Abrir menu principal

Alterações

Sem alteração do tamanho, 00h26min de 12 de julho de 2018
m
Adequações para leitura tanto por portugueses quanto por brasileiros
}}
 
O '''descarrilamento de Santiago de Compostela''' foi um acidente [[ferroviário]] ocorrido em [[24 de julho]] de [[2013]], quando um [[trem de alta velocidade]] (português brasileiro) ou comboio de alta velocidade (português europeu) do serviço [[Alvia]] que liga [[Madrid]] à cidade [[galiza|galega]] [[Ferrol]], descarrilou em Angrois, três quilómetros antes de chegar à estação de [[Santiago de Compostela]].
 
Das 222 pessoas a bordo (218 passageiros e quatro membros da tripulação), 80 morreram e 147 ficaram feridas.<ref>{{citar web|URL=http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=3952882&page=-1|título=Velocidade e distração do maquinista causaram acidente ferroviário de Santiago de Compostela|autor=|data=|publicado=|acessodata=}}</ref> Relatórios técnicos não oficiais afirmam que o comboio (português europeu) ou trem (português brasileiro) viajava a uma velocidade que era o dobro do limite imposto para a curva onde descarrilou.
 
O acidente aconteceu na véspera do [[Dia Nacional da Galiza]] (dia do [[Apóstolo Santiago]]), tendo os festejos sido cancelados. Como consequência desta tragédia a [[Junta da Galiza]] (governo autônomo) decretou sete dias de luto.
A viagem já decorria de forma anormal desde que a composição saiu de Ourense. O chamado sistema de travagem “homem morto”, que é accionado quando o maquinista passa algum tempo sem utilizar nenhum comando, foi activado duas vezes antes do acidente.
 
O trem/ ou comboio de alta velocidade Alvia, ainda antes do acidente, por duas vezes que foi travado de 110 quilómetros por hora para 48 quilómetros através do sistema “homem morto”.
 
O comboio/ ou trem saiu da estação de Ourense às 20h05 de dia 24 de Julho e entre as 20h08 e as 20h12, enquanto Francisco José Garzón accionava vários dispositivos técnicos, ficou na cabine com outra pessoa a conversar. Essa outra pessoa era o maquinista que deixou de estar aos comandos em Ourense, Javier Illanes. Nessa altura surgiu um aviso de uma avaria no sistema de ar condicionado e Illanes foi ver o que se passava, não voltando a ter contacto com Garzón até à hora do acidente.
Renfe estranha que passageiros não tenham sentido
 
Às 20h15 o sistema de “homem morto”, criado para prevenir situações em que o maquinista sofre algum súbito problema de saúde, foi activado pela primeira vez e o comboio ou trem viu a velocidade reduzida de 110 quilómetros por hora para 48, já que o maquinista nada fez para parar o sinal sonoro e não deu indicações para mostrar que estava aos comandos. A cada 30 segundos o maquinista, conforme o comboio/ ou trem, deve por exemplo carregar num botão que assinala que está operacional.
 
Um minuto e 44 segundos depois acontece o mesmo e o trem ou comboio passa de 109 para 86 quilómetros por hora. Em alguns trens ou comboios, explica o El País, o sistema de “homem morto” pára totalmente o trem/ ou comboio, mas no Alvia o maquinista consegue que a composição retome logo a velocidade. Contudo, no relatório a Renfe diz estranhar a proximidade da actuação do sistema, sobretudo se o maquinista recuperou velocidade, e que os passageiros não tenham sentido o abrandamento brusco.<ref>{{citar web|URL=http://www.publico.pt/mundo/noticia/sistema-de-travagem-homem-morto-usado-duas-vezes-no-comboio-que-descarrilou-em-santiago-1605078|título=Sistema de travagem “homem morto” usado duas vezes no comboio que descarrilou em Santiago|autor=|data=|publicado=|acessodata=}}</ref>
 
==Acidente==
Às 20h41m hora local (18h41m [[Tempo Universal Coordenado|UTC]]) de 24 de julho de 2013,<ref name="renfe">{{citar web|url=http://web02.renfe.es/u13/MTR/UltimaHora.nsf/Leer%20Noticia%203A?OpenAgent&id=AB214A240CF193ADC1257BB20075CCB6 |título=Descarrilo del tren Alvia Madrid-Ferrol |trans_title=Alvia train derailed Madrid-Ferrol |publicado=RENFE |acessodata=24 de julho de 2013}} ({{citar web|url=http://www.webcitation.org/6IMOJRVTr|acessodata=25 de julho de 2013|título=Descarrilo del tren Alvia Madrid-Ferrol}})</ref><ref name=Mundo>{{citar web|título=77 muertos y más de 140 heridos al descarrilar un tren de pasajeros en Santiago |trans_title=77 dead and more than 140 injured in passenger train derailment in Santiago |autor =David Reinero, Sonia Vizoso|url=http://www.elmundo.es/elmundo/2013/07/24/espana/1374693824.html|obra=[[El Mundo (Espanha)|El Mundo]]|acessodata=25 de julho de 2013|data=25 de julho de 2013|língua=espanhol}}</ref> um trem da empresa ferroviária estatal RENFE Class 730 de passageiros que fazia a rota expresso entre a [[Estação Chamartín|Estação Chamartín em Madrid]] e [[Ferrol]] descarrilou em Angrois, [[Santiago de Compostela]].<ref name=Pais2>{{citar web|título=Tragedia Ferroviaria en Santiago |trans_title=Railway tragedy in Santiago |url=http://ccaa.elpais.com/ccaa/2013/07/24/galicia/1374693125_734192.html|obra=[[El País]]|acessodata=25 de julho de 2013|data=25 de julho de 2013|língua=espanhol}}</ref><ref name=BBC /> Os 8 vagões/ (português brasileiro) ou as 8 carruagens (português europeu) e os 2 cabeças tratores<ref>[http://www.lavozdegalicia.es/noticia/santiago/2013/07/24/maquinista-tren-descarrilado-santiago-reconoce-iba-190-hora/00031374692270721158120.htm ''Accidente en Santiago: La caja negra confirma que el tren iba a más de 190 km/h'']</ref> saíram dos carris quando o trem/comboio entrou numa curva, e 4 delas capotaram.<ref name=BBC>{{citar web|título=Dozens die as Spanish train derails in Galicia|url=http://www.bbc.co.uk/news/world-europe-23442018|publicado=[[BBC News]]|acessodata=25 de julho de 2013|data=25 de julho de 2013}}</ref> O trem ou comboio levava 218 passageiros.<ref name="renfe" /> Uma das carruagens (português europeu) ou um dos vagões (português brasileiro) ficou partida(o) ao meio e outra(o) incendiou-se. O excesso de velocidade é apontado como a principal causa do acidente.<ref name=ElPais25July2013>{{citar jornal|título=Accidente ferroviario en Santiago de Compostela |trans_title=Railway accident in Santiago de Compostela |url=http://elpais.com/elpais/2013/07/25/media/1374703338_483146.html|acessodata=25 de julho de 2013|jornal=[[El País]]|data=25 de julho de 2013 – 00:02 CET|autor =Rodrigo Silva|autor2 =Antonio Alonso|local=Madrid|língua=espanhol}}</ref>
 
O balanço final de vítimas é de 80 mortos e 147 feridos.<ref>{{citar web|URL=http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=3952882&page=-1|título=Velocidade e distração do maquinista causaram acidente ferroviário de Santiago de Compostela|autor=|data=|publicado=|acessodata=}}</ref>
 
==Causas==
As conclusões da Comissão de Investigação de Acidentes Ferroviários, reveladas em 4 de junho de 2014, indicam que o descarrilamento do comboio ou trem deveu-se à velocidade da composição e à distração do maquinista.
 
Além da velocidade, a comissão considera ser uma causa adicional a falta de atenção do maquinista, que não usou o travão de forma adequada para reduzir a velocidade antes da entrada na curva.
 
No relatório os técnicos consideram que o telefonema para o seu telemóvel (português europeu) ou seu celular (português brasileiro), que se prolongou durante 100 segundos, foi excessivo e contribuiu para a distração do maquinista. Durante esse período, o trem ou comboio percorreu 5540 metros em que o maquinista "não realizou parte da sua atividade normal de condução". O maquinista apenas respondeu 6000 metros antes do início da curva, o que impediu de iniciar a travagem no momento oportuno.<ref>{{citar web|URL=http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=3952882&page=-1|título=Velocidade e distração do maquinista causaram acidente ferroviário de Santiago de Compostela|autor=|data=|publicado=|acessodata=}}</ref>
 
== Imagens ==
53

edições