Abrir menu principal

Alterações

20 bytes adicionados, 04h40min de 4 de julho de 2018
m
A década de 90 começou com [[Motörhead]] compondo uma música chamada ''R.A.M.O.N.E.S''. Joey foi quem se sentiu mais honrado com o tributo prestado por [[Lemmy]]. Neste ano também foi lançado outro tributo chamado "''Gabba Gabba Hey''", com vários artistas norte-americanos, entre eles: [[Keith Morris]], [[D.I.]], Chemical People, os irmãos Agnew, Jeff Dahl e duas bandas que estavam entre as prediletas de C.J. na época, [[L7]] e [[Bad Religion]].
 
Em 1991, os Ramones definitivamente eram uma banda universal. Turnês de dez dias na [[Austrália]], dez na [[Espanha]], três dias seguidos em [[Tóquio]], [[Buenos Aires]] ou [[São Paulo (estado)|São Paulo]] começaram a se tornar rotineiras. Os argentinos eram os fãs mais fanáticos da banda. Chegavam a fechar a rua do hotel e promoviam coros de "hey ho let's go" no aeroporto que davam para ser ouvidos pela banda ainda antes desta sair do avião. Em São Paulo, três apresentações cheias na extinta casa de shows Dama Xoc. Numa das noites pós-show, Joey participou de um programa de rádio e escolheu músicas de seus artistas favoritos: [[New York Dolls]], [[Stooges]], [[Motörhead]], [[MC5]], [[The Who]], [[David Bowie]], [[Jimi Hendrix]], [[AC/DC]], [[Buzzcocks]], [[Blondie]], [[Alice Cooper]], [[Jane's Addiction]] e temas dos Ramones.
 
Em [[Barcelona]], os Ramones reservaram duas datas e gravaram ''Loco Live'', o segundo álbum ao vivo dos Ramones. O álbum saiu em duas versões: europeia e americana. A diferença entre as duas era a capa e umas 5 faixas diferentes entre as 33 presentes. Nesta época os Ramones estavam tocando em um ritmo bem acelerado. C.J. fazia backing vocals certeiros e cantava ''Wart Hog'', Marky comandava o chimbal de forma impressionante, Johnny era perfeito na sua simplicidade e Joey, mesmo atropelando frases, mostrava por que era um vocalista soberbo.
883 478

edições