Diferenças entre edições de "RPC Curitiba"

53 bytes removidos ,  01h28min de 15 de agosto de 2018
== História ==
=== Década de 1960 ===
A TV Paranaense foi fundada em [[29 de outubro]] de [[1960]] pelo empresário Nagib Chede, sendo a primeira emissora de televisão do estado do [[Paraná]] e ocupando o Canal 12 de Curitiba. O estúdio da primeira transmissão foi no [[Edifício ASA]], quando Chede alugou dois apartamentos para sediar o canal.<ref>[http://www.jws.com.br/2014/07/nagib-chede-conta-como-fundou-o-canal-12-em-1960/ Nagib Chede conta como fundou o Canal 12] Portal de Notícias JWS</ref> A inauguração ocorreu às 19 horas daquele dia, com a presença do arcebispo Dom [[Manuel da Silveira d’Elboux]] e o então prefeito Iberê de Mattos. Após o discurso do fundador, Nagib Chede, foi exibido um episódio da série enlatada ''Susie, minha secretária favorita'', sendo este o primeiro programa oficial da TV Paranaense.<ref name="paranaense001">{{citar web|url= http://www.poshistoria.ufpr.br/documentos/2007/Maria%20Luiza%20G.%20Baracho.pdf|titulo= Modernidade em Preto e Branco|autor= Maria Luiza Gonçalves Baracho|publicado=[[Universidade Federal do Paraná]]|obra= |data=2007|acessodata=1 de fevereiro de 2011}}</ref>
 
A primeira sede da emissora foi no 21º andar do Edifício Tijucas, no [[Centro (Curitiba)|centro da capital]]. Os primeiros funcionários da emissora eram, em sua maioria, oriundos da [[Rádio Clube Paranaense]]. Em 1962 a emissora deixa o Edifício Tijucas para um grande barracão<ref name=paranaense004>{{citar web|url= http://www.gazetamaringa.com.br/online/conteudo.phtml?tl=1&id=937474&tit=O-Parana-por-tras-das-cameras|titulo= O Paraná por trás das câmeras|autor= Pollianna Milan|publicado=[[Gazeta Maringá]]|obra= |data=25 de outubro de 2009|acessodata=1 de fevereiro de 2011}}</ref> na Rua Emiliano Perneta, também no Centro, o que possibilitou a montagem de grandes cenários., Comocomo a da primeira telenovela local, ''A Última Carícia'', exibida dois anos depois, em trinta capítulos exibidos as segundas, quartas e sextas-feiras às 18h40. Apesar do sucesso, as produções seguintes não obtiveram grande popularidade.<ref name="paranaense001"/>
 
Em 1965 foi a primeira emissora do estado a utilizar o sistema de [[videotape]]. Nesse mesmo ano a TV Paranaense passou a exibir parte dos programas da [[Rede Excelsior]], especialmente musicais e [[telenovela]]s.<ref name=paranaense002>{{citar web|url=http://www.historia.ufpr.br/monografias/2002/guadalupe_fernandez_presas.pdf|titulo= A Desregionalização da Televisão: Uma Análise do Fenômeno no Paraná|autor= Guadalupe Fernández Presas|publicado=[[Universidade Federal do Paraná]]|obra= |data=abril de 2003|acessodata=1 de fevereiro de 2011}}</ref>
Ao mesmo tempo, a emissora esbarrava com a concorrência da [[TV Paraná]], dos [[Diários Associados]] de [[Assis Chateaubriand]], e mais tarde da [[TV Iguaçu]], de [[Paulo Pimentel]].
 
Em 1969,<ref name=paranaense003>{{citar web|url=http://www.gazetadopovo.com.br/fcpf/conteudo.phtml?tl=1&id=868727&tit=Em-tom-maior|titulo= Francisco Cunha Pereira, Em tom maior|autor= |publicado=[[Gazeta do Povo]]|obra= |data=19 de março de 2009|acessodata=1 de fevereiro de 2011}}</ref> com a concorrência acirrada com asde outras emissoras, ocorreu uma crise que culminaria na venda do controle acionário da emissoraempresa para o advogado [[Francisco Cunha Pereira Filho]], diretor do jornal [[Gazeta do Povo]], e para os banqueiros [[Edmundo Lemanski]] e Adolfo de Oliveira Franco Filho.<ref name="paranaense002"/> Com a aquisição, Francisco Cunha Pereira Filho transferiu a sede da emissora para o [[Castelo do Batel]], antiga residência do ex-governador [[Moisés Lupion]],<ref name=paranaense006>{{citar web|url= http://www.carosouvintes.org.br/blog/?p=14462|titulo= O Nascimento da Televisão no Paraná - Parte 35|autor= Renato Mazânek|publicado=Caros Ouvintes|obra= |data=6 de dezembro de 2009|acessodata=1 de fevereiro de 2011}}</ref> tornando-se um ponto de referência na capital, durante mais de trinta anos.
 
=== Década de 1970 ===
=== Década de 2000 ===
Em 2000, quando comemorava 40 anos de existência, as emissoras pertencentes a Rede Paranaense passam a se chamar ''Rede Paranaense de Comunicação'', com um logotipo único para todas as emissoras. Antes, cada emissora tinha um logotipo próprio.
 
Em 2003, a RPCsede Curitibada empresa deixou o Castelo do Batel para um prédio no bairro das [[Mercês (Curitiba)|Mercês]], próximo da torre de transmissão da emissora.
 
Em 26 de abril de 2005, quando a Rede Globo completou 40 anos de existência, todos os telejornais da emissora deixaram os estúdios e passaram a ser feitos na redação.
 
=== Transmissões esportivas ===
[[Ficheiro:Castelo do Batel 2015 (3).JPG|thumb|219x219px|O [[Castelo do Batel]], que abrigou a sede da RPC Curitiba entre 1969 e 2003]]
* [[Campeonato Paranaense de Futebol]];
* [[Campeonato Brasileiro de Futebol]] (jogos dos times paranaenses);
* Gabriela Ribeiro
 
== CuriosidadesÁrea de cobertura ==
[[Ficheiro:Castelo do Batel 2015 (3).JPG|thumb|219x219px|O [[Castelo do Batel]], que abrigou a sede da RPC Curitiba entre 1969 e 2003]]
[[Ficheiro:RPC TV Curitiba (4).JPG|thumb|Sede atual da RPC Curitiba no bairro das [[Mercês (Curitiba)|Mercês]], utilizada desde 2003]]
 
A primeira sede da emissora foi no 21º andar do Edifício Tijucas, no [[Centro (Curitiba)|centro da capital]]. Os primeiros funcionários da emissora eram, em sua maioria, oriundos da [[Rádio Clube Paranaense]].
 
Em 1962 a emissora deixa o Edifício Tijucas para um grande barracão<ref name=paranaense004>{{citar web|url= http://www.gazetamaringa.com.br/online/conteudo.phtml?tl=1&id=937474&tit=O-Parana-por-tras-das-cameras|titulo= O Paraná por trás das câmeras|autor= Pollianna Milan|publicado=[[Gazeta Maringá]]|obra= |data=25 de outubro de 2009|acessodata=1 de fevereiro de 2011}}</ref> na Rua Emiliano Perneta, também no Centro, o que possibilitou a montagem de grandes cenários. Como a da primeira telenovela local, ''A Última Carícia'', exibida dois anos depois, em trinta capítulos exibidos as segundas, quartas e sextas-feiras às 18h40. Apesar do sucesso, as produções seguintes não obtiveram grande popularidade.<ref name="paranaense001"/>
 
Em 1969, com a venda da TV Paranaense para Francisco Cunha Pereira Filho, a sede da emissora foi transferida para o [[Castelo do Batel]], antiga residência do ex-governador [[Moisés Lupion]],<ref name=paranaense006>{{citar web|url= http://www.carosouvintes.org.br/blog/?p=14462|titulo= O Nascimento da Televisão no Paraná - Parte 35|autor= Renato Mazânek|publicado=Caros Ouvintes|obra= |data=6 de dezembro de 2009|acessodata=1 de fevereiro de 2011}}</ref> tornando-se um ponto de referência na capital, durante mais de trinta anos.
 
Em 2003, a RPC Curitiba deixou o Castelo do Batel para um prédio no bairro das [[Mercês (Curitiba)|Mercês]], próximo da torre de transmissão da emissora.
 
== Área de cobertura ==
A área de cobertura oficial da RPC de Curitiba engloba os seguintes municípios:
{{dividir em colunas|cols=4}}