aarseth|Euronymous]], já que Varg dizia que ele era incompetente para lançar discos do Burzum com a [[Deathlike Silence]] Records, e que pretendia criar sua própria gravadora chamada Burznazg, cujo nome foi mudado para Cymophane Records, em 1993. Vikernes considerou assinar com a [[Earache Records]] na época, mas as negociações não progrediram.
 
A tensão entre os dois teve seu ápice em [[1993]] quando. Varg, segundo o próprio, descobriu por meio de um amigo em comum que supostamente contou a ele a trama de [[Øystein Aarseth|Euronymous]] que pretendia deixá-lo desacordado e levá-lo até uma floresta onde o torturaria até a morte. Varg decidiu tirar satisfação com Aarseth. Em 10 de Agosto de 1993, Varg Vikernes assassinou o guitarrista Euronymous. Naquela noite, Varg Vikernes e [[Snorre W. Ruch]] viajaram de Bergen até o apartamento de Euronymous, em Oslo. Na chegada, houve uma discussão e um confronto que terminou com Varg esfaqueando Euronymous. No julgamento, Varg Vikernes se defendeu dizendo que a maioria dos ferimentos foram causadas por cacos de vidro que caíram no chão . Varg relata o confronto entre ele e Euronymous no filme "[[Until the Light Takes Us]]".
 
Na chegada, houve uma discussão e um confronto que terminou com Varg esfaqueando Euronymous. No julgamento, Varg Vikernes se defendeu dizendo que a maioria dos ferimentos foram causadas por cacos de vidro que caíram no chão. Varg relata o confronto entre ele e Euronymous no filme "[[Until the Light Takes Us]]". Após a morte de [[Øystein Aarseth|Euronymous]], Varg foi condenado a 21 anos de prisão (pena máxima na [[Noruega]]), pelo assassinato do músico e também por acusações de queima de igrejas. Na prisão, dedicou alguns anos ao [[Burzum]], lançando dois álbuns somente com sons ambiente, o "[[Dauði Baldrs]]" e o "[[Hliðskjálf (álbum)|Hliðskjálf]]".
A tensão entre os dois teve seu ápice em [[1993]] quando Varg, segundo o próprio, descobriu por meio de um amigo em comum que supostamente contou a ele a trama de [[Øystein Aarseth|Euronymous]] que pretendia deixá-lo desacordado e levá-lo até uma floresta onde o torturaria até a morte. Varg decidiu tirar satisfação com Aarseth. Em 10 de Agosto de 1993, Varg Vikernes assassinou o guitarrista Euronymous. Naquela noite, Varg Vikernes e [[Snorre W. Ruch]] viajaram de Bergen até o apartamento de Euronymous em Oslo. Na chegada, houve uma discussão e um confronto que terminou com Varg esfaqueando Euronymous. No julgamento, Varg Vikernes se defendeu dizendo que a maioria dos ferimentos foram causadas por cacos de vidro que caíram no chão . Varg relata o confronto entre ele e Euronymous no filme "[[Until the Light Takes Us]]".
Após a morte de [[Øystein Aarseth|Euronymous]], Varg foi condenado a 21 anos de prisão (pena máxima na [[Noruega]]), pelo assassinato do músico e também por acusações de queima de igrejas. Na prisão, dedicou alguns anos ao [[Burzum]], lançando dois álbuns somente com sons ambiente, o "[[Dauði Baldrs]]" e o "[[Hliðskjálf (álbum)|Hliðskjálf]]".
 
Varg deixou a cadeia após cumprir pena por quase 16 anos. Foi libertado em regime de liberdade condicional no dia 24 de maio de 2009.