Diferenças entre edições de "Funcionalismo (ciências sociais)"

Foram revertidas as edições de 2804:7F7:D384:AF16:D482:F8B5:D13:F16B (usando Huggle) (3.3.3)
(Foram revertidas as edições de 2804:7F7:D384:AF16:D482:F8B5:D13:F16B (usando Huggle) (3.3.3))
Termo que em [[sociologia]] exprime a ideia de uma [[sociedade]] vista como um [[organismo]] vivo onde cada parte tem uma função (semelhante à [[biologia]]).
 
A grande critica sobre esta visão reside no fato de, como num organismo viivovivo, haver a tendência em identificar partes deste como mais importantes (órgãos vitais), justificando assim a existência e manutenção ou extinção daqueles considerados como menos importantes. Seriam as partes descartáveis da sociedade.
 
Uma distinção, primeiramente feita por [[Robert King Merton]], é feita entre funções evidentes e funções latentes<ref name="Gordon Marshal 190 191">Gordon Marshall. ''Dicionário Oxford de Sociologia'', pp. 190-191. [[1994]].</ref> e também entre funções com efeitos positivos (funcionais ou positivamente funcionais) e negativos (disfuncionais).<ref name="Thomas Hoult p 139" /> Assim, descrever uma [[instituição]] como "funcional" ou "disfuncional" para os homens equivale a declará-la, respectivamente, "recompensadora" ou "punitiva".