Diferenças entre edições de "Pai"

12 bytes removidos ,  21h14min de 25 de agosto de 2018
sem resumo de edição
Em uma família típica, o pai torna-se responsável pela educação e criação dos filhos e o sustento da família. Esta responsabilidade provém do [[século XIX]], onde assumia inteiramente o poder econômico, à posição pública do homem e à posição de autoridade masculina,<ref name="SEC">{{Citar web |url= http://www.abrapso.org.br/siteprincipal/anexos/AnaisXIVENA/conteudo/pdf/trab_completo_225.pdf|título= Família e paternidade: o papel do pai na criação dos filhos|acessodata= [[28 de julho]] de [[2009]]|autor= Abrapso.org.br|língua= [[língua portuguesa|português]]}}</ref> sendo visto como o chamado "pai-professor-patrão".<ref name="SEC"/> No [[século XX]], já o cenário familiar se alterara, dando espaço para as [[mãe]]s assumirem parte do controle financeiro, baseado em um modelo capitalista, individualista.<ref>{{Citar web |url= http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-37722000000300006&script=sci_arttext&tlng=pt|título= Psicologia: Teoria e Pesquisa - Continuidades e Rupturas no Papel da Mulher Brasileira no Século XX|acessodata= [[28 de julho]] de [[2009]]|autor= Scielo|língua= [[língua portuguesa|português]]}}</ref>
 
A realidade do contexto social dos séculos XX e XXI, em especial o consumismo, impõem com frequência aos pais, e mais recentemente também às mães, uma dedicação intensa, e por vezes desproporcional, de horas diárias de trabalho prejudicando, entre outros fatores, o convívio familiar, em especial com os filhos nos quais essa ausência e distância podemo produzir diversas consequências em sua formação<ref name=":0">{{citar web|url=http://saude.abril.com.br/bem-estar/pai-ausente-o-que-isso-influencia-no-desenvolvimento-do-filho/|titulo=Pai ausente: o que isso influencia no desenvolvimento do filho|data=13/08/2011|acessodata=17/03/2017|publicado=Revista Veja|ultimo=|primeiro=}}</ref>. O antes "pai-professor-patrão"<ref name="SEC" /> do século XIX transmutou-se em "pai-ausente"<ref name=":0" /> nos séculos XX e XXI, produzindo gerações nas quais significativa parcela das crianças cresceram sendo "órfãos de pais vivos"<ref>{{citar web|url=http://www.gazetadopovo.com.br/opiniao/artigos/papai-voce-pode-me-vender-uma-hora-do-seu-tempo-3if998dzfwrlj52zimhj1yk38|titulo=Papai, você pode me vender uma hora do seu tempo?|data=21/01/2017|acessodata=17/03/2017|publicado=Jornal Gazeta do Povo|ultimo=Venturi|primeiro=Jacir}}</ref>.
 
== Etimologia ==
38

edições