Premier League: diferenças entre revisões

74 bytes adicionados ,  22h53min de 12 de agosto de 2018
 
==Finanças==
A receita dos clubes da Premier League foi de 24,5 bilhões de libras em 2010–112016–17, mais do que qualquer outro campeonato de futebol do mundo.<ref name=receita>{{citar web |titulo=CampeonatoPremier InglêsLeague éclub orevenues quesoar gerato mais receitas na Europa, aponta estudo£4.5bn |url=httphttps://www.foxsportsbbc.com.br/noticiasnews/8719-campeonato-ingles-e-o-que-gerabusiness-mais-receitas-na-europa-aponta-estudo43820603 |publicado=Fox SportsBBC |data=3120/504/20122018 |acessodata=2712 de janeiroagosto de 20132018 }}</ref> Em 2010, a Premier League foi premiada com a "Queen's Awards for Enterprise" na categoria de Comércio Internacional por Sua Majestade [[Rainha Elizabeth II]].<ref>{{citar web |titulo=Campeonato Inglês é o que gera mais receitas na Europa, aponta estudo
|url=http://www.foxsports.com.br/noticias/8719-campeonato-ingles-e-o-que-gera-mais-receitas-na-europa-aponta-estudo |publicado=Fox Sports |data=31/5/2012 |acessodata=27 de janeiro de 2013 }}</ref>
 
A Premier League foi reconhecida por sua contribuição para o comércio internacional e pelo valor que traz para o futebol inglês e para a indústria de [[Broadcasting|radiodifusão]] do [[Reino Unido]]. A receita bruta da Premier League é a quarta maior em todas as ligas esportivas de todo o mundo, atrás apenas das receitas anuais das três principais ligas esportivas da [[América do Norte]] (a [[National Football League]], [[Major League Baseball]] e a [[National Basketball Association]]).<ref>{{citar web |titulo=Theory of the Perfect Game: Competitive Balance in Monopoly Sports Leagues |url=http://www.vanderbilt.edu/econ/faculty/Vrooman/vrooman-rio-sports-special.pdf|língua=en |ano=2009 |último=Vrooman |volume=34|edição=1|páginas=5–44|doi=10.1007/s11151-009-9202-7}}</ref>
 
Em termos de futebol mundial, os clubes da Premier League são alguns dos mais ricos do mundo. AEm 2018, a Deloitte, que anualmente divulga os números sobre as receitas dos clubes por meio de sua "Football Money League", listou setedez clubes da Premier League ([[Manchester United]], [[ChelseaManchester FC|ChelseaCity]], [[Arsenal FC|Arsenal]], [[ManchesterChelsea CityFC|Chelsea]], [[Liverpool FC|Liverpool]], [[Tottenham Hotspur]] e [[NewcastleLeicester UnitedCity]], [[West Ham]], [[Southampton]] e [[Everton FC]]) entre os vinte primeiros na temporada 2011–122016–17, mais que qualquer outro país. Segundo a pesquisa, com os novos contratos de televisão, a liga poderá ter no minimo dez clubes na lista nos próximos anos.<ref name=Deloitte0809>{{citar web |url=httphttps://wwwwww2.deloitte.com/assetsuk/Dcom-UnitedKingdomen/Local%20Assetspages/Documentssports-business-group/Industriesarticles/Sports%20Business%20Group/uk-sbgdeloitte-football-money-league-2013.pdfhtml|titulo=Top 20 clubs Deloitte Football Money League 20122018|acessodata=2712 de janeiroagosto de 20132018|língua=en}}</ref>
 
Apesar das grandes receitas, a dívida dos vinte clubes em 2011 era de 2,4 bilhões de libras. Desses, 1,5 provinham de "empréstimos suaves" dos proprietários, com a maior parte desse valor (£819m) do Chelsea.<ref name=Deloitte0890>{{citar web |url=http://www.deloitte.com/assets/Dcom-UnitedKingdom/Local%20Assets/Documents/Industries/Sports%20Business%20Group/uk-sbg-annual-football-finance-review-2012-highlights.pdf|titulo=Highlights|acessodata=8 de fevereiro de 2013|língua=en|formato=PDF}}</ref> No fim de 2012, o Arsenal, Manchester United, Tottenham e Liverpool enviaram uma carta para o presidente da liga, Richard Scudamore, com o intuito de diminuir os gastos feitos principalmente pelo Chelsea (que tem como proprietário o bilionário russo [[Roman Abramovich]]) e Manchester City (cujo dono é ''sheik'' [[Mansour bin Zayed Al Nahyan|Mansour]]). A carta dizia que sete clubes da liga já estavam sob o regulamento financeiro da Uefa, mas que os outros clubes controlados por milionários precisavam entrar na mesma regulamentação e que as regras de controle deviam "incluir medidas significativas para restringir esse tipo de situação".<ref>{{citar web |titulo=Rivais ingleses se unem contra gastos elevados de Chelsea e City |url=http://globoesporte.globo.com/futebol/futebol-internacional/futebol-ingles/noticia/2013/01/rivais-ingleses-se-unem-contra-gastos-elevados-de-chelsea-e-city.html |obra=Globo |publicado=Globoesporte.com |data=14 de janeiro de 2013 |acessodata=16 de janeiro de 2013}}</ref>
1 459

edições