Abrir menu principal

Alterações

1 523 bytes adicionados ,  16h44min de 13 de julho de 2018
sem resumo de edição
| apelido = Trinta"<br />"Cidade do Curió
<!-- Dados gerais -->
| foto = RodoviaIgreja PA-275Católica de Nossa Senhora das Graças, com arco íris, em Curionópolis.jpg
| leg_foto = RodoviaIgreja [[PA-275]],Católica emde 2017,Nossa noSenhora bairrodas Da PazGraças, em Curionópolis2017.
| bandeira = Bandeira de Curionópolis.png
| brasão = Brasão de Curionópolis.png
| data_microrregião = [[IBGE]]/[[2008]] <ref name="IBGE_DTB_2008" />
|data_idh = [[PNUD]]/[[2010]]<ref name="PNUD_IDH_2010">{{citar web |url=http://www.pnud.org.br/atlas/ranking/Ranking-IDHM-Municipios-2010.aspx |titulo=Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil |data=2010 |obra=Atlas do Desenvolvimento Humano|publicado=Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) |acessodata=21 de setembro de 2013}}</ref>
| data_pib = [[IBGE]]/[[2014]]<ref name="PIBMunicipal2010-2014">{{citar web |url=ftp://ftp.ibge.gov.br/Pib_Municipios/2014/base/base_de_dados_2010_2014.xls |título=Produtos Interno Bruto dos Municípios Brasileiros: 2010-2014 |publicado=Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística |acessodata=28 de dezembro de 2016}}</ref>
| data_pib_per_capita = [[IBGE]]/[[2014]]<ref name="PIBMunicipal2010-2014"/>
|site_prefeitura = [http://www.curionopolis.pa.gov.br www.curionopolis.pa.gov.br]
 
== Etimologia ==
O nome "Curionópolis" homenageia o major [[Sebastião Curió]], cacique político local que dirigiu por muito tempo a então vila e atual cidade com pulso forte. Foi um dos responsáveis pela emancipação política do município. A junção do nome "Curió" + "Polis", a grosso modo significa "Cidade do Curió".<ref>PRIETO{{citar periódico|autor=Prieto, José Ricardo. [|url=http://www.anovademocracia.com.br/no-26/610-a-saga-dos-pobres-em-serra-pelada |título=A saga dos pobres em Serra Pelada] - |periódico=Revista A Nova Democracia |número=26 |data=setembro de 2005 |series=IV}}</ref>
 
O primeiro nome da sede municipal, ainda quando vilarejo, era "Trinta", em alusão ao referencial rodoviário em que se encontrava. Com a chegada do major Curió, os colonos da área nomearam o local de Curionópolis, em homenagem àquele interventor que havia regularizado a situação do vilarejo. Em entrevista ao [[Projeto Rondon]] no ano de 2007, Curió declarou que o nome "Curionópolis" foi dado em 1981 pelos moradores da localidade contra sua vontade, pois entendia que homenagens somente deveriam ser dadas aos que já haviam falecido<ref name="unb">{{citar periódico|periódico=Blog UnB Agência no Projeto Rondon. |título=Entrevista – Sebastião Curió Rodrigues de Moura, Parte I - Serra Pelada e Curionópolis. |data=Fevereiro de 2007. |editora=Universidade de Brasília |autor=UnB Agência |local=Brasília}}</ref>.
 
==História==
[[Ficheiro:SerraRodovia PeladaPA-275 em Curionópolis.jpg|thumb|250px200px|esquerda|O garimpo deRodovia [[Serra PeladaPA-275]], em 2017, no bairro Da Paz, em Curionópolis.]]
O município surgiu de dois povoados distintos, onde um deles formado no km 30<ref name="carlosAlencar">{{citar periódico|autor=Alencar, Eli Carlos de Sousa. |título=Curionópolis: História, Mineração e Desenvolvimento. |periódico=Blog Geógrafo 5 |data=16 de abril de 2011}}</ref> da rodovia estadual [[PA-275]] hoje é a sede de Curionópolis; o outro povoado é a [[Serra Pelada]], formada ao pé da colina de mesmo nome. Ambos formados em 1979, a época pertenciam ao município de Marabá e somente constituíram município em 1988. Quando da emancipação, era parte do município o distrito de Eldorado (ou "Km 100"), que posteriormente formou o município de [[Eldorado do Carajás]]<ref>[{{citar web|url=http://www.portalamazonia.com.br/secao/amazoniadeaz/interna.php?id=591 |obra=Amazônia de A a Z: |título=Curionópolis, município do Pará] - |publicado=Portal Amazônia |acessodata=13 de julho de 2018}}</ref>.
 
Embora os vilarejos tenham sido constituídos somente em 1979, os primeiros colonos de Curionópolis fixaram-se na região ainda em 1977, construindo as primeiras propriedades rurais da área.<ref name="Henriques Campos">{{Citar livro|url=http://www.sema.pa.gov.br/wp-content/uploads/2017/05/RIMA%20SERRA%20LESTE%20-%20FINAL.pdf |autor=Henriques, João Carlos.; Campos, Jackson Cleiton Ferreira. |título=RIMA - Relatório de Impacto Ambiental: Projeto Serra Leste 10 MTPA |data=2016 |local=Curionópolis/PA |editora=Amplo Engenharia e Gestão de Projetos / Vale S.A.}}</ref>
O município surgiu de dois povoados distintos, onde um deles formado no km 30<ref name="carlos"/> da rodovia estadual [[PA-275]] hoje é a sede de Curionópolis; o outro povoado é a [[Serra Pelada]], formada ao pé da colina de mesmo nome. Ambos formados em 1979, a época pertenciam ao município de Marabá e somente constituíram município em 1988. Quando da emancipação, era parte do município o distrito de Eldorado (ou "Km 100"), que posteriormente formou o município de [[Eldorado do Carajás]]<ref>[http://www.portalamazonia.com.br/secao/amazoniadeaz/interna.php?id=591 Amazônia de A a Z: Curionópolis, município do Pará] - Portal Amazônia</ref>.
 
Embora os vilarejos tenham sido constituídos somente em 1979, os primeiros colonos de Curionópolis fixaram-se na região ainda em 1977, construindo as primeiras propriedades rurais da área.<ref>AMPLO TREINAMENTO E CONSULTORIA. [http://licenciamento.ibama.gov.br/Mineracao/Estudo%20Global%20-%20Plano%20das%20Ampliacoes%20de%20N4%20e%20N5/EIA%20RIMA/EIA%20Carajas%20Global%20N4%20e%20N5/VOLUME%204/Volume_4.pdf Projeto Serra Leste: Diagnóstico Ambiental do Meio Socioeconômico e Cultural]</ref>
 
=== Colonização ===
Formado basicamente por duas frentes distintas, a principal, formadora da sede, foi a vila Trinta iniciada no km 30 da rodovia estadual [[PA-275]]. Esta vila foi fundada pelo casal João Patrocínio da Costa (ou João Mineiro) e Maria das Graças Costa, ambos trabalhadores rurais da fazenda de Sebastião Naves; como era comum a parada dos viajantes da rodovia na altura do km 30, utilizando a residência da família Costa como um ponto de referência<ref name="carlosAlencar">CARLOS, Eli. Curionópolis: História, Mineração e Desenvolvimento. Blog Geógrafo5, abril de 2011.</ref> para alimentar-se e até mesmo dormir, o casal resolveu erguer um barracão para comercializar comida, local que aos poucos acabou por servir de referência para os garimpeiros que usavam aquele ponto da estrada para entrar clandestinamente no garimpo de Serra Pelada<ref name="carlosAlencar"/>, já que a entrada oficial era fiscalizada rigorosamente pela [[Polícia Federal (Brasil)|Polícia Federal]]. Posteriormente o pioneiro João Mineiro foi homenageado com seu nome no terminal rodoviário do município, quando ainda vivo.
 
A segunda frente foi a formadora da Serra Pelada, e se deu em dezembro de 1979<ref>{{citar livro|autor=Costa, Maria Alice Chaves Nunes.; Borin, Elaine Cavalcante Peixoto. |url=http://www.aedb.br/seget/artigos06/968_seget2006.pdf |título=Investimento Social Privado: o caso da Companhia Vale do Rio Doce |editora=Anais do III SEGeT – Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia |local=Resende/RJ |data=2006}}</ref> quando um [[vaqueiro]] (ou garimpeiro) da Fazenda Três Barras, de propriedade de Genésio Silva,<ref>[{{citar notícia|url=http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2008/07/18/ult5772u382.jhtm |título=História de Serra Pelada: da primeira pepita ao fechamento do garimpo] - |publicado=UOL Notícias |data=18 de julho de 2008 |autor=Alves, Breno Castro |local=Curionópolis}}</ref>, encontrou pedras de ouro de aluvião próximo a pés de [[bananeira]], no riacho da Grota Rica.<ref>[{{citar web|url=http://www.cultura.rj.gov.br/entrevistas/a-lenda-da-montanha-de-ouro |título=A lenda da montanha de ouro] - |publicado=Secretaria de Cultura do estadoEstado do Rio de Janeiro |autor=Falcão, Marianna Salles. |data=31 de outubro de 2013}}</ref>. O garimpeiro levou as pedras até Genésio Silva e depois a um bar, onde mostrou aos demais que estavam presentes afirmando ser na verdade [[diamante]]s. Foi formado inicialmente um acampamento com o nome de Grota Rica, porém ao descobrirem grande quantidade de ouro em uma colina sem vegetação, apelidada de Serra Pelada, a pequena localidade passou a ter o nome de "Serra Pelada". Rapidamente a notícia do ouro foi espalhada, e no primeiro semestre de 1980 cerca de 30 mil garimpeiros já se haviam deslocado para a riquíssima área.<ref name="Mathis">OLIVEIRA{{citar periódico|título=Serra Pelada |url=http://www.naea.ufpa.br/naea/novosite/paper/92 |autor=Mathis, NandoArmin. Garimpo|data=Dezembro nade Serra1995 Pelada.|periódico=Papers Cafédo HistóriaNAEA |editora=Núcleo de Altos Estudos Amazônicos da Universidade Federal do Pará|local=Belém/PA}}</ref>.
A segunda frente foi a formadora da Serra Pelada, e se deu em dezembro de 1979<ref>COSTA, M. A. C. N.; BORIN, E. [http://www.aedb.br/seget/artigos06/968_seget2006.pdf Investimento social privado: um estudo de caso sobre a CVRD] -
III SEGeT – Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia</ref> quando um [[vaqueiro]] (ou garimpeiro) da Fazenda Três Barras, de propriedade de Genésio Silva<ref>[http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2008/07/18/ult5772u382.jhtm História de Serra Pelada: da primeira pepita ao fechamento do garimpo] - UOL Notícias</ref>, encontrou pedras de ouro de aluvião próximo a pés de [[bananeira]], no riacho da Grota Rica<ref>[http://www.cultura.rj.gov.br/entrevistas/a-lenda-da-montanha-de-ouro A lenda da montanha de ouro] - Secretaria de Cultura do estado do Rio de Janeiro</ref>. O garimpeiro levou as pedras até Genésio Silva e depois a um bar, onde mostrou aos demais que estavam presentes afirmando ser na verdade [[diamante]]s. Foi formado inicialmente um acampamento com o nome de Grota Rica, porém ao descobrirem grande quantidade de ouro em uma colina sem vegetação, apelidada de Serra Pelada, a pequena localidade passou a ter o nome de "Serra Pelada". Rapidamente a notícia do ouro foi espalhada, e no primeiro semestre de 1980 cerca de 30 mil garimpeiros já se haviam deslocado para a riquíssima área<ref>OLIVEIRA, Nando. Garimpo na Serra Pelada. Café História</ref>.
 
A intensa migração para a área chamou atenção do [[regime militar no Brasil|governo militar]], que enviou o major [[Sebastião Curió]] para servir como interventor local, indicação conseguida graças a sua experiencia durante a [[Guerrilha do Araguaia]]. Segundo informações de arquivos do governo datados de 1980, até então secretos, o extinto [[Serviço Nacional de Informações]] (SNI) preocupava-se com a jazida de ouro em Serra Pelada<ref>LOYOLA{{citar web|autor=Loyola, Leandro. [|url=http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EDR67559-6009,00.html |título=História nas gavetas]: Militares negam, mas os arquivos da ditadura estão repletos de documentos e o governo espera oportunidade para liberá-los |publicado=Revista Época |acessodata=13 de julho de 2018}}</ref>. Os militares acreditavam que a presença do Majormajor Curió (já cooptado como agente do [[Centro de Informações do Exército|CIE]]-SNI) seria fundamental para identificar pessoas na clandestinidade e militantes da [[esquerda política]] atraídos para o local<ref>LUIZ{{citar notícia|autor=Luiz, Edson. [|url=http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/56105/noticia.htm?sequence=1 |título=Militares monitoraram garimpo de Serra Pelada] - |jornal=Correio Braziliense: Clipping|data=12 dode Portalsetembro Senadode Federal2012}}</ref>, além de coibir o grande número de delitos e a crescente violência no local. Na região proliferava a [[prostituição]], e em virtude da existência de grande número de bares, as brigas, tentativas de assassinatos e assassinatos multiplicavam-se.
 
O Majormajor Curió ordenou a ocupação territorial na região separando as funções dos dois vilarejos, especializando o "Trinta" em centro residencial, comercial e administrativo, devendo receber as mulheres e suas famílias<ref name="ibge cidade">[http{{citar web|url=https://cidades.ibge.gov.br/painelbrasil/pa/curionopolis/historico.php?lang=&codmun=150277&search=| |infogr%E1ficos:-hist%F3rico Históricotítulo=História de Curionópolis] - |publicado=IBGE Cidades |data=2005}}</ref>, tendo para isso organizado os arruamentos do local e distribuído gratuitamente títulos de posse de terrenos urbanos<ref name="unb"/>. O vilarejo do Trinta foi separado em dois setores, sendo o primeiro (km 30) eminentemente residencial e comercial, e o segundo (conhecido como km 31) para abrigar os prostíbulos, bares e outros comércios. No caso da Serra Pelada, o segundo vilarejo, Curió proibiu a presença de mulheres e bebidas no local, sob a justificativa de diminuir as brigas e mortes constantes.<ref name="unb"/>
 
=== Auge do garimpo e decadência ===
{{AP|Serra Pelada}}
[[File:RampaAvenida Brasil em Curionópolis.jpg|thumb|esquerda|200px|RampaAvenida de prática esportivaBrasil, no canteirobairro centralPlanalto, daem rodoviadezembro [[PA-275]]de em Curionópolis2016.]]
Em 1980 as atividades garimpeiras na Serra Pelada começaram seu período áureo, onde somente neste ano seriam extraídas 7 toneladas de ouro. Inevitavelmente a corrida ao ouro saiu do controle das autoridades locais, e a intervenção federal tornou-se mais intensa, com o fechamento da região do garimpo pelopela Polícia Federal para impedir a entrada de mais pessoas no local. Como medida para evitar a evasão e o contrabando do ouro, o governo montou na própria vila uma [[Caixa Econômica Federal]], que seria a única compradora legalizada do metal precioso. Para coibir a entrada de mais garimpeiros ilegais, as áreas de lavra e os garimpeiros foram registrados pela Receita Federal; e a área do garimpo e da vila do Trinta (a época já com nome de Curionópolis) foi dotada de infraestrutura de [[Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos|Correios]] e de um armazém da [[Companhia Brasileira de Alimentação|Cobal]], para que não fosse necessário o deslocamento constante de pessoas pela região.<ref>MATHIS, Armin. [http:name="Mathis"//www.naea.ufpa.br/naea/novosite/paper/92 ''Papers'' do Núcleo de Altos Estudos Amazônicos - Nº 50: Serra Pelada]. Belém: NAEA, 1995.</ref>
 
Em 1981, os depósitos de ouro na superfície se esgotaram, sendo necessário adequar o local para prorrogar a extração manual. Neste mesmo ano a Serra Pelada passa a abrigar 80 mil garimpeiros, com a exploração caindo para 2,5 toneladas de ouro. O declínio tornou-se acentuado e, em 1984, a cava do garimpo jé alcançava 200 metros de profundidade, tornado inviável a exploração. Desde este ano a produção foi caindo até que em 1991 extraiu-se somente 13 quilos de ouro, quando a exploração foi vetada.<ref>[http://www.bcb.gov.br/htms/museu-espacos/pepitas/historiaspelada.asp?idpai= Pepitas de Ouro: Garimpo de Serra Pelada] - Banco Central do Brasil</ref>
 
A decadência da garimpagem na vila de Serra Pelada refletiu na vida econômica da região, que caiu em grande ostracismo econômico e político, observado pela grande pobreza e concentração de renda.<ref name="Teixeira de Souza">TEIXEIRA{{citar DElivro|autor=Teixeira SOUZAde Souza, M.Mateus. |título=Análise dos Municípios do Corredor Logístico da Estrada de Ferro Carajás: Impactos da Gestão Fiscal no Desenvolvimento Regional - |obra=Monografia de conclusãoConclusão de cursoCurso para Obtenção do Grau de Bacharel em Economia. |local=Belém: |editora=Faculdade de Ciências Econômicas da [[Universidade Federal do Pará,]] |data=2014.}}</ref> Na segunda metade da década de 1980, a vida econômica da Vila de Curionópolis - que sobrevivia do comércio de motores, combustíveis, equipamentos, venda de alimentos, bebidas, entre outros - passou a orbitar em torno da cooperativa dos garimpeiros [[Cooperativa Mista de Garimpeiros de Serra Pelada|COOMIGASP]], que é mergulhada em disputas políticas.
 
=== Da emancipação à década de 1990 ===
=== Emancipação ===
 
O declínio do ouro e o ostracismo econômico experimentado a partir de 1985, levou Curionópolis a se organizar no intuito de emancipar-sem em relação a [[Marabá]]. A associação de moradores da vila, com o apoio da cooperativa de garimpeiros e de figuras locais influentes como o major Curió, conseguiram pleitear a realização de um plebiscito. O escrutínio mostrou um resultado superior a 90% de aprovação pela emancipação, número que viabilizou a emancipação local.
 
=== Década de 2010 ===
[[Imagem:Avenida Presidente Vargas, em Curionópolis.jpg|thumb|esquerda|200px|Avenida Presidente Vargas, no bairro Jardim Panorama, em 2018.]]
Em 2012, o patrono da cidade [[Sebastião Curió]] foi denunciado pelo Ministério Público de Marabá pelo [[sequestro]] de cinco pessoas durante a [[Ditadura Militar no Brasil|Ditadura Militar]], na região do Araguaia. Para a organização [[Human Rights Watch]] trata-se de um passo histórico do Brasil.<ref name="el pais">{{citar notícia|url=http://internacional.elpais.com/internacional/2012/03/15/actualidad/1331806721_771043.html|titulo=Brasil se dispone a juzgar al primer militar por crímenes durante la dictadura|data=15 de março de 2012|publicado=El Pais|acessodata=16/03/2012}}</ref> Desde então tornou-se forte o movimento que pede a mudança de nome da cidade, assim como de vários lugares cujo nome homenageia pessoas ligadas à ditadura militar no Brasil. Caso mude sua denominação, o município passaria a se chamar "Serra Leste" ou "Cristalino", em alusão a dois dos principais referenciais geográficos e geológicos da localidade.