Diferenças entre edições de "Bacia do rio da Prata"

139 bytes adicionados ,  04h06min de 30 de julho de 2018
copidesque
(Correção: O Rio Uruguai não divide Paraguai e Argentina)
(copidesque)
{{mais notas|data=dezembro de 2012}}
[[Ficheiro:Riodelaplatabasinmap.png|thumb|350px|right|Bacia do Riorio Lada Plata]]
A '''Baciabacia Platina''' é a segunda maior [[bacia hidrográfica]] do Brasil, com 1.397.905&nbsp;km².<ref>{{citar web |url=http://www.britannica.com/EBchecked/topic/463804/Rio-de-la-Plata |título=Río de la Plata |acessodata=4 de novembro de 2012 |autor= |coautores= |data= |ano= |mes= |formato= |obra= |publicado=Encyclopædia Britannica |páginas= |língua= |língua2=en |língua3= |lang= |citação= }}</ref> Se estendeEstende-se pelo [[Brasil]], [[Uruguai]], [[Bolívia]], [[Paraguai]] e [[Argentina]]. Possui cerca de 60,9% das [[usina hidrelétrica|hidrelétricas]] em operação ou construção do Brasil. É constituída pelas sub-bacias dos rios [[Rio Paraná|Paraná]], [[Rio Paraguai|Paraguai]] e [[Rio Uruguai|Uruguai]]<ref>Whigham, Thomas. 2002. ''The Paraguayan War: Causes and Early Conduct'', v. 1. Lincoln, Nebraska: University of Nebraska Press, p. 5. ISBN 978-0-8032-4786-4</ref> e pelos seus afluentes, formando a bacia do Prata ou Platina.
 
A bacia do Prata ocupa uma área de 4,3 milhões de km² e possui porções das áreas argentinas, bolivianas, brasileiras, paraguaias e uruguaias.
 
== Aproveitamento energético ==
Suas principais usinas são: Itaipu (Rio Paraná) - 12.600 MW; Ilha Solteira (Rio Paraná) 3.444 MW; Jaciretá (Rio Paraná) 3,100 MW; Fóz do Areia (Rio Iguaçú) - 1.676 MW; Jupiá (Rio Paraná) - 1.551 MW; Itá (Rio Uruguai) - 1.450 MW; Marimbondo (Rio Grande) - 1.440 MW; Porto Primavera (Rio Paraná) - 1.430 MW; Salto Santiago (Rio Iguaçú) - 1.420 MW; Água Vermelha (Rio Grande) - 1.396 MW; Segredo (Rio Iguaçú) - 1.260 MW; Salto Caxias (Rio Iguaçú) - 1.240 MW; Furnas (Rio Grande) - 1.216 MW; Emborcação (Rio Paranaíba) - 1.192 MW; Salto Osório (Rio Iguaçú) - 1.078 MW; Estreito (Rio Grande) - 1.050 MW; Foz do Chapecó (Rio Uruguai) 855 &nbsp;MW.
Essa divisão ocorre pelo fato de termos uma grande hidrografia por isso dividimos com o Uruguai
 
Suas principais hidrelétricas são: [[BinacionalUsina Hidrelétrica de itaipuItaipu|Itaipu]], [[Usina Hidrelétrica de Furnas|Furnas]] e [[Complexo de UrubupungaUrubupungá|Urubupungá]].
 
== Principais rios e sub-bacias ==
Seus principais rios são: [[Rio Paraná|Paraná]], [[Rio Uruguai|Uruguay]], [[Rio Paraguai|Paraguai]], [[Rio Iguaçu|Iguaçu]], [[Rio Tietê|Tietê]], [[Rio Paranapanema|Paranapanema]], [[Rio Grande (Minas Gerais)|Rio Grande]], [[Rio Paranaíba|Paranaíba]], [[Rio Taquari (Mato Grosso do Sul)|Rio Taquari]], [[Rio Sepotuba|Sepotuba]].
 
O [[Riorio da Prata]] se origina do encontro de dois dos principais rios desta bacia: Paraná e Uruguai. Eles se encontram na fronteira entre a Argentina e o Uruguai. O outro rio principal, o Paraguai, deságuadesagua no rio Paraná na fronteira entre Paraguai e Argentina.
 
=== Bacia do Paraná ===
A bacia do Paraná possui localização geográfica privilegiada, situada na parte central do [[Planalto Meridional]] brasileiro.
 
O [[rio Paraná]] possui cerca de 4.900&nbsp;km de extensão e é o segundo em extensão na [[América]]. É formado pela junção dos rios [[Rio Grande (Minas Gerais)|Grande]] e [[Rio Paranaíba|Paranaíba]]. Apresenta o maior aproveitamento hidrelétrico do Brasil, abrigando a [[Usina hidrelétricaHidrelétrica de Itaipu|Usina de Itaipu]], entre outras. Os afluentes do Paraná, como o [[Rio Tietê|Tietê]] e o [[Rio Paranapanema|Paranapanema]], também apresentam grande potencial hidrelétrico. Sua navegabilidade e a de seus afluentes vem sendo aumentada pela construção Dada [[Hidrovia Paraná-Tietê|hidrovia Tietê-Paraná]]. A hidrovia serve para o transporte de cargas, pessoas e veículos, tornando-se uma importante ligação com os países do [[Mercosul]]. São 2.400&nbsp;km de percurso navegável ligando as localidades de [[Anhembi]] e [[Foz do Iguaçu]]. Em função de suas diversas quedas, o rio Paraná possui navegação de porte até a cidade argentina de [[Rosário (Argentina)|Rosário]]. O rio Paraná é o quarto do mundo em drenagem, drenando todo o centro-sul da [[América do Sul]], desde as encostas dos [[Andes]] até a [[Serraserra do Mar]].
 
=== Bacia do Paraguai ===
{{Artigo principal|[[Sub-bacia do rio Paraguai]]}}
A bacia do Paraguai é típica de [[planície]] e sua área é de 345.000&nbsp;km². Atravessa a Planícieplanície do [[Pantanal]] e é muito utilizada na navegação.
 
O [[rio Paraguai]] possui cerca de 2.550&nbsp;km de extensão ao longo dos territórios brasileiro e paraguaio. Tem sua origem na [[serra de Araporé]], a 100&nbsp;km de [[Cuiabá]] (MT). Seus principais afluentes são os rios [[Rio_Taquari_(Mato_Grosso_do_Sul)|Taquari]], [[Rio Miranda|Miranda]], [[Rio Apa|Apa]] e [[Rio São Lourenço (Mato Grosso)|São Lourenço]]. Antes de se juntar ao rio Paraná, o rio Paraguai banha o Paraguai e a Argentina. O rio Paraguai drena áreas de importância, como o [[Complexo do Pantanal]].
 
=== Bacia do Uruguai ===
A bacia do Uruguai tem um trecho planáltico, com potencial hidrelétrico, e outro de planície, entre [[São Borja]] e [[Uruguaiana]] (RS).
 
O [[rio Uruguai]] nasce pela fusão dos rios [[Rio Canoas (Santa Catarina)|Canoas]] (SC) e [[Rio Pelotas|Pelotas]] (RS/SC), servindo de divisa entre [[Rio Grande do Sul]] e [[Santa Catarina]], Brasil e Argentina, e mais ao sul, entre Uruguai e Argentina. Possui uma extensão de aproximadamente 1.500&nbsp;km e deságuadesagua no estuário do [[Estuáriorio doda Prata]]. Seu curso superior é planáltico e possui expressivo potencial hidrelétrico. Os cursos médio e inferior são de planície e oferecem condições favoráveis para a navegação. É navegável desde sua foz até a cidade de [[Salto (Uruguai)|Salto]]. Fazem parte de sua bacia os rios [[Rio do Peixe (rio de Santa Catarina)|Peixe]], [[Rio Chapecó|Chapecó]], [[Rio Peperiguaçu|Peperiguaçu]], [[Rio Ibicuí|Ibicuí]], [[Rio Turvo (Rio Grande do Sul)||Turvo]], [[Rio Ijuí|Ijuí]] e [[Rio Piratini|Piratini]].
 
O aproveitamento econômico da bacia do Uruguai é pouco expressivo quer seja em termos de navegação, quer seja em termos de produção hidrelétrica.
40 096

edições