Diferenças entre edições de "Gertrude Baniszewski"

7 bytes adicionados ,  13h39min de 27 de julho de 2018
 
===Porão===
AposApós o incidente com a coca cola, Sylvia urinou na cama, e como conseqüência foi trancafiada no porão da casa. Baniszewski começou a banhar Likens com água quente, segundo ela para limpar seus pecados. Ela ficava nua no porão, e poucas vezes era alimentada. De tempos em tempos, Gertrude e seu filho John faziam Sylvia comer suas próprias fezes.
Nessa época, Jenny escreveu uma carta para irmã mais velha, Diana, contando o horror que ela e Sylvia passavam, pedindo para que ela chamasse a policia. Diana Likens não acreditou em Jenny, pois achava que ela havia feito algo na casa de Gertrude e estava querendo sair de lá para ficar com ela em sua casa. Tempos depois, Diana veio visitar as irmãs, mas Baniszewski se negou a deixá-la entrar na casa. Diana ficou nas proximidades até ver Jenny fora da casa e abordá-la. Jenny disse a irmã mais velha que não estava autorizada a falar com ela e depois fugiu. Preocupada, Diana ligou para o serviço social. Quando a assistente social foi na casa dos Baniszewski , Gertrude ameaçou Jenny, dizendo que se ela falasse algo iria ocorrer o mesmo que ocorria com Sylvia. Assustada com isso, Jenny disse para a Assistente que Sylvia tinha fugido de casa.
 
===Assassinato===
 
Em 21 de outubro, Baniszewski pediu para que seu filho John Jr., Coy, e Stephanie Baniszewski trouxessem Sylvia para uma cama. Sylvia urinou novamente, e como consequência Gertrude a fez enfiar de novo uma garrafa de coca cola na vagina,<ref name="indystar"/> antes de começar a grafar a frase "I'm a prostitute and proud of it" no estomagoestômago da garota. Quando Gertrude não conseguiu mais tatuar a frase, ela pediu que Ricky Hobbs a terminasse. No dia seguinte ela obrigou Sylvia escrever uma carta para os pais a qual afirmava que havia fugido de casa. Após isso ela começou a elaborar um plano para deixar Sylvia em algum local ermo para que morresse. Quando Sylvia ouviu isso, tentou fugir, mas foi pega por Gertrude e foi jogada novamente no porão.
 
Em 24 de outubro, Coy Hubbard bateu violentamente com um cabo de vassoura na cabeça de Sylvia. Na manhã do dia 26, Gertrude disse que daria um banho em Sylvia e pediu que Stephanie Baniszewski e Richard Hobbs trouxessem a menina para cima. Porém os dois perceberam que ela não respirava, e tentaram ressuscitá-la com respiração boca-a-boca, poremporém Sylvia já estava morta.
Stephanie ficou em pânico, e pediu que Hobbs chamasse a polícia. Quando eles chegaram, Gertrude mostrou a carta que havia obrigado Sylvia escrever. Nesse período, Jenny teria abordado um dos policias e sussurrado para ele a tirar de lá que ela contaria tudo o que tinha acontecido. O depoimento dela, combinado com o descobrimento do corpo de Sylvia, fez os policiais prenderem Gertrude, Paula, Stephanie e John Baniszewski, Richard Hobbs, e Coy Hubbard por assassinato. Outras crianças da vizinhança como: Mike Monroe, Randy Lepper, Judy Duke, e Anna Siscoe também foram levados.
 
 
Baniszewski, seus filhos, Hobbs, e Hubbard foram presos sem direito a fiança, até o julgamento.
Um exame de autopsiaautópsia feito depois revelou que Sylvia tinha diversas queimaduras, contusões musculares e inúmeras lesões físicas. Perto da morte, os lábios vaginais de Sylvia estavam quase que separados um do outro. Sua cavidade vaginal estava inchada, mas os exames provaram que ela ainda era virgem, sendo que seu hímen estava intacto. A causa oficial da morte foi hemorragia cerebral, além de lesões prolongadas em sua pele.
 
Gertrude Baniszewski foi acusada de assassinato em primeiro grau. Ela foi sentenciada a prisão perpétua sem direito a condicional.
[[imagem:Getrudesai.jpg|thumb|250px|left|Gertrude sai da prisão em [[4 de dezembro]] de [[1985]]]]
 
AposApós apelar, Baniszewski ganhou um novo julgamento, mas foi novamente condenada. Ao longo dos 18 anos em que ficou presa, Gertrude foi uma prisioneira modelo, trabalhando na oficina de costura, se tornando uma mãe para as outras detentas. Quando foi anunciado que ela iria sair em condicional da prisão, houve uma grande polêmica na comunidade de Indiana. Jenny Likens e sua família apareceram na TV para protestar contra a libertação, grupos de proteção a pessoa também se manifestaram, sendo que no decorrer de dois meses um grupo coletou assinaturas de moradores de Indiana contra Gertrude. Apesar de tudo, ela conseguiu a liberdade, e se declarou culpadoculpada sobre tudo que havia ocorrido com Sylvia.
Baniszewski saiu da prisão em [[4 de dezembro]] de [[1985]] e viajou para [[Iowa]], onde morreu de câncer no pulmão cinco anos depois, em [[16 de junho]] de [[1990]], com 60 anos.<ref name="indystar"/>