Abrir menu principal

Alterações

23 bytes adicionados ,  14h32min de 31 de julho de 2018
m
→‎Taxonomia: Subfamílias devem ser escrito em maiúscula.
Em 1910, mais fósseis parciais foram descobertos em Dera Bugti durante uma expedição do paleontólogo britânico [[Clive Forster-Cooper]]. Baseado nesses fósseis, Foster-Cooper moveu ''A. bugtiense'' para o novo gênero ''Paraceratherium'' que, em latim, significa "próximo à besta sem corno", em referência ao gênero ''Aceratherium''.<ref name="Prothero 2013 17 34"/><ref>{{citar periódico| doi = 10.1080/00222931108693085|título= LXXVIII.—''Paraceratherium bugtiense'', a new genus of Rhinocerotidae from the Bugti Hills of Baluchistan.—Preliminary notice|periódico= Annals and Magazine of Natural History|series=Series 8| volume = 8|número= 48|páginas= 711–716|ano= 1911|último1 = Forster-Cooper |primeiro1 = C.|url=https://archive.org/stream/annalsmagazineof881911lond#page/711/mode/1up}}</ref> Essa classificação foi embasada nas presas inferiores da espécie, que eram curvadas para baixo.<ref name="On the skull">{{citar periódico| doi = 10.1098/rstb.1924.0009|título= On the Skull and Dentition of ''Paraceratherium bugtiense'': A Genus of Aberrant Rhinoceroses from the Lower Miocene Deposits of Dera Bugti|periódico= Philosophical Transactions of the Royal Society B: Biological Sciences| volume = 212|número= 391–401|páginas= 369–394|ano= 1924|último1 = Cooper |primeiro1 = C. F.}}</ref> Em 1913, Forster-Cooper nomeou um novo gênero e espécies, ''Thaumastotherium'' ("besta magnífica") ''osborni'', baseada em fósseis maiores encontrados em algumas escavações, mas ele renomeou o gênero para ''Baluchiterium'' após aquele ano, porque o nome formal ''Thaumastotherium'' já era usado por um inseto [[hemiptera]].<ref>{{citar periódico| doi = 10.1080/00222931308693412|título= XLIV.— ''Thaumastotherium osborni'', a new genus of perissodactyles from the Upper Oligocene deposits of the Bugti hills of Baluchistan. —Preliminary notice|periódico= Annals and Magazine of Natural History|series=Series 8| volume = 12|número= 70|páginas= 376–381|ano= 1913|último1 = Forster-Cooper |primeiro1 = C.|url=https://archive.org/stream/ser8annalsmagazi12londuoft#page/376/mode/1up}}</ref><ref>{{citar periódico| doi = 10.1080/00222931308693431|título= Correction of generic name|periódico= Annals and Magazine of Natural History|series=Series 8| volume = 12|número= 71|páginas= 504|ano= 1913|último1 = Forster-Cooper |primeiro1 = C.|url=https://www.biodiversitylibrary.org/page/22099991#page/516/mode/1up}}</ref> Os fósseis de ''Baluchitherium'' eram tão fragmentados que Foster-Cooper só conseguiu identificá-lo como um tipo de [[perissodáctilo]], mas ele mencionou a possibilidade de confusão com ''Paraceratherium''.<ref>{{citar periódico|último = Forster-Cooper |primeiro = C.|título= ''Baluchitherium osborni'' (? syn. ''Indricotherium turgaicum'', Borrissyak)|periódico= Philosophical Transactions of the Royal Society of London|ano= 1923|páginas=35–66| volume= 212|número= 391–401| doi = 10.1098/rstb.1924.0002| jstor = 92060|url=http://rstb.royalsocietypublishing.org/content/212/391-401/35.full.pdf+html}}</ref> O paleontólogo americano [[Henry Fairfield Osborn]], após a classificação de ''B. osborni'', sugeriu que a espécie poderia ter sido um [[Titanotheriidae]].<ref name="Manias" />
 
Uma expedição posterior da [[Academia de Ciências da Rússia]] encontrou fósseis na [[Formação de Aral]], próxima ao [[Mar de Aral]], no [[Cazaquistão]]; foi o mais completo esqueleto de indricotério conhecido encontrado, mas faltava o crânio. Em 1916, baseado nesses fósseis, Aleksei lekseeivich Borissiak erigiu o gênero Indricotherium, nomeado em referência a um monstro mitológico, [[Indrik]]. Ele não atribuiu um nome de espécie, I. asiaticum, até 1923, mas Maria Pavlova já nomeara I. transouralicum em 1922.<ref name="Prothero 2013 17 34"/><ref>{{citar periódico|último = Pavlova |primeiro = M. |título= ''Indricotherium transouralicum'' n. sp. provenant du district de Tourgay |periódico= Bulletin de la Societe des Naturalistes de Moscou, Section Geologique | series = | volume = 31 |páginas= 95–116 |língua= French |ano= 1922 }}</ref> Também em 1923, Borissiak criou a subfamília indricotheriinaeIndricotheriinae para incluir as várias formas relacionadas que ele tinha conhecimento.<ref>{{citar periódico|último = Borissiak |primeiro = A. A. |título= Über die Unterfamilie Indricotheriinae Boriss. = Baluchitheriinae Osb |periódico= Zentralblatt für Mineralogie, Geologie und Paläontologie | series = | volume = 18 |páginas= 571–575 |língua= German |ano= 1924 }}</ref> Em 1939, Borissiak também nomeou um gênero e uma espécie do Cazaquistão, ''Aralotherium prohorovi''.<ref name="Lucas & Sobus" />
 
Em 1922, o explorador estadunidense [[Roy Chapman Andrews]] liderou uma expedição bem-documentada para a China e a Mongólia patrocinada pelo [[Museu Americano de História Natural]]. Vários fósseis indricotérios foram encontrados em formações no [[deserto de Gobi]] mongol, incluindo as pernas de um espécime mantido em pé na posição vertical — indicando que havia morrido preso na [[areia movediça]] — bem como, um crânio bastante completo. Esses fósseis foram a base para a descrição de ''Baluchitherium grangeri'', nomeada por Osborn em 1923.<ref name="Prothero 2013 1 16">Prothero, 2013. pp. 1–16</ref><ref>{{citar periódico|último = Osborn |primeiro = H. F. |título= The extinct giant rhinoceros ''Baluchitherium'' of Western and Central Asia |periódico= Natural History | series = 3 | volume = 23 |páginas= 208–228 |ano= 1923 | url = https://archive.org/stream/naturalhistory23amer#page/n233/mode/2up }}</ref>
 
A subfamília Indricotheriinae, a qual o gênero ''Paraceratherium'' pertence, foi primeiramente classificada como parte da família Hyracodontidae por Leonard B. Radinsky em 1966. Anteriormente, eles foram classificados como uma subfamília dentro de Rhinocerotidea, ou mesmo uma família completa, Indricotheriidae.<ref>{{citar periódico| doi = 10.2307/1377893| jstor = 1377893|título= The Families of the Rhinocerotoidea (Mammalia, Perissodactyla)|periódico= Journal of Mammalogy| volume = 47|número= 4|páginas= 631|ano= 1966|último1 = Radinsky |primeiro1 = L. B. }}</ref> Em um estudo [[cladística|cladístico]] de 1999 de [[Tapiroidea|tapiromorfos]], Luke Holbrook estabeleceu que os indricotérios estavam fora do [[clado]] Hyracodontidae, e escreveu que eles não podem ser um grupo [[monofilia|monofilético]] (natural).<ref>{{citar periódico| doi = 10.1006/clad.1999.0107|título= The Phylogeny and Classification of Tapiromorph Perissodactyls (Mammalia)|periódico= Cladistics| volume = 15|número= 3|páginas= 331–350|ano= 1999|último1 = Holbrook |primeiro1 = L. }}</ref> O esquema de Radinsky é a hipótese prevalente hoje em dia. A família Hyracodontidae contém pernas alongadas adaptadas à corrida, tal como ''[[Hyracodon]]'', e foram distinguidos pelas características dos dentes incisivos. Indricotérios são distintos de outros hiracodonteos por seu grande tamanho e a estrutura derivada de seus focinhos, incisivos e caninos. O indricotério mais antigo conhecido é o ''[[Fostercooperia]]'' (que tinha um tamanho próximo ao do cão) do meio e do fim do [[Eoceno]] da América do Norte e Ásia. O ''[[Juxia]]'' (que tem o tamanho próximo ao dos bovinos) é conhecido do meio do Eoceno; pelo final do Eoceno o gênero ''[[Urtinotherium]]'' da Ásia quase chegara ao tamanho dos paraceratérios.<ref name="Lucas & Sobus"/><ref name="Prothero 2013 53–66"/> Os paraceratérios viveram na Eurásia durante o período [[Oligoceno]], de 23 a 34 milhões de anos atrás.<ref name="Prothero 2013 107 121"/> O gênero é distinto de outros indricotérios por seu grande tamanho, incisão nasal que teria suportado um focinho muscular, e seu [[pré-maxilar]] virado para baixo.<ref name="Lucas & Sobus"/> Também tinham perdido o segundo e o terceiro incisivos inferiores, caninos inferiores, e o primeiro [[pré-molar]] inferior.<ref name="Prothero 2013 53–66"/>
[[Imagem:JuxiaSharamurenense-PaleozoologicalMuseumOfChina-May23-08.jpg|thumb|Crânio e pescoço de ''[[Juxia]]'', um parente do tamanho de uma vaca, presente no Eoceno médio, exposto no [[Museu Paleozoológico da China]].]]
O [[cladograma]] abaixo segue a análise de 1989 dos indricotérios por Lucas e Sobus, e mostra as espécies mais próximas ao ''Paraceratherium'':<ref name="Lucas & Sobus"/>
{{cladeclado|style=white-space:nowrap;font-size:100%;line-height:100%
|label1=&nbsp;[[Hyracodontidae]]
|1={{cladeclado
|1=&nbsp;[[Triplopodinae]]
|label2=&nbsp;[[Indricotheriinae]]
|2={{cladeclado
|1=&nbsp;''[[Forstercooperia]]''
|2={{cladeclado
|1=&nbsp;''[[Juxia]]''
|2={{cladeclado
|1=&nbsp;''[[Urtinotherium]]''
|2=&nbsp;'''''Paraceratherium'''''