Abrir menu principal

Alterações

1 byte adicionado ,  19h16min de 27 de julho de 2018
m
===Crânio===
[[Imagem:Indricotherium transouralicum.jpg|thumb|Crânio de ''P. transouralicum'' (espécime AMNH 18650)]]
Os maiores crânios de ''Paraceratherium'' têm cerca de {{Convert|1.3|m|feet}} de comprimento, {{Convert|33|to|38|cm|inch}} atrás do crânio, e {{Convert|61|cm|inch}} de largura entre os [[arco zigomático|arcos zigomáticos]]. ''Paraceratherium'' tinha uma longa testa, que era lisa e sem a área rugosa que serve com um ponto de encaixe dos chifres de outros rinocerontes. Os ossos acima da região nasal são longos e a incisão nasal é profunda dentro do crânio. Isto indica que ''Paraceratherium'' tinha um lábio superior preênsil similar àqueles dos [[rinocerontes-negros]] e [[rinocerontes-indianos]], ou uma curta [[probóscide]] ou tromba como nos [[tapir]]es. A parte traseira do crânio era baixa e estreita, sem as grandes cristas lambdoides no topo e ao longo da [[crista sagital]], que são encontradas em animais com cornos e presas que precisam de músculos fortes para empurrar e lutar. Eles também tinham uma fenda profunda para o encaixe dos ligamentos da nuca, que seguravam o crânio automáticamente. O [[côndilo occipital]] era muito amplo e ''Paraceratherium'' aparentemente tinham grandes e fortes músculos no pescoço, que permitiam-lhes baixar a cabeça fortemente enquanto se alimentavam dos galhos.<ref name="Prothero 2013 87 106"/> Um crânio de ''P. transouralicum'' tinha uma testa côncava, enquanto outros espécimes tinham testas lisas, possivelmente por conta do dimorfismo sexual.<ref name="Lucas & Sobus"/> Um molde endocraniano do cérebro de ''P. transouralicum'' mostra que ocupava apenas 8% do comprimento do crânio, enquanto o cérebro dos rinocerontes-indianos ocupava 17,7% do comprimento de seu crânio.<ref name="Granger & Gregory"/>
 
==Palaeobiologia==
29 523

edições